Houston Zoo

Houston – Passeio no zoológico

O Houston Zoo é o principal atrativo do Hermann Park. A história do local teve início em 1922, quando um búfalo americano que fazia parte de um circo itinerante foi doado para a cidade. De fato, houve uma época em que predominava ali uma atmosfera circense, com os elefantes sendo montados, cobras encantadas e leões domados. Depois é que a área passou a ser usada como espaço de exibição da vida selvagem mais próxima de um zoológico. Já em 2002, foi privatizada e se tornou uma entidade sem fins lucrativos. Com isso, o foco mudou para a preservação e educação.

Área dos leões
Área dos leões

Eu sempre fico um pouco em cima do muro com relação a visitas a zoológicos. Por um lado, fico pensando que os animais estão ali presos e sendo exibidos para o prazer humano, muitas vezes em celas pequenas e inseridos em um clima que não condiz com o de seus habitats naturais.  Ao mesmo tempo, há os que oferecem mais espaço e o trabalho de conservação de espécies ameaçadas de extinção, com bons cuidados proporcionados por especialistas. Esse me parece ser o caso do Houston Zoo, que possui e apoia diversos programas nacionais e internacionais de preservação do meio ambiente e da vida selvagem, incluindo a reprodução e introdução de animais na vida selvagem, assistência veterinária, redução de uso e reciclagem de papel, plástico e outros materiais, etc. A própria visitação já é importante para a conscientização, principalmente para crianças.

Entrada principal pelo parque
Entrada principal pelo parque

Para realizar esse trabalho é preciso ter dinheiro, principalmente o que vem da venda dos ingressos para o público que visita ao local. Parte dessa renda é revertida para organizações ao redor do mundo. Eu não tenho a ilusão de que esse trabalho seria feito apenas de boa vontade, mas é bom saber que se trata de uma entidade que não visa lucro. Seja como for, se você estiver viajando e precisar economizar nesse passeio, é possível fazer uma visita gratuita ao zoológico. A cortesia é dada apenas uma vez por mês, geralmente na primeira terça-feira de setembro a maio, e vale para entradas a partir de meio dia. Os dias certinhos podem ser conferidos na página oficial, onde também é possível reservar o ingresso. A entrada principal encontra-se no centro do parque, perto do McGovern Lake. Já o acesso pela rua só fica disponível nos fins de semana e feriados. Em ambos os casos, é bem fácil chegar usando o transporte público.

Mapa completo do zoológico
Mapa completo do zoológico

Com 22 hectares de área, o zoológico abriga milhares de animais das mais diversas espécies. Eles encontram-se divididos em diferentes áreas temáticas e eu fiquei satisfeito de ver que eles têm bastante espaço para explorar. De fato, os bichos têm a opção de andar para partes mais isoladas e ficar fora da vista dos visitantes. A gente também acaba tendo que andar bastante, então eu recomendo reservar algumas horas para o passeio, além de levar algum lanche e garrafinha de água, que pode ser reabastecida em um dos vários bebedouros. Quando eu fui lá, ainda haviam algumas partes fechadas para reforma com previsão de abertura para 2019 (Texas Wetlands) e 2020 (South America’s Pantanal). O mapa atual pode ser consultado na página oficial.

Flamingos peruanos
Flamingos peruanos

O espaço é bem organizado e você pode fazer a visita na ordem que te interessar. Eu peguei o mapa na portaria e fui me orientando para não perder nada, passando por áreas de elefantes, répteis, felinos, primatas, animais africanos, aves, aquários e outros. Em algumas partes os bichos ficam presos em gaiolas – obviamente os pássaros não podem ficar soltos porque simplesmente iriam embora e provavelmente não sobreviveriam por muito tempo. Em outras, eles ficam soltos em uma área maior, como é o caso dos flamingos e dos animais de grande porte.

Área coberta dos répteis
Área coberta dos répteis

Também há partes fechadas como um aquário, um espaço que parece uma estufa para pássaros ficarem mais livres, a casa dos répteis e outros. Já a área em que ficam os primatas, por exemplo, tem umas passarelas de madeira entre árvores altas que dá a sensação de explorar um espaço mais selvagem. Para o visitante, isso é bom porque cria uma variedade de ambientes que torna o passeio mais interessante. Também há espaços que permitem uma interação responsável com os bichos, como a plataforma para alimentar girafas.

Sanduíche e batata frita
Sanduíche e batata frita

Falando em comida, há várias estruturas voltadas para a alimentação, seja nos cafés ou nos food trucks temáticos. Como eu fui na hora do almoço, eu acabei comprando uma dessas promoções que vem sanduíche, batata e refrigerante. Estava bem gostoso, mas confesso que eu gostaria que tivessem mais opções, já que basicamente você encontra lanches. Pensei em algo mais saudável, mas o povo americano não é muito de comer bem. Você também pode levar a sua própria refeição e economizar um pouco.

Fonte iluminada no Zoo Lights
Fonte iluminada no Zoo Lights

São realizados vários eventos ao longo dos meses e o calendário pode ser acessado na página oficial. O que eu conferi foi o Zoo Lights, que acontece na época das festas de fim de ano e é cobrado à parte. Eles fecham o zoológico e reabrem a noite, quando já está escuro, então não adianta chegar lá a tarde e querer ficar até escurecer. Tem mesmo que sair todo mundo, mesmo porque eles precisam arrumar o local e colocar umas barreiras para orientar o caminho a ser percorrido. Como são muitas pessoas, você acaba seguindo o fluxo e nem precisa de um mapa. Eu fui em dezembro e já era inverno, então estava um friozinho gostoso e pude explorar o espaço de um jeito único, totalmente diferente da visita feita durante o dia.

Esculturas de animais
Esculturas de animais

Uma coisa importante de comentar é que você não verá nenhum animal durante essa visita noturna, já que eles são recolhidos para os espaços cobertos, mesmo porque os bichinhos também precisam descansar. Em contrapartida, são colocadas luzes e esculturas por todo o parque, em uma diversidade incrível de formas e cores que encanta desde as crianças até os mais velhos. O evento é realizado anualmente do meio de novembro até a segunda semana de janeiro e já virou uma tradição nessa época de holidays para a cidade. Eu gostei bastante da experiência e recomendo.

Loja do zoológico
Loja do zoológico

Por fim, é lógico que o zoológico conta com a sua própria loja. Como sempre, eu adoro passar e dar uma olhada geral nos produtos que incluem brinquedos, itens de decoração, vestuário e uma grande diversidade de lembrancinhas, entre outros. Também gostei bastante da decoração desse gift shop, com uma pegada de safari na África. Enfim, um zoológico bem completo e interessante, que vale a pena ser visitado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s