San Antonio Museum of Art

San Antonio – Museum of Art

O San Antonio Museum of Art funciona em um complexo de prédios que abrigava a Lone Star Brewery, uma grande cervejaria da região aberta em 1884. Na década seguinte, a estrutura original de madeira foi substituída por uma construção de pedra. A empresa funcionou até a Primeira Guerra Mundial, quando foi fechada e o espaço passou a ter outros usos. Na metade do século XX, o local já estava abandonado e arruinado. Atentos à potencial arquitetura e dramáticos interiores, os líderes da comunidade identificaram e apoiaram a sua readequação. Em 1981, o SAMA foi aberto para visitação.

Fachada principal do prédio
Fachada principal do prédio

Apesar de ficar um pouco afastado da maioria dos atrativos turísticos que se concentram no centro da cidade, é possível chegar até lá com uma caminhada tranquila. Isso pode ser feito, inclusive, pelo famoso Riverwalk. O endereço é 200 West Jones Avenue. Para quem quiser economizar, a entrada é gratuita aos domingos, da abertura até meio-dia, para a coleção permanente. Recomendo sempre confirmar isso, os preços nos outros dias e os horários de funcionamento na página oficial, que tem as informações atualizadas.

Arte colonial de influências espanholas
Arte colonial de influências espanholas

O museu leva o visitante a uma viagem ao redor do mundo e através de cinco mil anos de história, já que possui a mais abrangente coleção de arte grega, romana e egípcia do sul dos Estados Unidos, uma área que vai até as antigas manifestações populares dos continentes americanos, diversas salas focadas nos trabalhos asiáticos, uma bela coleção de arte contemporânea e outros. É um acervo com mais de trinta mil objetos que incluem pinturas, esculturas, móveis, peças de decoração, fotografias, roupas, etc. Caso você tenha interesse em passar por todas as salas, lendo as informações com calma, recomendo reservar um bom tempo para a visita. Já se você estiver com pressa, o próprio mapa distribuído na entrada indica alguns dos destaques.

Arte funerária do Egito
Arte funerária do Egito

Vou postar alguns exemplos do que vi durante a minha visita ao local para dar uma noção do que será encontrado. As dezenas de salas distribuídas em quatro andares são divididas por países e temas. Seguindo a sequência sugerida pelo guia do museu, visitei primeiro os egípcios, que acreditavam na existência de vida após a morte e, por isso, faziam todo um trabalho para preservar o corpo. Além dos objetos diretamente associados ao processo de mumificação, também eram criados amuletos e figuras, que ajudariam a alma em sua jornada. Os mais abastados eram sepultados em tumbas também chamadas “casas da eternidade”, que podiam ser decoradas com estátuas, pinturas, frases, móveis, joias e vários outros itens. Esses ambientes protegidos contribuíram para a preservação dos objetos.

Vasos gregos com gravuras
Vasos gregos com gravuras

Os gregos também honravam os mortos com monumentos, mas me chamaram a atenção os vasos de cerâmica pintados com distintas cores e formas. Esse tipo de utensílio era usado tanto para armazenar as vísceras dos mortos preparados para o enterro quanto para conter perfumes, óleos e alimentos durante o transporte, uso doméstico, oferendas aos deuses, cerimônias de casamento e festivais religiosos. As pinturas desses vasos revelam muito sobre a mitologia, crenças, política e costumes sociais. Destacam-se os produzidos na região de Ática, que compreende Atenas e seu entorno, com suas imagens formadas pelo contraste do vermelho com o preto.

Esculturas romanas
Esculturas romanas

A mitologia também é muito presente na cultura romana, servindo para explicar a natureza, a sociedade e a política. A representação dos deuses e outras figuras através de esculturas, pinturas, mosaicos e outras mídias decoravam espaços públicos e privados. Na foto acima, Marco Aurélio aparece em destaque sobre o fundo vermelho. Nessa obra, o jovem príncipe é retratado com traços de barba e cabelos encaracolados, segurando uma espada e um cetro. Ele foi imperador de 160 a 181 a.C., sendo o responsável por conter as invasões constantes de outros povos. Também escreveu uma coleção de reflexões filosóficas conhecidas como “Meditações”.

Estátua de Buda em pose de meditação
Estátua de Buda em pose de meditação

Há várias salas dedicadas a países asiáticos como a China, Japão e Índia. Eu escolhi postar aqui uma obra coreana porque exemplifica por que eu gosto de fazer essas visitas com calma. Várias das obras do San Antonio Museum of Art eram acompanhadas de textos explicativos, o que eu acho bastante enriquecedor. Essa figura de Buda, por exemplo, pode ser vista rapidamente. Quando você para, observa os detalhes e lê, entretanto, você descobre muito mais sobre sua origem e significado. Segundo o simbolismo da religião, ele se encontra em uma posição típica de meditação. Observe que a mão direita faz um gesto de tocar a terra, uma alusão à resistência ao mal, que tentava lhe tirar a concentração. Combinada com a mão esquerda sobre o pé direito, significa conhecimento, reencarnação e verdade.

Cesto em forma de porco
Cesto em forma de porco

Mas os trabalhos artísticos do mediterrâneo e asiáticos são bastante presentes nos museus ao redor do mundo. Bem menos comum de se encontrar é a arte antiga dos oceânicos. Aqui temos um estilo artístico bem diferente dos vistos anteriormente, com formas e técnicas que lembram as tribos africanas. Esse cesto em formato de porco foi feito a partir de fibras vegetais, possui conchas no lugar dos olhos, presas e pelos reais e é decorado com penas. Em cima da cabeça do bicho, há um acessório com uma representação do rosto humano. É datado de cerca de mil anos atrás.

Sky Bridge
Sky Bridge

A partir daí fiz a travessia para o outro lado do prédio através de uma passarela chamada Sky Bridge, que conecta as duas torres e oferece uma vista externa. Infelizmente estava chovendo no dia, então a paisagem não estava muito bonita. Na chamada East Tower ficam as salas de arte contemporânea, que abrigam, principalmente, obras americanas pós Segunda Guerra Mundial, com ênfase no modernismo abstrato. Também há um enfoque em artistas texanos do final dos anos 1960 até os dias atuais.

Exposição de móveis texanos
Exposição de móveis texanos

Esse é outro motivo para eu gostar de visitar museus em várias das cidades que eu visito pelo mundo: sempre tem uma parte mais regional, seja do artesanato e cultura locais, seja de artistas da cidade ou estado. Um exemplo disso é a exposição de móveis texanos. As peças eram produzidas localmente, já que os custos de importação da Europa ou mesmo de outras partes dos Estados Unidos eram muito altos. Isso fez com que surgisse uma indústria com produção usando matérias primas locais. Ainda que influenciadas pela mão de obra vinda especialmente da Alemanha, essas criações possuem características próprias.

Obras de arte latino-americanas
Obras de arte latino-americanas

Outra coleção bastante completa é a de peças latino-americanas, aberta para o público em 1998. São cerca de sete mil objetos que abrangem uma área que vai do México ao extremo América do Sul. A exposição tem peças da época colonial, com seus temas religiosos, até movimentos artísticos recentes como pós-impressionismo, cubismo e expressionismo. O legal é que essas vanguardas foram diretamente influenciadas pela realidade de cada local. No México, a revolução agrária do início do século XX e, posteriormente, a combinação entre o modernismo e o artesanato dos povos indígenas. Na Argentina e no Brasil, a valorização da cultura local nas artes plásticas e na literatura, sem influências políticas.

A loja do museu
A loja do museu

Além das exposições permanentes, também passei por uma exibição temporária de obras de um artista americano, dessa vez na Cowden Gallery, que fica em um prédio anexo com acesso pelo saguão principal do museu. É possível conferir a programação das mostras e outros eventos na página oficial. Por fim, dei uma volta na loja do museu. Sempre gosto de dar uma olhada nos produtos, que são relacionados com as obras. O museu conta, ainda, com o restaurante Tre Trattoria, que eu não cheguei a visitar, em seus jardins. As informações sobre o estabelecimento, incluindo os menus, podem ser acessados na página oficial.

Anúncios

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s