Localização de Lugano no Mapa Mundi

Lugano – Geografia e clima

A primeira cidade que eu visitei na Suíça foi Zurique, pois lá chegava o voo da Swiss Airlines que eu peguei saindo de São Paulo. A partir dali, passeei pelo país em sentido horário, ou seja, visitei primeiro a parte norte, desci com o tour do Bernina Express e parei em Lugano. Posteriormente, eu completaria o círculo até chegar novamente ao ponto de partida. O interessante foi que, fazendo esse movimento, eu pude sentir claramente a mudança de clima entre as regiões, devido à localização e à altitude, mas também por causa do avanço da primavera, já que eu fiquei lá praticamente um mês.

O fato é que eu cheguei em Lugano com um dia aberto, um sol belo e um calorzinho que chegou a causar certa estranheza. A cidade possui clima úmido subtropical, caracterizado por invernos leves e verões quentes. Na verdade, eu acho que dei um pouco de sorte nesses dois dias que passei lá, pois maio é o mês com maior número de dias com chuva, como se pode observar na tabela abaixo.

Tabela do clima de Lugano

Vamos analisar juntos os dados acima. Como se pode observar, Lugano não é uma cidade com clima extremo. Atenção: as temperaturas máximas e baixas são médias, ou seja, há dias mais quentes e mais frios que esses. Os meses de inverno são frios, mas nada que vá te dar a sensação de morte congelante. Já o verão é quente, mas você não sentirá que já morreu e está no seu lugar de merecimento, o inferno. Ok, eu confesso que sentiria bastante calor com os termômetros próximos aos 30°C. E peço desculpas por ter insinuado que você irá para o inferno, não sei da sua vida.

Lunch Tour no Lago di Lugano
Lunch Tour no Lago di Lugano

Enfim. Ao pesquisar sobre os passeios na cidade e na Suíça em geral, defini que o inverno não seria a melhor opção para a viagem, pois alguns dos atrativos mais importantes estariam fechados. Em Lugano, por exemplo, nessa época, as opções de passeios de barco são bem mais limitadas e o funicular para subir o Monte San Salvatore fica fechado. Mesmo o Monte Brè deve perder um pouco a graça, já que passeios em áreas externas pedem um clima mais agradável, flores brotando, clima de paquera.

Calçadão do Giardino Belvedere
Calçadão do Giardino Belvedere

Outra questão a se considerar ao definir a data da viagem é a duração do dia. Nesse quesito, o inverno também perde pontos, já que se tem uma média de 9 horas de luz do sol. A coisa melhora na primavera, quando esse tempo ultrapassa as 13 horas. Isso quer dizer que você ganha tempo para passear durante o dia. Em Lugano, eu não visitei museus ou outros passeios internos, então foi ótimo ficar batendo perna na rua e só anoitecer depois das oito horas da noite, principalmente porque cheguei lá depois de fazer o passeio do Bernina Express, que termina no meio da tarde. Nesse mesmo dia, consegui passar no hotel ibis budget Lugano Paradiso, fazer check-in e deixar as minhas malas, andar no calçadão do Giardino Belvedere às margens do Lago di Lugano, visitar o centro histórico da cidade e ainda passear no Parco Ciani, de onde vi o pôr-do-sol. Ou seja, o dia rendeu muito!

Monte San Salvatore
Monte San Salvatore

Obviamente que eu tive que contar também um pouco com a sorte. Maio é o mês com mais chuva em Lugano, mas eu peguei dois dias lindos de sol. Já se o seu objetivo é ver neve, essa não é a cidade mais adequada. Apesar de fazer um friozinho no inverno, são raros os dias de neve na cidade.

Eu, que tenho liberdade de tirar férias no mês que eu quiser, tenho escolhido sempre viajar na primavera ou no outono. Além de serem estações com clima intermediário, são considerados baixa temporada na maioria dos lugares, pois não coincidem com as férias escolares do Brasil e nem dos outros países. Com isso, tudo fica mais barato e menos cheio.

Vista de cima da igreja
Vista do Monte San Salvatore

Lugano se encontra às margens do lago de mesmo nome, ao sul dos Alpes Suíços, entre o Monte San Salvatore e o Monte Brè. O centro da cidade é próximo ao local onde o Rio Cassarate entra no lago, junto ao Parco Ciani. Quando eu digo centro, estou me referindo à parte histórica e mais comercial, porque a cidade em si é pequena. Apenas depois de se unirem as municipalidades próximas, a população ultrapassou os 60.000 habitantes, se tornando a maior cidade do Cantão de Ticino. Como se pode imaginar, uma boa parte dessa população é nativa italiana. De qualquer maneira, não tive nenhuma dificuldade de me comunicar em qualquer ponto turístico, restaurante, hotel ou meios de transporte em inglês.

Lugano vista do Monte Brè
Lugano vista do Monte Brè

Apesar de pequena, Lugano oferece muito em termos de turismo. Uma das coisas que eu fiquei com vontade de fazer e não tive tempo foi me aventurar em uma das muitas trilhas pelos montes que circundam a cidade. São mais de 300 km de caminhos a serem percorridos a pé ou de bicicleta, simplesmente a maior malha de trilhas de toda a Suíça. Além dos passeios ao ar livre, há muitos prédios históricos, bibliotecas, igrejas, museus e outros atrativos que não tive oportunidade de ver. Com certeza vai valer a pena voltar lá em uma próxima oportunidade.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s