Desierto Siloli

Desierto de Siloli – Árbol de Piedra

O segundo dia de passeio pelo deserto boliviano, saindo de San Pedro de Atacama, começa com a arrumação das malas, que serão novamente colocadas em cima dos Jeeps 4×4. Assim como na fronteira entre o Chile e a Bolívia, é importante separar tudo o que você pode precisar usar durante o dia, como água, filtro solar, lanche, câmera fotográfica e outros objetos, e levar em uma bagagem de mão dentro do carro.

Café da manhã
Café da manhã

Mas, antes de sair, é servido o café da manhã com pães, nos quais você pode passar manteiga ou doce de leite, alguns biscoitos e frutas. As opções de bebida são café e leite instantâneos, chá e suco. Recomendo não enrolar muito na cama, pois quem chega atrasado acaba tendo menos opções se acaba algum dos itens do cardápio. Mais uma vez, se você tem alguma restrição de alimentação ou simplesmente prefere comer outra coisa, é bom levar sua própria comida, pois não existe um mercadinho próximo onde você possa fazer compras.

4x4 cruzando o deserto
4×4 cruzando o deserto

Aliás, não existe nada, em lugar nenhum, no meio desse deserto. Eu realmente acho muito complicado alugar um carro e viajar por essas bandas. Se o seu carro atola na areia, fura um pneu, acaba a gasolina ou você se perde, deu ruim. Não há uma estrada definida, a única opção é seguir o GPS e as marcas da passagem de outros veículos. Mas se você fica preso em um lugar em que as temperaturas vão muito abaixo de zero durante a noite, isso pode representar um risco de vida – dizem que já aconteceu com turistas com guia, quem dirá os aventureiros sem rumo.

Enfim, como estávamos em um grupo com vários carros, a sensação de segurança aumenta e as únicas preocupações são achar um lugar para fazer as necessidades fisiológicas e tirar belas fotos da paisagem.

Rochas vulcânicas
Rochas vulcânicas

O Desierto de Siloli é um dos mais áridos do mundo devido à quase inexistência de chuva. A condição também é acentuada pela sua altitude, uma média de 5.000 metros acima do nível do mar. Mas o grande destaque do lugar são as rochas vulcânicas esculpidas pela erosão causada pelos ventos, perto das quais é feita uma parada. Os turistas ficam livres para caminhar e subir nas formações para tirar fotos por cerca de meia hora, mas é preciso tomar cuidado com as pedras soltas.

Árbol de Piedra
Árbol de Piedra

O ponto mais famoso do local é a Árbol de Piedra, ou árvore de pedra, que foi esculpida naturalmente até atingir essa forma que se assemelha a uma árvore. Como a base é mais fina, não é permitido subir nela para evitar o desgaste. Pelos pedaços que ficam próximos, é possível concluir que eles foram caindo com o tempo. Eventualmente, essa formação, que foi recentemente declarada monumento natural da Bolívia, também deverá se desfazer. Mas é melhor que isso aconteça naturalmente, sem a interferência humana.

Turistas escalando as rochas
Turistas escalando as rochas

O lugar é bem extenso e o tempo limitado, então a nossa tendência é sair correndo para ver o máximo possível. É legal lembrar que, se o seu corpo não estiver bem adaptado à altitude, o exercício físico pode contribuir para o aparecimento dos sintomas do mal de montanha. Para evitar esse inconveniente, beba bastante água e segura a tua onda na hora das escaladas, faça tudo com calma.

Anúncios

2 comments

  1. Olá, existe algum tipo de agencia de turismo ou particular que faz este percurso? Se sim, onde conseguimos? Vamos, de moto, ao Atacama em setembro.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s