Centro histórico

Lausanne – Passeio pelo centro histórico

Lausana, como é chamada em português, é a segunda maior cidade às margens do Lac Lemán, também conhecido como Lago Genebra. É um local cheio de história, já que foi ocupada pelos celtas e, posteriormente, por um acampamento militar do Império Romano. A maior parte dos atrativos, entretanto, data da era medieval até os dias atuais.

Fondation de l'Hermitage
Fondation de l’Hermitage

O ideal é começar o passeio pela parte alta e ir descendo – sou adepto do ditado popular de que para baixo todo santo ajuda. Recomendo passar primeiro na Fondation de l’Hermitage, um museu de arte que funciona em um casarão do século XIX e se encontra dentro de um belo parque. Quando eu fui, havia ali uma bela exposição de obras-primas do impressionismo e pós-impressionismo, além da coleção permanente e da arquitetura do local, que é uma atração a parte. Após a visita, você pode fazer uma agradável caminhada de cerca de 500 metros rumo ao centro histórico.

Château Saint-Marie
Château Saint-Marie

Construído entre os anos de 1397 e 1425, o Château Saint-Marie servia como uma residência fortificada até 1536, quando Berna invadiu a cidade e secularizou o bispado. Na ocasião, o bispo Sébartien of Montfalcon fugiu por uma passagem secreta. O edifício foi, então, usado como arsenal e passou por algumas mudanças ao longo dos séculos. Com a criação do Cantão de Vaud, em 1803, do qual Lausana é a capital, tornou-se a sede do governo.

Palais de Rumine
Palais de Rumine

Dali você caminha em direção à Place de la Riponne, uma grande praça onde se destaca o Palais de Rumine. Na ocasião de sua morte, Gabriel de Rumine, filho da nobreza russa, deixou de herança para a cidade de Lausana uma quantia de 1.5 milhões de francos suíços, que deveriam ser empregados na construção de um edifício para uso público. Os trabalhos tiveram início em 1892 e a inauguração aconteceu depois de uma década. Atualmente, encontram-se ali a Bibliothèque Cantonale Universitaire e cinco museus: Musée Cantonal d’Archéologie et d’Historie; Musée Cantonal de Géologie; Musée Monétaire Cantonal; Musée Cantonal de Zoologie e Musée Cantonal des Beaux-Arts. As informações de dias e horários de funcionamento, bem como sobre exposições temporárias e eventos, podem ser acessadas na página oficial.

Escaliers de l'Université
Escaliers de l’Université

À direita do palácio fica a Escaliers de l’Université. Esse nome é porque o palácio foi usado, inicialmente, como sede da Université de Lausanne, que foi transferida nos anos 1980 para fora da cidade por necessidade de mais espaço. Após subir a escadaria, você encontra ao seu lado a Place de Madeleine, de onde se tem uma boa vista do centro histórico. Seguindo em frente, chega-se à catedral.

Cathédrale de Lausanne
Cathédrale de Lausanne

A Cathédrale de Lausanne é considerada um dos mais belos edifícios góticos de toda a Suíça, com muitos detalhes esculpidos nas fachadas, imponentes vitrais e um moderno órgão. Consagrada em 1275, a catedral é dedicada à Virgem Maria sob o nome de Notre-Dame de Lausanne. Eu sempre falo que, independente de ter alguma inclinação religiosa, vale a pena visitar essas igrejas por sua arquitetura e arte, além do valor histórico. A entrada é gratuita, mas você paga para subir na torre, onde há um pequeno museu, os sinos e uma vista privilegiada da cidade.

Musée Historique de Lausanne
Musée Historique de Lausanne

Ao lado da catedral encontram-se dois importantes museus. O Musée Historique de Lausanne, que funciona no edifício onde ficava o bispo, apresenta a história da cidade com destaque para o passado artesanal, industrial, econômico, artístico, social e político. Todas as informações estão na página oficial. Já focado no presente, o Musée de Design et d’Arts Appliqués Contemporains, ou simplesmente mudac, possui coleções focadas em objetos e esculturas de jovens artistas. Não cheguei a visita-lo, então deixo o endereço da página oficial para informações sobre funcionamento e calendário das exposições.

Descendo os Escaliers du Marché
Descendo os Escaliers du Marché

Dali você deve tomar o rumo da praça principal do centro histórico. Para isso, recomendo descer a ladeira pela Escaliers du Marché, uma escadaria existente pelo menos desde o século XIII. Parte dela foi destruída para a passagem de uma rua, mas encontra-se artificialmente restaurada com a abertura de uma passagem subterrânea, cujas paredes estão tomadas por grafites e pichações. Mais para baixo encontra-se a estrutura original, com degraus de pedra e cobertura em madeira.

Escaliers du Marché
Escaliers du Marché

A parte inferior proporciona uma boa foto da subida e da catedral. A pitoresca escada possui esse nome porque, na Idade Média, funcionava ao seu lado um mercado de rua. Atualmente, o espaço é ocupado por boutiques e cafés, podendo ser uma boa opção para quem quiser uma pausa para lanchar ou almoçar.

Durig Chocolatier
Durig Chocolatier

Eu escolhi entrar na Durig Chocolatier, que vende chocolates orgânicos finos. A moça que nos atendeu foi muito simpática e deixou que experimentássemos algumas das trufas, todas maravilhosas. Impossível sair de lá sem comprar uma barra, trufa ou outro chocolate, todos produzidos artesanalmente no local e sem nenhum aditivo artificial, seja para cor, sabor ou conservante. A parada ali é uma boa pedida para tomar um chocolate quente nos dias gelados – eu fui na primavera, mas estava nublado e bem friozinho mesmo assim. Eles também oferecem workshops de fabricação de chocolate. Todas as informações estão na página oficial.

Fontaine de la Justice
Fontaine de la Justice

A um quarteirão dali fica o ponto central dessa região da cidade, a Place de la Palud. A praça foi construída entre os rios Flon e Louve, em uma área pantanosa. É uma grande rua fechada para o trânsito de carros onde se destaca a colorida Fontaine de la Justice, em estilo renascentista. Esse chafariz data do século XVI e ganhou, em 1585, a coluna e a estátua esculpidas por Laurent Perroud de Neuchâtel, responsável pela construção de várias fontes no lado oeste da Suíça, e seu filho, Jacques. A escultura apresenta uma mulher vendada carregando uma espada e uma balança, com o papa, o imperador, o grão-turco e um magistrado se submetendo aos seus pés. A coluna ornamental é decorada com folhas e brasões da cidade e trata-se de uma réplica, já que a original é mantida no Musée Historique de Lausanne. Os esplêndidos bicos remontam de 1557-1559 e a bacia dodecagonal foi construída em 1726.

Outro grande atrativo é o relógio mecânico que se encontra na fachada de uma das construções perto da fonte. Ele foi encomendado pela associação de comerciantes da cidade para a Exposição Nacional Suíça de 1964 e completamente renovado em 2005. Entre 9h da manhã até as 19h da tarde, a cada hora completa, aparece uma animação no relógio representando figuras importantes e cenas históricas do Cantão de Vaud, com narração em francês. É preciso estar atento porque é um evento rápido e se você perder, só haverá outro uma hora depois.

Hôtel de Ville
Hôtel de Ville

Entre os prédios, destaca-se o Hôtel de Ville, prefeitura da cidade. O prédio foi construído pelo arquiteto Abraham de Cousaz entre 1673 e 1675 no local da antiga prefeitura. O imponente edifício serviu a muitos propósitos para a população: politicamente, era a casa e o símbolo do poder da cidade; economicamente, abrigava um mercado no seu piso térreo; em termos de defesa, possuía sinos que alertavam sobre os perigos.

Essa parte da cidade é repleta de lojas e restaurantes. Também é uma ótima região para passar a noite, já que concentra a maior parte dos atrativos turísticos. Eu fiquei no Hôtel Residence du Bolevard, próximo à estação de trens, a cerca de 1 km da Place de la Palud.

Place de la Palud
Place de la Palud

Nas quartas e sábados é realizada uma feira ao ar livre na praça. Há também uma feira de artesanato na primeira sexta-feira de cada mês, de março a novembro, além das feiras de Natal em dezembro. No mais, vale a pena caminhar pelas ruas da região, que estão repletas de construções medievais, descobrindo cantinhos fotogênicos.

Abaixo disponibilizo o mapa interativo com os pontos que visitei marcados e a sugestão de trajeto de passeio pelo centro histórico descrito nessa postagem. É possível aproximar para ver mais detalhes. O passeio pode ser combinado com outros atrativos da cidade, como o Parc de Sauvabelin, a Esplanade de Montbenon, uma caminhada ou tour de barco no Lac Lemán e a visita ao Le Musée Olympique.

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s