Restaurante Andina

Morro de São Paulo – Restaurante Andina

Esse é um daqueles restaurantes que você provavelmente não vai sequer ficar sabendo que existe caso não pesquise com antecedência onde comer em Morro de São Paulo ou receba a indicação de alguém. Digo isso porque ele funciona em um horário limitado, apenas para jantar, com poucas mesas disponíveis e está em um local onde não há muita circulação de turistas. O que é uma pena, porque a comida lá é bem gostosa – fora que foge das comidas tradicionais baianas e dos restaurantes italianos que dominam a cena gastronômica da vila. O foco ali é a comida latino-americana – os donos são peruanos, mas a inspiração para os pratos pode vir de outros países como Argentina e Chile, por exemplo.

Casarão
Casarão

Aliás, mesmo sabendo da existência pode ser um pouco confuso chegar até lá, mas vou explicar direitinho. Na Praça Aureliano Lima, aquela principal da cidade onde está grande parte do movimento de Morro de São Paulo, é possível ver um portal ao lado do Casarão (na foto acima, ele aparece à esquerda). Passando por esse portal, você entra na Rua da Fonte Grande. Basta ir descendo esse morro até chegar no local que dá nome à rua. E já que você vai mesmo passar por ali, é interessante conhecer um pouquinho da história dessa antiga construção.

Para garantir o fornecimento de água potável para os moradores, as tropas que passavam pelo local e até o presídio localizado na Fortaleza de Tapirandu, foi iniciada, em 1746, a construção da Fonte Grande a mando do  então vice-rei do Brasil, André de Melo Castro. Esse foi, à época, o maior sistema de abastecimento de água da Bahia.

Fonte Grande
Fonte Grande

Ela é conhecida também como Fonte do Imperador já que, conta a história, Dom Pedro II fez uma visita a Morro de São Paulo no ano de 1859 e teria tomado banho ali junto com a Marquesa de Santos. Em 1943, a fonte foi tombada como Patrimônio Histórico Nacional.

Depois de dar uma olhadinha na fonte, basta seguir à direita na Rua do Porto de Cima, onde se localiza o restaurante. Essa é uma região menos turística, onde ainda moram muitos nativos e existe comércio local. Apesar disso, o Andina está dentro da Pousada Aquarela – sabendo desses detalhes, fica mais tranquilo de achar o local.


Ambiente ★★★★☆

A rua em que o Andina está localizado não é tão arrumadinha quanto a parte mais turística da ilha – as construções são mais humildes e o calçamento parece há muito ter sido tomado pela areia. Além disso, é um pouco mais difícil de encontrar do que os restaurantes da rua principal, que a gente passa o tempo todo durante a estadia em Morro de São Paulo.

Ambiente do restaurante
Ambiente do restaurante

Apesar disso, o ambiente interno é bem agradável, com sua iluminação estilosa e decoração bem cuidada. Eu adorei os pratos de cerâmica, o copinho em que ficam os guardanapos e outros detalhes que fazem a diferença.


Serviço ★★★★★

Como o espaço do restaurante é pequeno e o número de mesas limitado, é interessante fazer uma reserva com antecedência – ele só funciona para o jantar. O contato por ser feito pelo Facebook ou Whatsapp – quando eu fui, o número era (75) 98326-7555. Tanto nas redes sociais quando no local, o atendimento é feito pelos próprios donos – um casal de peruanos que se mudaram para lá. O Gonzalo fica na cozinha e a Irene atende os clientes – aliás, o atendimento é um dos pontos fortes, já que ela é extremamente simpática e atenciosa.


Preço ★★★☆☆

Aqui é preciso abrir o coração (também conhecido como carteira) e aceitar o fato de que é preciso pagar mais caro por uma comida de qualidade diferenciada. Se você adiciona na equação uma taça de vinho e sobremesa, é bom se preparar para pagar cerca de 100 reais por pessoa. É barato? Não. Vale à pena? Claro. Mas já deixo avisado que os pratos não são fartos.

Menu do dia
Menu do dia

É bom lembrar que o menu pode sofrer alterações diárias, já que são oferecidos poucos pratos e tudo depende da disponibilidade de ingredientes e da criatividade do chef. O cardápio do dia é disponibilizado com antecedência na página deles no Facebook. Quando você chega ao restaurante, ele é apresentado pela Irene em um quadro e ela explica a composição de cada um dos pratos.


Comida ★★★★★

Depois de sermos atendidos e decidirmos o que iríamos querer pedir de entrada e prato principal, recebemos na mesa um couvert de cortesia que é servido em todas as mesas. Como só fui ao restaurante uma vez, não sei se há muita variação de um dia para o outro. No nosso caso, foram algumas fatias de pão artesanal com um antepasto caseiro, bem gostosinho.

Causa limeña com carne suína e geleia de pimenta biquinho
Causa limeña com carne suína e geleia de pimenta biquinho

Para entrada, pedimos para compartilhar a Causa Limeña. A causa é um prato peruano com origens pré-colombianas, ou seja, muito antigo. A principal teoria é que o nome venha da palavra kausay, que significa “alimento” ou “sustento necessário” na língua quéchua. Basicamente, trata-se de um purê de batatas amarelas com alho, limão e outros temperos que pode ser recheado à escolha do chef. Nesse caso, o recheio era de carne suína e a causa veio acompanhada de ovo cozido, cebola, geleia de pimenta biquinho, paté de azeitona e outros molhos.

Atum vermelho na crosta de mix de sementes com arroz chaufa
Atum vermelho na crosta de mix de sementes com arroz chaufa

Como prato principal, meu namorado pediu o Atum Vermelho, que veio envolto em uma crosta de mix de sementes e uma pequena porção de arroz chaufa. E quando eu digo pequena é porque acho que realmente merecia vir um pouco mais desse arroz, que é outra iguaria peruana, dessa vez com influências chinesas. Trata-se de um arroz preparado na frigideira em alta temperatura, como se fosse frito mesmo.

Sorrentinos de humita com ragout de carne de sol
Sorrentinos de humita com ragout de carne de sol

Já eu escolhi o Sorrentino, que é típico da argentina. O sorrentino é uma massa parecida com o ravióli italiano. No caso do prato servido nesse dia, o recheio era de uma massa de milho parecida com pamonha, humita em espanhol. A massa era acompanhada de ragu de carne de sol. Estava bem gostoso e, definitivamente, mais bem servido do que o prato do meu namorado. Mais um motivo para eu achar que faltou um pouco de equilíbrio ali, mas enfim. Ambos estavam muito gostosos.

Flan de coco com doce de leite
Flan de coco com doce de leite

Só havia uma opção de sobremesa para o dia – acredito que seja sempre assim, já que o menu é limitado. Resolvemos então dividir esse Flan de Coco com Doce de Leite. Ele ainda veio com um pouco de coco queimado ralado e castanhas de caju tostadas e estava realmente uma delícia – eu adoro doce, né. 😉


Resumo ★★★★☆

O Andina Cozinha Latina não é um restaurante barato e definitivamente não se pode dizer que é bem localizado, mesmo que esteja a uma distância pequena do que seria considerado o centro da cidade. Ainda assim, vale muito à pena reservar uma mesa para jantar no local, já que é, sem dúvidas, uma das comidas mais gostosas de Morro de São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s