Jardin des Alpes

Genebra – Jardin des Alpes

Depois de fazer o passeio pelo centro histórico de Genebra, bateu aquele cansaço típico de quem acordou cedo para aproveitar bastante o dia. A questão era se iríamos pegar um transporte público para percorrer apenas 1 km ou se animaríamos ir caminhando até a estação de trem para voltar para Lausanne. Ficamos com a segunda opção e acabamos passando por lugares que não estavam programados, o que é sempre uma ótima experiência.

Pont du Mont-Blanc
Pont du Mont-Blanc

Saindo do Jardin Anglais, iniciamos a travessia da Pont du Mont-Blanc, que fica no encontro do Lago de Genebra, como é chamado por muitos, com o rio Rhône. A primeira ponte foi construída com chapas metálicas em 1862, tendo 250 metros de comprimento e 16 de largura, com 12 vãos. Com o tempo, algumas placas acabaram se quebrando com a passagem de veículos pesados. Quando a cidade decidiu, no início dos anos 1900, mudar o tipo de veículos do transporte público para bondes elétricos, o tram, iniciou-se um trabalho de renovação completa com reforço da estrutura, aumento de 2 metros no comprimento e 3 metros na largura. Já em 1965, foi ampliada novamente, o que permitiu a construção de duas calçadas para a passagem dos pedestres e de onde se tem uma bela vista da paisagem.

Bandeiras na Pont du Mont-Blanc
Bandeiras na Pont du Mont-Blanc

A ponte atual é construída sobre sete vigas principais de chapa metálica e possui comprimento total de 252 metros. Seu peso total é de 1.176 toneladas de metal, a maior parte dele para a estrutura de aço. Ao longo de toda a ponte, há bandeiras fixadas de ambos os lados. Na maioria do tempo é uma alternância entre as da Suíça e de Genebra, mas durante alguns eventos são colocadas bandeiras diferentes, podendo ser artísticas ou oficiais. Ali também é um lugar privilegiado para assistir aos fogos de artifício das Fêtes de Genève, a travessia do Lago Parade e a chegada da Marathon de Genève.

Escultura do leão
Escultura do leão

Ao fim da ponte, você passa em frente ao The Ritz-Carlton Hotel de la Paix e já cai praticamente no Jardin des Alpes, que fica à direita, também chamada de Square des Alpes. Até 1862, essa área era um porto natural do lago, o que explica a sua atual forma triangular. A entrada é marcada por dois leões de pedra e uma plataforma inclinada e florida. A piscina retangular que fica em meio à área verde foi projetada, originalmente, para o Jardin Anglais.

Monument Brunswick
Monument Brunswick

Mas o destaque da praça é o Monument Brunswick. Linguista, músico e cavaleiro, Charles d’Este-Guelph era o Duque de Brunswick, na Alemanha. Depois de uma revolta local, em 1830, que ocasionou a perda do trono para seu irmão, passou a vagar pela Europa e se envolveu em questões políticas e intrigas morais, se tornando uma figura controversa. Depois de se estabelecer em Paris, onde fez fortuna, mudou-se para Genebra, passando a morar no Hotel Beau-Rivage. Quando ele morreu, três anos depois, não deixou nenhum herdeiro. Seguindo as orientações de seu testamento, o legado do que seria hoje em dia cerca 22 bilhões de francos suíços foi para a cidade, que construiu em troca o monumento com seu nome. O mausoléu foi erguido de frente para o lago, em 1879. Como o duque exige em seu testamento, a estrutura em mármore de estilo neogótico imita o túmulo da família Scaligeri em Verona, na Itália, uma obra do século XIV.

Cottage Cafe
Cottage Cafe

Outro atrativo do jardim é o Cottage Cafe, que funciona um em pequeno chalé de tijolinhos que, provavelmente, serviu como acomodação temporária para os homens que trabalharam na construção do monumento, entre 1876 e 1879. Posteriormente, foi ocupada pelo jardineiro e, a partir de 1930, por um café. Em 2006, quando estava abandonado, foi renovado pela cidade e, dois anos depois, passou a funcionar ali o estabelecimento atual. Achei o lugar muito charmoso. Informações sobre o funcionamento, reserva online e o menu completo podem ser acessados na página oficial. Ao lado dele fica o prestigiado Hotel Le Richemond.

Monument à l'Imperatrice Sissi
Monument à l’Imperatrice Sissi

Um pouco à frente do jardim, seguindo a margem do lago, está o Monument à l’Impératrice Sissi. Em 1898, ela foi apunhalada no coração por um anarquista italiano, correu até a embarcação mais próxima, mas acabou falecendo no deck. Atualmente, o Bateau Genève é uma associação beneficente que oferece apoio e refeições gratuitas para pessoas em necessidade, mas turistas também podem usufruir de seus almoços e jantares. Ele fica ancorado no Jardin Anglais.

Próximo à estátua da imperatriz, fechando algumas das prestigiadas opções de hospedagem da região (onde eu adoraria de ter ficado), está o Hôtel d’Angleterre. Como eu não tive esse privilégio, caminhamos até a estação de trem para voltar para Lausanne, onde estávamos hospedados no Hôtel Résidence du Boulevard.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s