Passeio de barco no lago dos Quatro Cantões

Monte Pilatus – Volta de barco pelo lago até Lucerna

Nesse dia eu estava fazendo o passeio pelo Monte Pilatus e, para ter a experiência completa, fiz a subida de teleférico partindo de Kriens, o passeio no topo da montanha, a descida de trem pela íngreme estrada de ferro até Alpnachstad e, finalmente, a volta de barco pelo lago até Lucerna. Nessa postagem, irei falar sobre o último trecho do passeio.

O Lago dos Quatro Cantões é uma importante parte do sistema de transporte da Suíça há séculos. Embora o desenvolvimento das estradas e ferrovias tenha tirado grande parte do tráfego pelas águas, o número de barcos privados e públicos que circulam por lá ainda é considerável. Uma parte deles é voltado para o turismo e lazer, mas também há o transporte de carga, principalmente entre as comunidades menores.

Porto de Alpnachstad
Porto de Alpnachstad

Localizado no centro da Suíça e sendo o quarto maior do país, esse lago possui diversos nomes: Vierwaldstättersee, em alemão, pode ser traduzido literalmente para “lago dos quatro assentamentos florestais”; lac des Quatre-Cantons, no francês para “lago dos quatro cantões”; e lago dei Quattro Cantoni, com a mestra tradução, dessa vez em italiano. Esse número é uma referência aos cantões originais de Uri, Schwys e Unterwalden (atualmente são apenas dois) e de Lucerna.

Vista panorâmica do lago
Vista panorâmica do lago

Muitas das mais antigas comunidades da Suíça se encontra às margens desse lago. Talvez por isso mesmo, cada parte tem a sua própria denominação. Somente a porção que fica na baía de Lucerna, por exemplo, é que recebe o nome de Luzernersee, ou lago Lucerna. Já a parte de Alpnachstad é chamada de Alpnachersee. Como eu fiz o passeio na volta do monte Pilatus, o trecho navegado foi de Alpnachersee → Luzernersee. O itinerário varia de acordo com o horário, então o que está marcado de verde no mapa interativo abaixo é exatamente o que eu fiz. Nas paradas, não é necessário descer do barco – elas duram pouco tempo, somente o tempo suficiente para embarque e desembarque de passageiros. O serviço de é operado pela Schifffahrtsgesellschaft des Vierwaldstättersees (SGV), que atende 32 localidades ao longo das margens.

O itinerário, horários e preços podem ser consultados na página oficial. Quanto ao valor da passagem eu não paguei nada porque, nesse dia, estava usando o Swiss Travel Pass, que inclui o uso de todos os transportes públicos e também a entrada da maioria dos museus do país. No meu caso, o passe também me garantiu a o ônibus até Kriens, a subida de teleférico e a descida de trem nesse passeio pelo Monte Pilatus. Para o teleférico e o trem, atualmente, o passe dá desconto de 50% (quando eu fui era 100%).

Itinerário de Alpnachstad para Lucerna
Itinerário de Alpnachstad para Lucerna

À primeira vista, é um tanto complicado entender tantos nomes estranhos, números e símbolos das tabelas de itinerário. Vou colocar destacado aqui apenas o que eu fiz para tentar esclarecer um pouco. Para começo de conversa, há opções diferentes no inverno, primavera, verão e outono. Então você deve abrir na página oficial o período que corresponde à sua viagem. No meu caso, foi na primavera. Depois, é preciso identificar qual o trajeto. Para mim, foi Alpnachstad  → Stansstad → Luzern. O símbolo da taça indica que esse barco oferece serviço de bar e lanches (alguns tem restaurante completo). Também há desenhos que marcam se a parada tem conexão com estação de trem, de teleférico e de funicular. No meu itinerário, saí de Alpnachstad às 15h10 e cheguei em Lucerna às 16h25. As paradas vão variar dependendo do horário e, obviamente, você também pode fazer o caminho inverso.

Montanha vista do lago
Montanha vista do lago

No dia que eu fiz esse passeio, o dia não estava tão bonito quanto eu gostaria. Ainda assim, achei que valeu a pena voltar de barco para fazer algo diferente e apreciar a paisagem. Geograficamente falando, o lago possui uma forma complexa, cheia de curvas e braços, sendo rodeado por montes, incluindo o Rigi e o Pilatus. Ao todo, possui uma área de 114 km2 e profundidade máxima de 214 metros. No trajeto, que durou uma hora e quinze minutos, deu para ver diversas cidadezinhas pitorescas, áreas cobertas de grama verde e árvores e os picos dos montes nevados.

Parte externa do barco
Parte externa do barco

Você pode ficar tanto na parte interna, quanto fora do barco. Não tem lugar marcado, mas nesse dia estava tranquilo e, de qualquer maneira, é bem grande. Se você quiser ficar em uma área específica, recomendo que fique esperto para embarcar primeiro. A gente pegou uma mesinha na área externa, já que não estava mesmo batendo sol (tenho pavor de ficar queimado) e nem muito frio (estava todo mundo agasalhado), mas também fiquei dando umas voltas para ver tudo de diferentes ângulos e tirar fotos.

Chegada do barco em Lucerna
Chegada do barco em Lucerna

A chegada em Lucerna é na Bahnhofquai, porto que possui conexão com a estação central de trem e uma parada de ônibus no centro histórico da cidade. Dali você pode seguir passeio ou pegar um transporte para voltar para a sua acomodação. Eu estava hospedado no HITrental Allmend Comfort Apartments, então foi só pegar um ônibus e rapidinho estava em casa.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s