Lama fumegante

Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa – Géiseres Sol de Mañana

Ainda dentro da Reserva Nacional de Fauna Andina Eduardo Avaroa, é realizada a visita aos gêiseres do Sol de Manãna. Trata-se de uma área desértica com aproximadamente 2 km2 de extensão, a quase 5.000 metros de altitude em relação ao nível do mar, onde há uma intensa atividade vulcânica. A hora mais recomendada para visitação é ao amanhecer, quando o ambiente está mais frio e a força das águas é maior. Mas, como nós estávamos vindo de San Pedro de Atacama e passamos por outros pontos turísticos antes, chegamos mais ou menos na hora do almoço.

Vapores de água e gases
Vapores de água e gases

Ainda assim, a quantidade de vapor que sai de algumas partes do local é impressionante. O guia havia nos orientado a evitar ficar respirando esse vapor por causa de alguns componentes que não fazem bem, mas quem se importa? A gente quer é passar lá no meio, tirar várias fotos e, se tudo der certo, sobreviver para depois postar no Instagram.

Não há marcações de segurança
Não há marcações de segurança

Aliás, devo comentar que a segurança nesse lugar é inexistente. Ao contrário dos gêiseres de El Tatio, no Chile, em que há marcações nos chãos de limites até onde os turistas podem ir, aqui é cada um com a sua consciência. Você vai andando por entre essas piscinas de lama fumegante sem se apegar à vida e, de repente, caiu, morreu. O terreno é bastante irregular e, em algumas partes, existe o risco de ceder. Dizem que já teve gente que caiu, o que eu não duvido nem um pouco. Por via das dúvidas, caminhe com atenção. Principalmente quando estiver filmando ou tirando fotos, não se esqueça de olhar sempre aonde pisa.

Água e vapores nos gêiseres Sol de Mañana
Água e vapores nos gêiseres Sol de Mañana

O mais interessante do Sol de Mañana é a diversidade de fenômenos geotérmicos concentrados em um só espaço. Além dos vapores quentes, que alcançam de 10 a 50 metros, há várias piscinas formadas por essa água meio esverdeada. Obviamente esse não é um lugar próprio para banho devido à temperatura elevada e a presença de minerais e gases tóxicos.

Mas o que é realmente diferente do que eu já havia visto nos gêiseres chilenos próximos a San Pedro de Atacama foram essas poças de lama borbulhante, um tipo de lava vulcânica bem diferente do que estamos acostumados a ver nos filmes. No conjunto, a paisagem parece remeter a épocas remotas de formação da Terra, com essa massa dando novas configurações ao solo.

Solo colorido
Solo colorido

Os vapores, água fervente e lama fumegante se juntam ao terreno tingido de cores que vão do amarelo ao vermelho, grandes rochas e montanhas nevadas ao fundo, criando um visual realmente impressionante.

Além do turismo, existe um projeto de aproveitamento do potencial geotérmico local para a geração de energia elétrica para satisfazer tanto a demanda local, especialmente para mineradoras da região, quanto internacional. Trata-se de uma produção de energia limpa e renovável que ajudaria a diversificar a matriz energética da Bolívia. Para isso, seria necessário realizar a perfuração de poços, instalação de dutos e a construção de uma central e linhas de transmissão com cerca de 140 km de extensão. Enquanto isso não acontece, vamos aproveitando a aparência mais natural dos gêiseres.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s