Localização de Genebra no Mapa Mundi

Genebra – Geografia e clima

Genève é a segunda mais populosa cidade da Suíça, ficando atrás apenas de Zurique. Se formos considerar apenas a parte francesa do país, é certamente a maior e mais importante. Trata-se de uma capital global de importância no mundo financeiro, centro mundial da diplomacia devido à presença de organizações internacionais como o escritório da ONU, local de surgimento do calvinismo, entre muitos outros destaques.

A população da cidade é consideravelmente pequena, com cerca de 200 mil habitantes. A região metropolitana, que abarca todo o cantão de Genebra, o distrito de Nyon do cantão de Vaud e ainda algumas vizinhanças francesas chega a 1 milhão. Desses, a maior parte fala francês, que é a língua oficial. Mas, como a região recebeu muitos imigrantes de outros países, muitos também falam inglês, espanhol, italiano, alemão e português. Para se ter uma ideia, em 2013, 48% da população era composta por estrangeiros. Eu me virei bem em toda a Suíça só falando inglês.

Porto do Lac Léman
Porto do Lac Léman

Assim como falei na postagem sobre Lausanne, o aspecto geográfico mais marcante de Genebra é a presença do Lac Léman e as montanhas em volta da cidade: Jura, Vuache e Salève. Da perspectiva turística, o lago chama a atenção pelo famoso jato de água que se tornou um dos símbolos da cidade e pelos passeios de barco. Do ponto de vista geográfico, é o maior e com mais quantidade de água da Europa Central, garantindo ao entorno um clima ameno. A parte mais ao sul, próxima à cidade, muitas vezes é chamada de Lago Genebra, mas o correto mesmo em português é Lago Lemano. A parte do lago que fica próxima à cidade possui uma área de 38 km2 e é muitas vezes chamada de Petit Lac (lago pequeno). De suas águas sai o Rio Rhône, que segue pela França em direção ao sul até encontrar o mar.

Vista do topo do monte
Vista do topo do Mont Salève

Aliás, olhando pelo mapa, a cidade está praticamente dentro da França. O cantão (que pode ser entendido a grosso modo como a divisão dos estados brasileiros) só possui 4.5 km de fronteira com o restante da Suíça, enquanto a ligação com a França é de mais de 100 km. Parece um puxadinho para dentro de outro país. Eu fui de ônibus urbano até a fronteira entre os dois países para fazer o passeio para o Mont Salève. Dali você faz uma curta caminhada a pé até a estação do teleférico para subir a montanha, de onde se tem uma vista privilegiada da região.

Genebra vista da passarela
Genebra na primavera

O clima de Genebra é temperado oceânico. Isso quer dizer que os invernos são frescos, normalmente acompanhados de geadas a noite que se desfazem durante o dia. Já os verões são relativamente quentes. Por ter menos turistas, os preços serem mais baixos e as temperaturas menos rigorosas, tenho escolhido sempre viajar na primavera ou no outono, fora das altas estações. No caso de Genebra, passei por lá em maio por dois dias – aproveitei o sol para fazer a subida ao Mont Salève e visitar o centro histórico, enquanto o dia mais fechado e com uma eventual chuvinha leve foi reservada para museus e passeios internos. Apesar das nuvens, não foi nada que atrapalhasse o passeio. Não senti calor, mas também não precisei usar roupa de frio.

Falando em chuva, não há muito como fugir, já que elas são bem distribuídas durante todo o ano – o outono é um pouco mais molhado do que as demais estações. A queda de neve é rara e pouco expressiva na cidade, embora seja abundante nas montanhas próximas, que podem ser destinos para praticantes de ski.

Gráfico com as médias do clima

O gráfico acima também mostra as temperaturas médias em cada vez do ano e é possível observar que, durante o inverno, os termômetros registram números abaixo de zero. Já no verão, a população local aproveita o calor para se banhar nas águas do lago e curtir as “praias”.

Outra questão interessante de se observar é a duração do dia. No inverno amanhece tarde e anoitece cedo, o que pode prejudicar alguns passeios. Já na primavera e no verão, acontece o contrário, com a claridade do dia durando mais. A sensação que dá é que o passeio rende, pois você fica horas batendo perna e não acontece nunca. Além disso, as pessoas saem mais na rua, são realizados eventos ao ar livre e o clima fica mais alegre com os jardins floridos. Eu prefiro.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s