Museo Pedro de Osma

Lima – Museo Pedro de Osma

Quando eu fui a Lima pela primeira vez, muitos anos atrás, passei na frente desse lugar e fiquei com vontade de entrar porque me pareceu uma casa muito linda. Eu não tinha feito muitas pesquisas sobre a cidade, então nem sabia que se tratava de um museu. Acabei fazendo o passeio nessa última visita.

A imponente construção em estilo francês, que já havia me impressionado naquela ocasião, foi erguida a mando de Pedro de Osma y Pardo e com projeto de Santiago Basurco, em 1906, para servir como casa de verão da família. Àquela época, o distrito de Barranco era um local de veraneio da oligarquia limeña. Após sua morte, a propriedade foi herdada por seus filhos, Angélica e Pedro de Osma Gildemeister.

Fachada do museu
Fachada do museu

Pedro de Osma Gildemeister (o filho) era um filantropo e gostava de colecionar objetos artísticos dos séculos XVI a XVIII, que dispunha nos salões da mansão e exibia a seus convidados e visitantes. No começo, não havia a pretensão de formar um acervo de museu – era mesmo apenas um hobby de uma pessoa rica. Em 1948, entretanto, a coleção começou a ser exibida. Pedro de Osma faleceu em 1967, deixando a propriedade para sua irmã. Em 1974, um forte terremoto levou ao cancelamento das visitas. Anos depois, em 1980, a Casa de Osma foi declarada Monumento Nacional e, no ano seguinte, iniciaram-se as obras de restauração sob o comando de Eugenio Nicolini. A visitação foi retomada em 1987, agora como Museo Pedro de Osma.

Sala Ángeles e Arcángeles
Sala Ángeles e Arcángeles

A coleção do museu é formada por pinturas, esculturas, retábulos, peças de prata, móveis e objetos diversos de arte andina, especialmente das regiões de Cusco e Ayacucho, dos séculos XVI a XVIII. Em sua maioria, trata-se da coleção pessoal de Pedro de Osma.

A casa principal é dividida em oito salas: Manierismo, com obras europeias, principalmente de artistas italianos, que foram importadas para a América como parte do processo de evangelização dos povos locais a partir de 1575; Advocaciones Marianas, que reúne imagens de altar também trazidos dos países católicos europeus, bem como as reinterpretações andinas das mesmas; Ángeles y Arcángeles, com quadros que retratam a simbiose entre os preceitos católicos e as lendas ancestrais do povo peruano, com o surgimento dos arcángeles arcabuceros; Procesos de Restauración, com alguns quadros em diferentes etapas de restauração; Esculturas, com obras de temas religiosos entalhadas, principalmente, em madeira e decoradas de dourado; Alegorías,  com as histórias e conceitos bíblicos retratados com o uso de signos e símbolos facilmente interpretáveis pela população local; e Cusco XVII e Sala Cusco XVIII, com peças da escuela cusqueña.

Sala Cusco XVIII
Sala Cusco XVIII

A coleção é bem voltada para a arte sacra, como se pode imaginar pela época enfocada na exposição. O mobiliário exposto também é da época colonial e republicana. Além disso, a própria casa pode ser apreciada, com seus vitrais nas janelas, pisos trabalhados em madeira e lustres luxuosos.

Quando eu fiz a visita ao museu, estava acontecendo também uma exposição temporária de vestuários de diversas épocas. Era preciso pagar a mais para ver a coleção completa, mas uma boa parte estava espalhada pelo museu. Como eu não sou exatamente fã de arte sacra, achei interessante observar os detalhes dessas roupas luxuosas.

Sala Retratos
Sala Retratos

Atrás da casa principal tem um jardim e mais duas salas: Retratos, com uma extensa coleção de pinturas feitas por artistas locais representando os reis espanhóis; e Esculturas em Piedra de Huamanga, com temas religosos e profanos.

Como se pode perceber, essas salas foram tomadas pela exposição das vestimentas de diversas épocas. Eu achei as roupas muito interessantes, mas não posso negar que tiraram o foco da coleção permanente.

Sala de Platería
Sala de Platería

Há ainda uma outra construção à direita do jardim, que conta com duas salas: Galería de Exposiciones Temporales, onde estava a maior parte das roupas de época e que requer o pagamento de um adicional no ingresso para visitar; e  Sala de Platería, que fica no subsolo e exibe peças em prata e ouro. Essa é uma parte muito interessante do museu, com objetos de cerimônias litúrgicas, procissões, cultos, adornos de altar e outros de uso religioso, mas também peças usadas no cotidiano no serviço de mesa, quarto, oratórios, etc.

As informações sobre os dias, horários de funcionamento e preços dos ingressos podem ser encontrados na página oficial do museu. Também há opções para visitas guiadas para aqueles que querem aprofundar o conhecimento nas produções artísticas exibidas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s