Subida pelas pedras

Serra do Cipó – Cuidados para planejar o passeio

O Parque Nacional da Serra do Cipó, que já foi chamado de jardim do Brasil pelo renomado paisagista Burle Marx, é uma unidade de preservação bastante extensa e rica. Com topografia acidentada, variando de 600 a 1760 metros de altitude, a área conta com muitas nascentes que formam rios, cachoeiras, cânions e cavernas, além de enorme diversidade geológica, fauna e flora.

Chalés
Hospedagem em chalés

Para aproveitar melhor os muitos atrativos naturais, além dos restaurantes e bares com boas opções gastronômicas e de entretenimento, o ideal é se hospedar na vila por, pelo menos, um fim de semana. Isso permite começar bem cedo os passeios, tanto para evitar a grande aglomeração de pessoas que aumenta ao longo do dia, quanto para garantir a entrada no parque, já que há um limite de visitantes e não é possível fazer agendamentos prévios. Também fica menos cansativo que um bate e volta de outra cidade.

Eu sempre crio um mapa interativo e vou adicionando os pontos que quero visitar, até mesmo para entender as distâncias e definir qual será a melhor hospedagem. Nesse caso, é um processo ainda mais importante, já que há diferentes entradas para o parque e alguns dos atrativos mais famosos ficam a quilômetros de distância, o que exige um planejamento mais cuidadoso.

Queda superior
Cachoeira Tombador

Existem quedas d’água bem próximas da vila, que podem ser acessadas com o pagamento de uma taxa por estarem em propriedades privadas. Mas, para quem gosta de um contato mais íntimo com a natureza, será necessário percorrer longas trilhas para chegar às cachoeiras e piscinas naturais mais interessantes, como a Cachoeira da Farofa (8 km), o Cânion das Bandeirinhas (12 km), a Cachoeira do Gavião (6 km) e a Cachoeira Tombador (8 km).

Estacionamento no interior do parque
Estacionamento no interior do parque

Também é importante considerar o meio de transporte para chegar a tais locais. Como eu moro na capital mineira, sempre vou até a vila de carro, então tenho um veículo para ir até as entradas do parque. Da Portaria Areias, que é a principal, vale a pena alugar uma bicicleta (ou levar, caso você tenha) para ir a alguns dos atrativos mais distantes. Já na Portaria do Retiro, o terreno é bastante irregular e  tem que ser caminhando mesmo.

Trecho com lama
Trecho com lama

Falando em deslocamento, é importante manter-se sempre nas trilhas pré-determinadas, ainda que elas estejam molhadas, lamacentas ou escorregadias. A dificuldade faz parte do desafio de vivenciar a natureza e fazer desvios causa danos ao meio ambiente. Para maior conforto, a melhor solução consultar o histórico do clima e a previsão do tempo para o dia que pretende fazer a visita. Eu gosto de priorizar a estação seca, entre os meses de abril e setembro.

Ribeirão Mascates
Ribeirão Mascates

No período chuvoso de outubro a março, que coincide com o verão, os rios e cachoeiras estão sujeitos a cheias repentinas, podendo arrastar pessoas ou deixá-las ilhadas. O problema é que a chuva pode acontecer na cabeceira do rio, bem distante de onde você está, e surpreender quem está tomando banho ou apenas fazendo uma travessia. Alguns dos sinais do evento, chamado cabeça d’água, são a mudança na intensidade da correnteza, com maior agitação, e na coloração da água. Nesses casos, afaste-se imediatamente e fique em uma área mais elevada até que o fluxo se normalize.

Roupa e acessórios
Roupa e acessórios

Outra coisa importante é levar o necessário para passeio, o que pode ser um pouco complicado porque você não quer esquecer nada, mas também não deve exagerar e acabar carregando mais peso do que precisa. Em passeios curtos, acaba sendo bem simples. Para facilitar a hidratação, comprei uma mochila que tem uma bolsa interna que comporta dois litros de água. Também carrego alguns curativos, filtro solar e outros itens do tipo. Por fim, presto bastante atenção à bateria do celular, não apenas para tirar fotos,  mas também para conferir minha localização no mapa e, caso seja necessário, usar a lanterna. Na maior parte do trajeto, eu não tinha acesso à internet ou sinal para fazer chamadas.

Lanche rápido e leve
Lanche rápido e leve

Seja para poucas horas ou para passar um dia inteiro, sempre levo lanches leves. Minha preferência é por sanduíches naturais, suco ou iogurte, barra de cereal, castanhas diversas e frutas – tudo fácil de consumir e que alimenta bem. Nesse caso, é importante deixar em casa embalagens desnecessárias para diminuir o peso e gerar menos lixo, que deve sempre voltar com você e ser descartado em local adequado.

Placa com distâncias no início das trilhas
Roupa para trilha

Outra questão importante é usar roupas adequadas, o que pode variar de acordo com a estação do ano. Eu tenho chapéu e blusas com proteção UV, além de óculos de sol, já que se fica exposto por muitas horas durante as caminhadas. Geralmente coloco uma bermuda ou calça próprios para exercícios físicos. O calçado deve ser de caminhada e ter sido bastante usado, já que os novos tendem a causar calos e bolhas nos pés. Também levo uma toalha de microfibra, que fica bastante compacta e serve tanto para secar depois de um banho quanto para proteger ainda mais do sol.

Vista da cachoeira
Trilha no parque

No caso de acampamentos, o planejamento é mais complexo. Muitos acidentes e agressões à natureza são causados por improvisações e uso inadequado de equipamentos, então tenha certeza de levar tudo que precise. Fique somente em áreas pré-determinadas, quando existirem, e tente causar o menor impacto possível ao local – não arranque vegetação ou remova pedras, tente encontrar o espaço adequado. Algumas recomendações importantes são evitar áreas frágeis, ficar a uma distância de pelo menos sessenta metros de qualquer fonte de água, não cavar valetas, usar plástico sob a barraca e não fazer fogo. Ao ir embora, certifique-se que deixou tudo como estava antes da sua estadia. Caso não existam instalações sanitárias, as fezes devem ser enterradas a quinze centímetros de profundidade, longe da água, das trilhas e da área de camping, onde não seja necessário remover a vegetação. O lixo, incluindo papel higiênico, não deve ser queimado ou enterrado – tem que levar tudo de volta.

Travessia das pedras
Cuidado no deslocamento

Algumas lesões comuns em ambientes naturais são provenientes de quedas, como escoriações, entorses e fraturas. As minhas estratégias para não ter esses problemas é usar um calçado adequado, andar com bastante atenção, evitar áreas molhadas, respeitar as sinalizações e não me aventurar por espaços mais perigosos. Também são frequentes hipotermia, hipertermia, desidratação, afogamentos e reações alérgicas. A maior parte pode ser evitada com planejamento e responsabilidade.

Estrada com pedras

O salvamento em ambientes naturais é caro e complexo, podendo ser bastante demorado e causar danos ao ambiente. Alguns cuidados podem ajudar nessa questão, como manter-se nas trilhas pré-determinadas; aprender técnicas básicas de segurança, navegação e primeiros socorros; deixar o roteiro do passeio com um amigo ou familiar; avisar os funcionários do parque sobre o tamanho do grupo, equipamento utilizado, nível de experiência e data esperada de retorno; e contratar um guia especializado.

Passeio com grupo de pessoas
Passeio com grupo de pessoas

Também é preciso considerar os perigos e riscos inerentes a esse tipo de atividade ao ar livre, como animais peçonhentos, quedas e rolamentos de pedras, ocorrência de raios, cabeças d’água, terrenos acidentados e escorregadios, quedas de árvores e galhos, além de outros fenômenos naturais como mudanças climáticas bruscas. Para ter mais segurança, é recomendado andar em grupo, já que assim uma pessoa pode ajudar a outra. Mas não exagere. Formar em grupos pequenos ajuda no melhor contato com a natureza e causa menos impacto.

Porteira para as cachoeiras
Porteira para as cachoeiras

Durante os passeios, é possível encontrar outros visitantes, funcionários e até mesmo moradores da área, que devem ser tratados com cortesia e respeito. Ao passar por porteiras e cancelas, certifique-se que as deixou fechadas, evitando a fuga de animais para propriedades vizinhas ou ambientes naturais. As conversas devem ser mantidas em nível baixo e nem considere a possibilidade de levar caixas de som ou instrumentos para tocar música. A ideia é preservar a tranquilidade e a sensação de harmonia que são favorecidas pela natureza.

Banho para renovar as energias
Banho na Cachoeira da Farofa

Preferencialmente, pede-se evitar o uso de cor forte nas roupas e acessórios, que podem ser vistos a grande distância e interferem visualmente na experiência, criando uma poluição visual nos locais mais frequentados. Para chamar a atenção de uma equipe de socorro, em caso de emergência, recomenda-se um tecido ou plástico grande na cor laranja. Nos banhos de rio e cachoeira, evite o uso de produtos como xampu, sabonete, creme ou outros, que acabam contaminando as águas.

Cânion das Bandeirinhas
Cânion das Bandeirinhas

Sempre observe à distância os animais nativos, já que a proximidade pode ser interpretada como uma ameaça e provocar um ataque. Além disso, bichos silvestres podem transmitir doenças, incluindo algumas graves. Eles também não devem ser alimentados, sob o risco de se acostumarem e passarem a buscar comida nas barracas, mochilas e outros equipamentos dos visitantes. Já os animais domésticos devem ser deixados em casa, já que podem causar problemas como afastar os animais locais, introduzir de novas doenças e ameaçar o ambiente natural.

Use roupas adequadas
Trilha fechada

Durante a caminhada, é possível que se passe por trilhas mais fechadas. Não arranque galhos ou colha flores e plantas silvestres. Nem deveria ser preciso dizer, mas fazer pichações ou marcar árvores é inaceitável. É possível apreciar a beleza local sem agredir a natureza, mantendo o balanceamento e garantindo a mesma oportunidade para os demais turistas. Colabore com a educação de outros visitantes, transmitindo os princípios de mínimo impacto sempre que tiver oportunidade. Se vir algo errado, denuncie aos órgãos responsáveis.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s