Mission Control Center Tour

Houston – Mission Control Center Tour (NASA)

Eu já postei aqui sobre o Astrounaut Training Facility Tour, que sai do Space Center Houston. Nesse passeio, você visita um grande galpão com protótipos de naves, robôs e veículos, um espaço onde os astronautas fazem seus treinamentos e se prepararam para missões no espaço. Esse e cerca de cem outros prédios fazem parte do Lyndon B. Johnson Space Center, centro de treinamento, controle de voo e viagens tripuladas para o espaço da NASA – National Aeronautics and Space Administration, a agência especial norte-americana, com base em Houston.

Painel com estimativa de espera
Painel com estimativa de espera

O Space Center Houston tem uma parceria estreita com a NASA, oferecendo dois passeios já inclusos no valor do bilhete: esse Astronaut Training Facility Tour e o Orion Mission Control Tour, ambos saindo do mesmo lugar chamado NASA Tram Tour. Nessa postagem vou falar sobre o segundo. Como se pode imaginar, os dois são muito procurados. O que eu recomendo é chegar um pouco antes do momento de abertura do museu e ir direto para a fila, que fica logo à direita depois que você está lá dentro. Eu fiz assim com o dos astronautas e praticamente não tive tempo de espera. Já no segundo, mais tarde, a estimativa estava de 60 minutos – mas demorou mais ainda.

Fila de espera
Fila de espera

A fila parece razoavelmente pequena do lado de dentro, mas faz um caracol interminável fora do prédio. Você passa por um desses painéis de fundo verde para tirar uma foto e recebe um código para apresentar no final do passeio caso queira comprar o souvenir. Fora isso, é apenas tédio e espera. O pior é que você fica exposto ao clima – embora seja coberto e você esteja protegido da chuva, você pode passar muito frio ou calor. Por isso, recomendo que você esteja atento às condições meteorológicas, que inclusive podem ocasionar o cancelamento do rolê. Também é bom levar uma garrafinha de água e lanche.

Veículo que faz o passeio
Veículo que faz o passeio

O tram é composto por quatro carros acoplados com fileiras de cinco cadeiras. Quem determina onde você irá sentar são os funcionários responsáveis pelo passeio, que fazem a divisão de acordo com o número de pessoas que estão juntas, sempre colocando as crianças menores no meio para não correr risco de alguém despencar no meio do caminho. Cada conjunto de carros tem o nome de um planeta e cada fileira leva uma letra. Você precisa memorizar exatamente onde se sentou porque esse será o seu lugar durante todo o passeio.

Computador usado antigamente
Computador usado antigamente

Depois de passar por diversos prédios, sobre os quais a/o guia vai dando informações diversas e falando curiosidades, chegamos ao Christopher C. Kraft, Jr. Mission Control Center. Ali todos desembarcam e são encaminhados a uma sala. Tivemos que esperar mais um pouquinho, pois um outro grupo ainda estava por lá. Nesse meio tempo, recebemos informações sobre a pequena exposição dos computadores e estações de trabalho usados ao longo das décadas anteriores. Embora tenham uma aparência arcaica, os green consoles foram usados em diversas missões até 1996.

Auditório com vista para a sala de controle
Auditório com vista para a sala de controle

Geralmente, o passeio leva os visitantes até a histórica Mission Operations Control Room (MOCR-2), de onde a NASA acompanhou as viagens Gemini e Apollo, incluindo a primeira vez em que o homem pisou na lua. Já durante alguns fins de semana e feriados, é possível ir até a atual sala de Mission Control, que foi o meu caso. Ali tem um pequeno auditório em que todas as pessoas se sentam. Na verdade, não todas, já que nosso grupo era grande e alguns tiveram que ficar em pé na parte de trás. Aí vai mais uma dica: fique entre os primeiros a entrar para escolher livremente onde ficar e garantir mais conforto.

Mission Control Center
Mission Control Center

Esse momento foi comandado por uma outra pessoa, que explicou com detalhes o trabalho realizado na sala pelos controladores de voo, a estrutura tecnológica e o que significava os diversos elementos que víamos nas telas e mesas. Essa instalação foi criada como parte de um projeto de renovação no valor de 250 milhões de dólares para atender à crescente demanda e complexidade das missões. Com a presença permanente de humanos nas estações espaciais internacionais, o corpo de controladores formados por experientes engenheiros e técnicos trabalham 7 dias na semana, 24 horas por dia, 365 dias por ano. Menos quando a gente chegou lá. Isso porque os satélites tinham perdido a comunicação e eles aproveitaram para tirar um tempinho livre. Mas no geral, os controladores de voo mantêm uma vigilância constante sobre as atividades da tripulação, bem como a sua saúde e segurança, e monitoram os sistemas das naves espaciais, checando todos os sistemas para garantir que as operações prossigam como planejado.

Funcionário explica o trabalho
Funcionário explica o trabalho

É assustadora a responsabilidade que eles têm em seus trabalhos e por isso são altamente treinados e constantemente testados, principalmente porque precisam responder com precisão a eventos inesperados. Sinceramente, eu não sei se conseguiria trabalhar com tamanha pressão. Todas as informações nos foram passadas por um senhorzinho muito simpático, que deu as explicações de forma didática e clara. Obviamente que é tudo em inglês, então quem não tem domínio da língua pode ficar um tanto perdido. Como não há grandes foguetes, robôs e parafernálias chamativas para se ver como no outro passeio, imagino que possa ser até entediante. Como eu consegui entender tudo, achei muito interessante e até gostei mais desse tour que do outro, pois dá uma visão mais direta do que é efetivamente feito no trabalho.

Saturn V
Saturn V

Depois voltamos para o veículo e nos dirigimos para o Rocket Park & Saturn V Facility, que é o destino final de ambos os passeios. Falo mais detalhadamente sobre ele em outra postagem, mas posso adiantar que você poderá ver de perto e em diferentes ângulos alguns foguetes, incluindo o impressionante Saturn V, além de ler informações e ver fotos de várias das viagens realizadas pela NASA. Essa parada é opcional e acontece nos dois passeios do NASA Tram Tour. Se você pretender fazer também o Astrounaut Training Facility Tour, terá outra oportunidade de visitar essa área.

Volta na tarde
Volta na tarde

Essa parada tem exploração livre e você pode ficar o quanto quiser. Só não se esqueça que também tem muita coisa interessante para se explorar no museu, então não recomendo se esquecer da vida e gastar tanto tempo – a parte guiada do tour tem duração média de 60 minutos. No momento em que decidir voltar para o Space Center Houston, basta se dirigir ao local de embarque e esperar pela chegada do próximo veículo. Dessa vez, não tem mais carro específico ou lugar marcado. Caso já tenha feito o passeio na tour anterior ou queira deixar para fazer na próxima, basta não descer do carro.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s