Chegada no porto de Morro de São Paulo

Morro de São Paulo – Praias da vila e região

As minhas idas a Morro de São Paulo me deixaram bastante satisfeito por motivos diversos. O clima do local é super tranquilo, como deve ser em um passeio que você vai com o objetivo de relaxar corpo e mente do dia-a-dia da vida bandida. O fato de não circularem carros por lá é um alívio tremendo, pois tira de todos a preocupação com trânsito, local para estacionar, preço de gasolina, etc. A vila é pequena, então tudo o que você precisa é de fácil acesso, mesmo que a localização da sua hospedagem não seja a mais estratégica. Há opções de ótimos restaurantes, que podem servir comida baiana ou focar na culinária de países diversos. E ainda existe um viés histórico, já que a ilha foi ocupada desde os primórdios da colonização do Brasil e algumas construções antigas servem como testemunho da sociedade de séculos atrás. Enfim, muita coisa boa em um só lugar. Mas, é claro, o grande destaque para os turistas são as praias, com suas paisagens paradisíacas.

Farol visto da Primeira Praia
Farol visto da Primeira Praia

Em Morro de São Paulo é fácil entender a disposição das praias porque elas não poderiam ter nomes mais claros: primeira, segunda, terceira… A Primeira Praia é bem pequena e fica aos pés do Morro do Farol. Também é destaque na programação aventureira da cidade, já que quem desce da tirolesa cai nas suas águas. Com poucas barracas, é um lugar calmo, com piscinas naturais e intensa vida marinha entre os recifes de corais.

Não cheguei a passar um dia na Primeira Praia. Entrei no mar e curti um pouco ficar deitado ali nas águas rasas e calmas, com uns peixinhos que parecem ter confundido meus dedos branquelos com minhocas, já que ficavam me mordiscando, mas logo depois segui minha caminhada na direção sul.

Segunda Praia de Morro de São Paulo
Segunda Praia de Morro de São Paulo

A Segunda Praia é, sem dúvida alguma, a mais agitada da região. A faixa de areia entre o mar e os restaurantes, pousadas e comércio em geral é bem extensa, permitindo que seja colocada ali uma ótima estrutura para atender aos turistas. Além de muitas barracas de cadeiras, há espaço para a prática de esportes como vôlei. O pessoal também aproveita as águas calmas do mar para fazer o stand up paddle, que consiste em ficar em pé em uma prancha e remar – algumas pessoas se adaptam bem e conseguem dar várias voltas para apreciar a paisagem, enquanto outras procedem em uma sequência de tombos que parece não ter fim. Essa praia também é destaque na programação noturna da cidade, com várias barraquinhas de drinks e música ao vivo.

Passarela da Terceira Praia
Passarela da Terceira Praia

O grande destaque da Terceira Praia é por ser local de saída dos passeios de barco, notoriamente os que fazem o tour Volta à Ilha, o mais famoso da região. Na parte em que há restaurantes, agências de turismo e pousadas, a faixa de areia é bem limitada e fica totalmente encoberta na maré cheia, então não é o melhor local para banho. Nesse momento, o trajeto precisa ser feito pela passarela de madeira se você não quiser se molhar todo.

Caminhada pela Quarta Praia
Caminhada pela Quarta Praia

Continuando a descida para a parte sul da ilha e se afastando da parte com maior concentração de construções, chega-se à Quarta Praia. Trata-se de um local mais voltado para a caminhada e contato com a natureza, já que o número de turistas se reduz drasticamente e as poucas barracas ficam afastadas umas das outras. Para quem busca tranquilidade, é um ótimo local para passar o dia.

Se tiver muito ânimo, é possível caminhar até a Quinta Praia, também chamada de Praia do Encanto. Como a paisagem não muda muito, confesso que eu preferi ficar na quarta, já que ainda teria que fazer o caminho de volta e não estava disposto a encarar quilômetros de caminhada na areia. Além disso, como essas praias são mais isoladas, ouvi boatos de que há registros de roubos a turistas, então preferi não arriscar.

Piscinas Naturais de Garapuá
Piscinas Naturais de Garapuá

As piscinas naturais da Praia de Garapuá são um dos pontos de parada do passeio Volta à Ilha. Não visitei a parte da areia em si, já que o barco nos deixa mais para dentro do oceano. Ali ainda dá pé, então não é preciso saber nadar. O grande destaque é para os cardumes de peixes que circulam entre os recifes de corais, então é bom estar equipado com um snorkel e câmera/celular à prova d’água. No meu caso, levei meu celular dentro de um desses cases de plástico – não se esqueça de verificar antes a qualidade do produto para evitar danos ao seu equipamento e use sempre com uma cordinha presa ao braço.

Piscinas Naturais de Moreré
Piscinas Naturais de Moreré

Também com piscinas naturais e vários peixinhos, as piscinas naturais da Praia de Moreré ainda possuem bar no meio do mar com venda de bebidas. O pessoal encarou uma cerveja para refrescar um pouco do sol que fazia no dia, mas eu continuei focado no snorkeling. Mesmo porque, o trajeto feito pelo barco é bem agitado e algumas pessoas passam mal – prefiro não arriscar.

Também durante o passeio Volta à Ilha, fizemos paradas em Boipeba, mas o tempo foi usado basicamente para o almoço e uma caminhada que passa pela parte central da vila. Além disso, passamos por Canavieiras e Cairu antes de voltar para Morro de São Paulo.

Paredão de argila
Paredão de argila

A Praia de Gamboa é pouco explorada pelos turistas, que preferem o acesso fácil às praias mais famosas de Morro de São Paulo. Apesar disso, algumas pessoas se aventuram a fazer uma caminhada até o local, o que eu recomendo principalmente se você vai passar muitos dias na ilha e busca diversidade de passeios. Os grandes destaques de Gamboa são a tranquilidade e o paredão de argila com propriedades hidratantes – os mais animados se besuntam da cabeça aos pés, como se fosse realmente uma fonte da juventude. É, no mínimo, divertido. No trajeto para o local, também se passa pela Praia da Pedra, um local extremamente tranquilo e com formação de piscinas naturais.

Caminho para os fortes
Caminho para os fortes

A Praia do Porto de Cima é, como o próprio nome sugere, aquela que fica abaixo do cais. Vista pela maioria dos turistas que chegam à cidade de catamarã ou outras embarcações, não é um local muito frequentado porque a faixa de areia só aparece na maré baixa. Eu comecei ali a minha caminhada até a Praia da Gamboa. Já para o norte do cais, quando se faz a caminhada até as ruínas da Fortaleza do Tapirandu, está a Prainha do Forte. Assim como a anterior, a areia fica encoberta pelo mar em grande parte do tempo e o local não é muito frequentado pelos visitantes.

Existem ainda outras praias na região, mas essas foram as que eu visitei. Algumas são menos acessíveis e ideais para quem curte fazer trilha e buscam um ambiente mais sossegado. Outras a gente até passa durante passeios de barco, mas nem fica sabendo o nome. De qualquer maneira, o que vale é destacar que a ilha é um local pode e deve ser explorado, porque há muito o que se descobrir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s