Circuito Canárias

Parnaíba – Circuito Canárias

Após percorrer mais de mil quilômetros dividindo os estados do Piauí e Maranhão, o Rio Parnaíba se abre em cinco braços e vários igarapés, envolvendo mais de setenta ilhas fluviais até encontrar o mar, um trecho conhecido como Delta do Parnaíba. Sua exuberante paisagem contempla dunas de areia, mangues e ilhotas que formam um santuário para animais e vegetação. O atrativo faz parte da Rota das Emoções.

Barcos no porto
Barcos no porto

A cidade de Parnaíba, segunda maior do estado piauiense, possui boa estrutura para receber os turistas e é considerada a porta de entrada para os passeios de barco que exploram o rio. O primeiro que eu fiz foi o Circuito Canárias, reservado em uma das agências no Porto das Barcas. Existem algumas opções de embarcações e eu escolhi o tour compartilhado em lancha rápida, com duração média de quatro horas. A outra opção era um barco grande, com muita gente e música alta, algo que eu não estava no clima. Simplesmente acho que a natureza combina mais com calma e contemplação.

Porto dos Tatus
Porto dos Tatus

Esse passeio é feito durante a manhã e, no horário combinado, o motorista passou para nos buscar na porta da Pousada Vila Parnaíba, onde eu e outros dos viajantes estávamos hospedados. Dali, atravessamos a ponte para a Ilha Grande de Santa Isabel e percorremos uns dez quilômetros no ônibus, que era confortável e tinha ar-condicionado. O destino é o Porto dos Tatus, de onde saem as embarcações e começa o passeio em si. Ali tem uma lojinha para aqueles que desejam comprar água e lanche. Quem está de carro alugado por fazer esse percurso por conta própria, com mais liberdade de fazer paradas como na Casa das Rendeiras.

Dunas do Morro Branco
Dunas do Morro Branco

É importante usar roupas leves, chapéu bem preso à cabeça e muito protetor solar, pois faz bastante calor na região e boa parte do tempo ficamos sob o sol. A primeira parada é nas Dunas do Morro Branco. Nos primeiro semestre do ano, as águas das chuvas vão se acumulando e formam diversas lagoas de água doce em meio aos montes de areia. Como eu fiz o passeio em outubro, elas já estavam secas, mas dava para aproveitar a parada tirando fotos da paisagem ou se refrescando no rio.

Igarapé dos Periquitos
Igarapé dos Periquitos

Dali seguimos para o Igarapé dos Periquitos, que é percorrido com menos velocidade para não perturbar a paz do local e o trabalho dos pescadores. Durante o trajeto, o guia vai contando detalhes sobre o que estamos vendo, como as espécies de plantas e seus usos. Mas também são relatados costumes e lendas da população ribeirinha, o que torna o passeio mais interessante. 

Caranguejos no mangue
Caranguejos no mangue

Nesse trecho é possível avistar alguns animais, sendo que o mais comum são os caranguejos, que se destacam com a cor vermelha. Ao passar por uma armadilha, o barqueiro aproveitou para explicar como funciona a pesca e até mostrou a diferença entre as fêmeas e os machos, sendo que somente esses últimos podem ser consumidos como forma de preservar a espécie. Também vimos pássaros, mas ouvi relatos de gente que encontrou macacos e outros bichos.

Pesca do caranguejo
Pesca do caranguejo

O curso d’água é protegido por duas unidades de conservação federais: a Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba e a Reserva Extrativista Marinha do Delta do Parnaíba, sendo essa última a responsável por conciliar a sustentabilidade natural com o modo de vida e o território das populações tradicionais que vivem da pesca artesanal. Para isso, é essencial que os pilotos de embarcações e os os praticantes de atividades esportivas respeitem a natureza, evitando a área onde os pescadores estão trabalhando e, ao passar próximo, reduzir a velocidade para evitar danos aos instrumentos, por exemplo.

Ilha dos Poldros
Ilha dos Poldros

A próxima parada, dessa vez mais longa, foi feita na Ilha dos Poldros, uma das mais famosas do delta. Ali as pessoas do meu passeio e de outras embarcações que estavam ancoradas se dividiram entre tomar banho de rio ou no mar, contratar um buggy para ir até pontos mais distante ou simplesmente dar uma volta a pé para explorar o local. São muitos quilômetros de praia e é preciso estar atento ao relógio para voltar ao barco no horário combinado.

Baía das Canárias
Baía das Canárias

Esse é o ponto principal do passeio, na Baía das Canárias. Obviamente que, com o tempo limitado, não é possível aproveitar tanto, mas a água estava tão quentinha e gostosa que a vontade seria passar o dia inteiro ali. A boa notícia é que isso é possível, já que há algumas hospedagens na Ilha das Canárias, que pertence ao município maranhense de Araioses.

Restaurante da Doca
Restaurante da Doca

Infelizmente eu estava apenas de passagem mesmo, mas achei algumas opções interessantes como o Paraíso das Canárias e a Casa de Caboclo. É uma ótima opção para aqueles que querem conhecer melhor o local e curtir uma hospedagem tranquila. De qualquer maneira, paramos por lá para almoçar no Restaurante da Doca, com indicação do barqueiro.

Moqueca de peixe
Moqueca de peixe

Além do ambiente agradável e relaxante, e nessa hora já estava batendo uma moleza devido ao horário e o sol quente, também aproveitamos uma boa refeição. Para combinar com a paisagem, pedimos uma moqueca de peixe com arroz e pirão que serviu bem três pessoas, mas demorou um bocadinho para ficar pronto.

Doce caseiro de caju
Doce caseiro de caju

Depois nos sugeriram pedir de sobremesa um doce caseiro de caju que estava simplesmente divino. A textura e a aparência lembravam uma ameixa em calda, mas com o gosto característico da fruta e servido com um creme para contrabalancear o açúcar. Só de rever a foto me dá água na boca.

Volta pelo rio
Volta pelo rio

No comecinho da tarde, chegou a hora de voltar, aproveitando novamente a paisagem do Rio Parnaíba. Algumas pessoas, principalmente quem está com menos tempo disponível na cidade, já ficam no porto para emendar com o Circuito Revoada dos Guarás, mas eu acho que fica muito cansativo e preferi dividir em dois dias. Com isso, pegamos o transporte da agência para voltar ao hotel e aproveitei para dar uma voltinha no centro histórico da cidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s