Localização de Lausanne no Mapa Mundi

Lausanne – Geografia e clima

Lausana, como é chamada em português, fica na parte francesa da Suíça e é a capital e maior cidade do Cantão de Vaud. Podemos entender o conceito de “cantão” no país como as divisões dos estados no Brasil. Devido à sua localização, Lausanne é um bom ponto de partida para passeios pela região, pois fica no meio do caminho entre Genebra e Montreux. Dali eu também fui até Gruyères, a vila onde é fabricado o famoso queijo de mesmo nome. Essas viagens foram todas feitas de trem, um meio de transporte que funciona muito bem em todo o país e que eu podia usar livremente com meu Swiss Travel Pass.

Mas a mais importante característica geográfica de Lausanne é estar às margens do Lac Léman, em português Lago Lemano. Muita gente fala Lago Genebra, mas esse nome faz referência somente à parte mais ao sul, perto da cidade de mesmo nome.

Lac Léman
Lac Léman

Outro fator importante é que a cidade se estende por uma elevação com variação de cerca de 500 metros, sendo a parte mais baixa próxima ao lago. Com isso, o passeio envolve algumas subidas e descidas, que são recompensadas pela maravilhosa vista proporcionada pelos lugares mais altos. Alguns dos pontos que eu visitei e que garantem uma visão panorâmica são a torre de madeira no Parc de Sauvabelin, as proximidades da Fondation de L’Hermitage, no parque de mesmo nome, a torre dos sinos da Cathédrale e, principalmente, o extenso gramado do Esplanade de Montbenon. De qualquer um deles é possível ver não apenas o lago, mas também os Alpes com seus picos nevados.

Parc de Sauvabelin
Parc de Sauvabelin

Lausanne tem uma área de cerca de 40.000 km2, dos quais a maior parte é de floresta (39%) ou usada na agricultura (16%), além de uma pequena parte de rios, lagos ou terras improdutivas. A parte construída da cidade representa cerca de 44.5% do terreno, que inclui indústrias, moradias, infraestruturas de transporte, energia e água, além de parques e campos esportivos.

A cidade se desenvolveu às margens do ancestral rio Flon, que se encontra coberto na parte central da cidade desde o século XIX, na maior parte do trajeto seguindo o que é, hoje, a Rue Centrale. Essa parte da cidade tem várias pontes e escadarias devido ao desnível das ruas. Uma das mais famosas é a Escaliers du Marché, que possui esse nome porque ali funcionava uma feira de rua há centenas de anos atrás.

Escaliers du Marché
Escaliers du Marché

Essa escadaria liga a parte mais baixa do centro histórico à famosa e imponente Cathédrale, a Notre Dame de Lausanne. É interessante destacar que, após a Reforma durante o século XVI, a cidade se tornou majoritariamente protestante. Isso mudou no século XX com a chegada de muitos imigrantes, em sua maioria católicos.

Falando nisso, da população atual cerca de 40% são estrangeiros, vindos principalmente de Portugal, França, Itália, Espanha, Kosovo e Alemanha. Eu mesmo fui atendido em um ou outro lugar turístico em português – as pessoas usam bandeirinhas para mostrar as línguas que dominam, então fica fácil identificar. No censo de 2016, a população era de 137.810 habitantes. Pode parecer pouco, mas trata-se de uma das maiores cidades da região.

Gráfico com as médias do clima de Lausanne

Agora vamos ao clima, um fator muito importante para definir a melhor data para se conhecer a cidade e região. Lausana possui as estações do ano bem definidas. Isso quer dizer que o inverno é frio, com temperaturas próximas a 0° C. Já no verão faz calor, embora as noites também possam ser frescas. Observe que a tabela acima mostra as médias mensais, ou seja, há dias em que faz mais calor e outros em que faz mais frio. Você pode levar em conta a temperatura para ir em uma época que lhe agrade mais. Eu sempre procuro viajar na primavera ou no outono, assim evito as temperaturas mais extremas e as altas temporadas, quando tudo fica mais cheio e caro.

Com relação à chuva, não há tanta variação durante o ano, já que as precipitações estão bem distribuídas. O mês mais molhado é maio, justamente quando eu estive lá. Realmente peguei uma chuvinha, mas nada muito expressivo ou que atrapalhasse o passeio. O mês mais seco seria fevereiro, com alguma possibilidade de ver cair neve.

Parc Olympique
Dia chuvoso na cidade

Um fator que eu acho que faz muita diferença e poucas pessoas prestam atenção é a duração do dia. Para se ter uma ideia, em dezembro o dia chega a durar apenas umas 8h. No auge do verão, no meio do ano, o sol reina por cerca de 16h. Isso quer dizer que os dias de inverno são bem curtinhos, anoitece muito cedo. Já na primavera, quando eu fui, só ia escurecer depois das 20h, então dá para aproveitar mais tempo passeando. Fora que a população aproveita os dias mais quentes para sair na rua, realizar eventos diversos ao ar livre, passear nos parques. Ou seja, a cidade ganha vida.

Falando assim fica parecendo que eu detesto o inverno, não é bem assim. Ele também tem seus atrativos, mas algumas atrações podem se encontrar fechadas ou com opções limitadas, como passeios de barco no lago, por exemplo. Leve isso em consideração e boa viagem!

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s