Ônibus panorâmico do Bernina Express

Bernina Express – Viagem no ônibus panorâmico de Tirano a Lugano

A minha viagem pela Suíça não estaria completa sem um dos famosos tours panorâmicos de trem pelo país. Para isso, escolhi o Bernina Express, que vai de Chur, na Suíça, até Tirano, na Itália. A questão é que eu não tinha interesse em ficar na Itália para dormir. Até seria uma boa oportunidade, já que eu ainda não fui ao país. O negócio é que prefiro programar as minhas viagens de modo a focar em um só lugar. Por exemplo, dessa vez era apenas Suíça. O objetivo era conhecer ao máximo o país nos vinte e poucos dias que eu tinha de férias. Pode parecer muito, principalmente para quem tem costume de pegar esses pacotes que passam por dez países em um mês. Para mim, nem deu tempo de conhecer tudo o que eu queria da Suíça. Enfim. Por sorte, descobri que eu podia dar sequência no passeio do Bernina Express com um ônibus também panorâmico, que me levaria até Lugano, de volta para a Suíça.

Trem panorâmico do Bernina Express
Trem panorâmico do Bernina Express

Os bilhetes do trem e do ônibus são vendidos juntos no Rhaetian Railway. Você pode também usar o Swiss Travel Pass e pagar apenas pela reserva dos assentos, o que fica bem mais barato. Seja qual for a opção, recomendo que faça isso com a máxima antecedência possível, porque a procura pode ser grande. Os bilhetes ficam disponíveis três meses antes da data da viagem. Fiz uma postagem específica sobre a compra de bilhete para o Bernina Express.

A viagem de trem parte de Chur pela manhã e chega em Tirano, na Itália, no horário do almoço. Daí você tem um intervalo de pouco mais de uma hora para ficar na cidade até pegar o ônibus. Dá tempo de almoçar, mas é bom escolher um restaurante que fique próximo da estação.

Restaurante Sale e Pepe
Restaurante Sale e Pepe

Eu fiz isso, mesmo porque estávamos eu e meus companheiros de viagem carregando malas. Não fizemos nenhuma pesquisa prévia de quais seriam as opções mais recomendadas na cidade. Demos uma caminhada e escolhemos pela aparência e cardápio o Ristorante Sale & Pepe, que fica a apenas um quarteirão da estação. Achei a comida bem gostosa e eles possuem um menu do dia para almoço. Não tenho parâmetros de comparação com outras opções da Itália, mas depois de passar alguns dias na Suíça, onde tudo é muito caro, achei o preço bom. Já pensando nessa passagem relâmpago pela Itália, levamos alguns euros – a moeda usada durante o resto da viagem foi o franco suíço.

Acesso ao embarque do ônibus
Acesso ao embarque do ônibus

Para pegar o ônibus, basta voltar para a estação de trem onde chegou o Bernina Express vindo de Chur. Ali há uma placa indicando que se deve descer uma escada para o Bus per Lugano. Depois de passar por uma passarela subterrânea, você subirá uma outra escada do outro lado e já está no local de embarque. Recomendo que você chegue ali com um pouco de antecedência, pois é preciso colocar as bagagens no maleiro do ônibus.

Ônibus panorâmico
Ônibus panorâmico

O ônibus não é tão panorâmico quanto o trem: na parte superior há espaço para colocar malas, as poltronas são mais próximas umas das outras e todas viradas para a frente e as janelas são menores. Ainda assim, a visão é melhor do que a de um ônibus de viagem normal, com menos divisórias nos vidros.

O que acontece ali também é que todos já estão um pouco cansados, pois a viagem de trem entre Chur e Tirano demora cerca de quatro horas, todos acordaram razoavelmente cedo e provavelmente aproveitaram o tempo livre na cidade italiana para almoçar, então bate aquele sono. De fato, algumas pessoas aproveitaram essa parte da viagem para tirar um cochilo.

Isso não quer dizer que a paisagem deva ser ignorada. Na verdade, passamos por lugares lindos. O mapa interativo acima mostra os principais pontos da viagem que, na maior parte do tempo, ocorre em solo italiano. Os destaques são o Lago di Como e o Lago di Lugano, além das pitorescas vilas de pescadores e as plantações de videiras de Veltliner. A viagem dura cerca de três horas e, assim como no trem, recebemos um guia com informações sobre o trajeto. Se você quiser informações mais completas, há um aplicativo para dispositivos móveis disponível para download que funciona como guia de áudio. Para aprender como usá-lo e para baixá-lo na Appstore ou Google Play, acesse a página oficial.

  1. Tirano

Infelizmente não tivemos tempo de fazer turismo em Tirano. Alguns destaques da cidade são a Piazza Basilia, a igreja da Madonna di Tirano com sua torre do sino datada do século XIV, os palácios históricos que testemunham o importante passado e os numerosos pequenos restaurantes que servem as ricas especialidades locais. No Sale & Pepe, eu comi um espaguete à carbonara bem gostoso.

Espaguete à carbonada do restaurante Sale e Pepe
Espaguete à carbonada do restaurante Sale e Pepe
  1. Sondrio

Como é a capital da província de mesmo nome, Sondrio tem muito a oferecer em termos de cultura e cozinha. O melhor ponto para aproveitá-las é no centro histórico, com suas pequenas lojas e restaurantes. Entretanto, graças às suas diversas trilhas, a cidade também é o local ideal de partida para explorar a Valtellina, incluindo a romântica montanha de Val Malenco.

  1. Berbenno di Valtellina

Qualquer referência feita a essa região inclui o nome de Jürg Jenatsch. Por volta de 1620, o político suíço que lutava pela liberdade tentava persuadir os cidadãos católicos de Berbenno a se converter para o protestantismo. Como resultado das revoltas que se seguiram, Graubünden perdeu controle de Valtellina por cerca de 20 anos.

  1. Morbegno

A área de Valtellina é conhecida não apenas pelos seus ótimos vinhos, mas também por sua excelente gastronomia. Isso inclui um prato especial chamado sciatt – pedaços de queijo fritos em uma massa de farinha de trigo-sarraceno. Além disso, a cidade possui várias construções que refletem a prosperidade de dias passados, quando Morbegno era um importante centro de comércio e trânsito para os mercadores venezianos.

  1. Sorico

O ônibus do Bernina Express faz uma rápida parada nessa pequena vila. O tempo é suficiente para ir no banheiro e tomar um café expresso no estilo italiano no terraço do restaurante. Eu preferi fazer a pequena caminhada até a beira do lago para tirar umas fotos, principalmente do Lago di Como, e curtir o lugar.

Lago di Como, na Itália
Lago di Como, na Itália
  1. Domaso

Essa histórica vila de pescadores é conhecida desde os tempos romanos. O local, à beira do lago, é ideal para aproveitar as águas e acampar.

  1. Gravedona ed Uniti

Essa pequena cidade se encontra na pitoresca baía do Lago di Como e possui edifícios de importância histórica, incluindo a Igreja de Santa Maria del Tiglio, que data dos idos anos do século XII e foi construída em mármore preto e branco, e o palácio construído junto ao lago pelo Cardinal Tolomeo Gallia, em 1582.

  1. Dongo

Outra pequena cidade com calçadão ao longo do Lago di Como e um ambiente mediterrâneo. Esse costumava ser o final da aventureira rota de comércio sobre o Passo de San Jorio, que tornava o mercado de bens com Ticino possível.

  1. Menaggio

Assim como Dongo, Menaggio também era um importante centro de comércio. Há tempos atrás, a bela cidadezinha que beneficiava pela sua localização ideal entre o Lago di Como e o Lago di Lugano. A animada Pizza Garibaldi continua a ser seu ponto central.

  1. Porlezza

A leste do Lago di Lugano fica essa vila de pescadores. O local é conhecido porque ali nasceu Guglielmo dela Porta, um famoso pupilo de Michelangelo, que esteve envolvido na construção da Basilica di San Piedro, em Roma.

Lago di Lugano visto do ônibus
Lago di Lugano visto do ônibus

Quando chegamos no Lago di Lugano, o clima estava bem mais aberto. Durante toda a viagem, vamos margeando os lagos, então a vista é linda. Um detalhe importante é que a vista é mais privilegiada para quem está sentado à esquerda do ônibus quando a viagem é feita no sentido Tirano → Lugano. Mas de vez em quando o ônibus sobe uns morros e vira para o outro lado, então dá para quem vai na direita aproveitar também.

  1. Gandria

A vila de Gandria marca a fronteira entre a região de Lombardy, na Itália, e o Cantão de Ticino, na Suíça. Com a sua longa história como uma cidade na fronteira de dois países, é natural que tenha sido escolhida para sediar o Museo Svizzero dele Dogane, traduzindo, Museu Suíço do Comércio. Nessa cidade, já estamos de volta à Suíça.

  1. Lugano

Depois de pouco mais de três horas de viagem, chegamos a Lugano. A cidade é contornada por duas montanhas, o Monte Bré e o Monte San Salvatore. Além disso, é o maior centro cultural e de negócios da região de Ticino, além de um popular destino turístico. Sem esquecer, é claro, do Lago di Lugano.

Vista da estação central de Lugano
Vista da estação central de Lugano

O ônibus nos deixa na estação central da cidade. Como ela fica numa parte elevada, é uma boa oportunidade de ter uma vista privilegiada da cidade. Demos algumas voltas e depois pegamos um ônibus para descer até o Hotel ibis budget Lugano Paradiso.

 

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s