Circuito da Lagoa Azul

Lençóis Maranhenses – Circuito da Lagoa Azul

Esse é um dos principais passeios dos Grandes Lençóis Maranhenses, talvez o mais procurado de todos por exigir um esforço menor que o Circuito da Lagoa Bonita para se chegar às dunas e às lagoas. Há duas opções de horário: de manhã e à tarde, sendo que a segunda opção se destaca por proporcionar ver o pôr-do-sol naquela paisagem incrível. É importante que você saia para esse passeio levando tudo o que pode precisar até a volta para o hotel, pois não há nenhuma estrutura de barraca ou qualquer outro tipo de comércio para você comprar água ou um lanche. Também não há banheiros, então se segure ou faça suas necessidades atrás da vegetação. Ou faça xixi nas lagoas.

Evite os assentos laterais do veículo
Evite os assentos laterais do veículo

Eu escolhi ir à tarde e esperei o transporte na Pousada Sossego do Cantinho, que fica já depois do rio Preguiça. A maioria das pessoas fica na parte central de Barreirinhas e precisa ser atravessar de balsa. Como nós já estávamos hospedados do lado certo para o início do passeio, ganhamos um bom tempo por sermos os últimos a ser buscados, o que é sempre bom para ter mais tranquilidade para almoçar. A parte ruim é que não pudemos escolher o melhor lugar para nos sentar no veículo 4×4 que faz o passeio. Ainda assim ficamos num assento bom: no meio.
É interessante evitar as laterais porque a trilha de 10km possui vegetação fechada que acaba batendo constantemente no carro, podendo atingir os braços e rostos das pessoas que estão dos lados. Além disso, a paisagem não é particularmente interessante para justificar ir nas laterais ou na frente, onde bate mais sol, pois rapidamente se torna repetitiva e o sacolejo constante torna quase impossível fazer vídeos ou tirar uma foto interessante.

Paisagem no caminho para a Lagoa Azul
Paisagem no caminho para a Lagoa Azul

Apesar da distância pequena, a viagem é bem lenta devido às condições da trilha, que é toda de areia. Parece que nos meses de chuva ela fica bem molhada, o que eu não sei se melhora ou piora a situação. Quando fiz esse passeio, no final de setembro, o trajeto estava seco, tirando eventuais travessias de pequenos córregos de água.

Gastamos mais de meia hora para percorrer esses 10km. É preciso usar cinto de segurança e se segurar bem nas barras de segurança, pois você é constantemente jogado de um lado para o outro, de baixo para cima. É assim até chegar à Morraria, como os antigos moradores de Barreirinhas chamam esse maravilhoso monumento natural.

Veículos que fazem o transporte até os Lençóis Maranhenses
Veículos que fazem o transporte até os Lençóis Maranhenses

Com a chegada ao destino, deixamos os chinelos no veículo, já que a areia das dunas não fica quente devido ao vento que causa seu deslocamento contínuo. É importante levar óculos de sol, roupa de banho para entrar nas lagoas, um lanchinho para disfarçar a fome e água para matar a sede, pois o passeio exige muita caminhada sob um sol escaldante. Eu levava sempre uma garrafinha de 500ml, mas muitos carregavam consigo garradas de um litro. Seja qual for o tamanho da sua sede, os carros da agência São Paulo Ecoturismo são equipados com um cooler com gelo na traseira, onde você pode deixar sua bebida durante o trajeto, assim ela chega ainda geladinha nos lençóis.

Lagoa da Preguiça
Lagoa da Preguiça

O número de lagoas existentes e o nível de água vai de acordo com a época do ano. Como eu fui no final de setembro, as lagoas já estavam em processo de evaporação, pois já estávamos na época da seca. Ainda assim consegui pegá-las bem cheias, pois havia sido um ano com bastante chuva. A primeira que visitamos foi a Lagoa da Preguiça, logo depois de subir o morro de areia onde fomos deixados pelo veículo do passeio. Aparentemente, ela tem esse nome porque os visitantes mais preguiçosos ficam por ali em vez de caminhar para conhecer mais da região. Não vou julgar ou chamar essas pessoas de preguiçosas, porque subir e descer várias dunas de areia fofa realmente é bastante cansativo. Cada um sabe dos seus próprios limites. Mas devo dar meu testemunho de que havia idosos fazendo o tour sem o menor problema. O acesso só fica realmente impossibilitado para as pessoas com mobilidade reduzida.

Tomando banho nas águas doces da Lagoa Azul
Tomando banho nas águas doces da Lagoa Azul

Depois de cerca de meia hora de banho, seguimos caminho para a Lagoa Azul, que dá nome ao passeio, além de passar por uma outra em nome. Para ser muito sincero, eu achei essas lagoas todas bem parecidas. Claro que muda ali o formato, a profundidade ou qualquer outro detalhe, mas elas não são realmente muito distintas umas das outras. Mas, como não sou de criar caso com bobagem, lá fui tomar outro banho nas águas doces e com temperatura agradável. Algumas pessoas preferiam não entrar nas lagoas, o que eu realmente achei um desperdício porque estava uma delícia. Falando em delícia, nesse tour passamos por vários cajueiros e, como era época da fruta, os turistas aproveitaram para catar os cajus no pé e comer ali mesmo. Eles são bem doces e muito suculentos quando colhidos na hora, realmente muito gostoso. Mas não perdi tempo com isso porque havia muitos cajueiros também na Pousada Sossego do Cantinho, onde eu estava hospedado, e eles caiam dos pés o dia inteiro.

Lagoa da Paz
Lagoa da Paz

Depois de mais uns quarenta minutos por ali, fizemos outra caminhada em direção à Lagoa da Paz, passando no caminho por outra sem nome. Os Lençóis Maranhenses possuem milhares de lagoas, então só as principais visitadas pelos turistas recebem um título específico. Nessa última em que paramos para tomar banho, não fiquei o tempo todo na água, pois aproveitei para subir em uma duna mais alta e dar umas voltas.

Pouco depois já era hora de voltar para a duna onde começamos o passeio para ver o pôr-do-sol. Vale muito à pena fazer esse passeio a tarde, pois o clima dá uma refrescada nesse horário e o pôr-do-sol naquela imensidão de areia e com reflexo nas lagoas é realmente um espetáculo único.

Pôr-do-sol no Circuito da Lagoa Azul
Pôr-do-sol no Circuito da Lagoa Azul

Imagino que também seja melhor ir a tarde na estação seca. No verão, os Lençóis perdem uma parte do seu charme, mas ainda assim devem impressionar pela sua imensidão. De qualquer maneira, é possível visitar alguns locais onde há lagoas presentes o ano inteiro, talvez com acesso um pouco mais difícil. Nesse circuito, seria preciso viajar mais tempo para chegar até à Lagoa do Peixe, que é a única perene. Nós não chegamos a visitá-la porque não havia necessidade de um deslocamento extra já que estávamos com a Preguiça, a Azul e a da Paz tão acessíveis.

Caminhada de volta para os carros
Caminhada de volta para os carros

Depois do pôr-do-sol, seguimos o caminho de volta para a cidade de Barreirinhas. Mais uma vez, eu e meu namorado ficamos na vantagem por estarmos hospedados na Pousada Sossego do Cantinho, pois fomos os primeiros a serem deixados em “casa”. Os outros turistas do grupo ainda teriam que esperar a balsa que faz a travessia do Rio Preguiça, o que pode demorar um pouco porque são muitos veículos voltando ao mesmo tempo dos passeios do dia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s