Igreja de São Francisco

Salvador – Igreja de São Francisco

Localizada no coração do Pelourinho e considerada um dos mais singulares e ricos exemplos do barroco brasileiro, a Igreja de São Francisco foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN como um patrimônio da humanidade e classificada como uma das sete maravilhas de origem portuguesa no mundo. A entrada é voltada para o Largo do Cruzeiro de São Francisco, uma praça que, junto ao Terreiro de Jesus, forma um importante conjunto arquitetônico e histórico da cidade de Salvador, na Bahia. Atualmente, as construções da área são ocupadas por hospedagens, restaurantes, bares, agências de turismo e comércio em geral, tendo como ponto central uma cruz de mármore, elemento típico dos templos franciscanos da época.

Largo do Cruzeiro de São Francisco
Largo do Cruzeiro de São Francisco

É possível visitar o interior da igreja gratuitamente durante as missas, mas são momentos em que o espaço fica cheio e o turista atrapalha quem está lá para acompanhar o culto religioso. Além disso, acaba-se por perder a oportunidade de explorar alguns espaços, já que a capela e o claustro do convento ficam fechados. Como o valor da entrada é bem pequeno, é recomendado pagar e fazer o passeio mais completo em um horário tranquilo e com liberdade para tirar fotografias, que são permitidas sempre sem o uso de flash.

Reserva de passeio ou atração

Sempre tem pessoas na região oferecendo o trabalho de guia. Eu acho interessante, já que há muitos detalhes da arquitetura e da história passariam batido. Entretanto, não acho seguro simplesmente contratar alguém que encontrou na rua e eles tem costume de dar um golpe que consiste em cobrar um preço absurdo ao final do tour daqueles que se esquecem de combinar o valor antes. A melhor alternativa, na minha opinião, é fazer a reserva online do free tour pelo Pelorinho e o centro histórico, que passa por diversos pontos turísticos durante uma caminhada e você paga o quanto quiser de acordo com sua disponibilidade financeira e nível de satisfação.

Fachada principal
Fachada principal

Quem olha a fachada principal pode achar que se trata de uma igreja comum, principalmente quando vista de longe. De fato, o templo erguido com os recursos do governo português e as doações de fiéis tem duas torres relativamente simples. Concluídos em 1796, os campanários com sinos e relógios possuem características renascentistas e só foram azulejados após um século de existência. Já frontão, em estilo barroco, é mais trabalhado, possuindo diversas volutas e revestimento em arenito esculpido, mas bem menos complexo que o da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, que faz parte do mesmo conjunto e fica situada ao lado. Além da imagem do santo, a parte superior possui o brasão de armas de Portugal e o símbolo da ordem franciscana – o braço de Cristo cruzado com o de São Francisco.

Riqueza de detalhes e muito ouro
Riqueza de detalhes e muito ouro

Já no interior, as esculturas, pinturas, azulejos, móveis e objetos podem ser considerados obras primas da arte sacra, além da quantidade de ouro que cobre o espaço do chão ao teto. Aliás, é justamente o dourado que cria uma unidade entre a profusão de elementos decorativos e a riqueza de detalhes é capaz de deixar qualquer visitante impressionado. A construção principal foi iniciada em 1708 e finalizada somente em 1720, data que aparece gravada na fachada. A partir desse ano, entretanto, é que foi dada maior ênfase nos trabalhos de ornamentação, que se estenderam por décadas e continuou passando por alterações ao longo dos séculos seguintes.

Altar principal
Altar principal

O altar principal possui como figura central uma escultura de São Francisco aos pés de Cristo crucificado, datada de 1930 e de autoria do baiano Pedro Ferreira; um lampadário de prata com quase dois metros de altura e 80 kg, produzido entre 1758 e 1761; e azulejos nas típicas cores portuguesas de branco e azul, datados do século XVIII e assinados por Bartolomeu Antunes de Jesus, apresentando passagens da vida do santo. O piso dessa área é feito de mármore colorido e trabalhado de forma a representar folhagens. A igreja conta com vários móveis em jacarandá esculpido.

Vista interna
Vista interna

Arquitetura e arte reúnem elementos dos estilos barroco, rococó, neoclássico e maneirismo. Logo na entrada, é possível ver as pias de pedra doadas por D. João V, rei de Portugal e as duas colunas de pedra que sustentam o coro. Na esquerda do altar principal, fica a imagem de Imaculada Conceição, enquanto à direita aparece Santo Antônio de Lisboa/Pádua. Os altares do transepto são dedicados a São Luís de Tolosa e à Virgem Maria, sob o título de Nossa Senhora da Glória. Já as seis capelas laterais, onde há balaustradas torneadas de autoria do frei Luís de Jesus, não possuem dedicação fixa, tendo passado por rodízios de santos desde a fundação do complexo.

Pinturas no teto e coro
Pinturas no teto e coro

As pinturas no teto, atribuídas ao frei Jerônimo da Graça, foram realizadas entre 1733 e 1737 e aparecem emolduradas em madeira com formatos geométricos de faixas brancas e douradas. As imagens retratam passagens da vida de Cristo e da Virgem Maria, além de personagens do Antigo Testamento. Olhando para o fundo da igreja, é possível ver no coro a imagem de Cristo crucificado de costas para a igreja e voltado para a rua. O cadeiral e a estante do missal, assim como as grades das capelas, são os elementos decorativos mais antigos da igreja, datados do século XVII e reaproveitados da primeira igreja construída no local.

Sacristia da igreja
Sacristia da igreja

Também vale a pena visitar a sacristia, onde grandes arcas de jacarandá com elementos barrocos e renascentistas são usadas para guardar os paramentos sacerdotais e cerimoniais. Entre elas, há um belíssimo altar em talha dourada com a imagem em marfim de Cristo crucificado. As pinturas de Bartolomeu Antunes mostram cenas da vida de São Francisco, motivo que é repetido no teto. Na parede oposta fica o lavabo de pedra com uma imagem de Santo Antônio.

Nossa Senhora da Glória
Nossa Senhora da Glória

A Igreja de São Francisco supera todos os templos de Salvador em termos de riqueza, ainda que a característica principal dos franciscanos seja justamente o voto de pobreza. De fato, leva-se uma vida austera no convento, ainda em uso, e o mobiliário das celas dos frades se resume a uma cama, um armário e uma escrivaninha simples. Ao sair da igreja, o visitante consegue ver a Catedral Basílica de Salvador no outro extremo da praça, que também vale a pena ser visitada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s