Epidemia

Epidemia ★★★☆☆

Título original: Outbreak
Ano:
1995
Direção: Wolfgang Petersen
Elenco: Dustin Hoffman, Rene Russo, Morgan Freeman, Donald Sutherland, Cuba Gooding Jr., Patrick Dempsey e Kevin Spacey.

A história da humanidade foi marcada por doenças devastadoras causadas por vírus e bactérias. Especialistas têm alertado, ao longo das últimas décadas, sobre o risco de uma pandemia, que causaria a morte de uma grande parte da população mundial. O tema já apareceu em vários filmes, passando por estilos diversos como documentários, ficção científica, terror e ação. Nesse caso, o roteiro é levemente inspirado no livro Zona Quente, obra que traz o relato realista e desconcertante de Richard Preston sobre o vírus ebola, ainda incurável, sem controle e transmitido pelo ar, levando grande parte dos infectados à morte em apenas dez dias.

Cenas de ação dominam o filme
Cenas de ação dominam o filme

A popularidade de Epidemia aumentou juntamente com a propagação do Covid-19, chegando a ser um dos filmes mais vistos por streaming nos Estados Unidos em março de 2020. Embora tenha algumas semelhanças com a situação atual, com o contágio viral funcionando como uma ameaça invisível que causa medo em alguns e negacionismo em outros, a doença retratada é bastante diferente – e eu espero não viver nada parecido com o mostrado, embora a ameaça seja real. O longa-metragem investe bastante em cenas de ação explosivas, o que faz sentido para o estilo de filme que estava em auge na época, mas acaba deixando o drama e a seriedade do tema em segundo plano. 

Vírus altamente mortal
Vírus altamente mortal

O roteiro exagerado e personagens bem divididos entre vilões e mocinhos fazem com que seja difícil levar a história a sério. Mas é um bom entretenimento, então, vale a pena assistir. No filme, o vírus motaba, que causa febre hemorrágica, é descoberto em uma pequena comunidade na selva africana. Para conter a disseminação e manter a ameaça em segrego, o exército americano destrói o local com todos os infectados. Quase trinta anos depois, um virologista é enviado ao continente para investigar uma nova epidemia e ficam alarmados, mas as autoridades fazem pouco caso e não acreditam o mal vai se alastrar.

Epidemia se origina em selva africana
Epidemia se origina em selva africana

Uma epidemia viral do ebola, com características bastante similares com as mostradas na obra de ficção, aconteceu no Zaire no ano de 1995, coincidindo com o lançamento do filme. Ironicamente, é justamente nesse local, conhecido agora como República Democrática do Congo, que se origina a epidemia na ficção. As cenas, entretanto, foram gravadas na ilha de Kauai, que faz parte do Havaí. A localidade costuma ser usada para retratar florestas exóticas em filmes diversos, incluindo a saga Jurassic Park.

Vírus é transportado em viagem intercontinental
Vírus é transportado em viagem intercontinental

O vírus chega ao território americano através de um macaco contrabandeado, algo até bastante plausível como causa, já que volta e meia vemos notícias de animais selvagens sendo capturados e vendidos ilegalmente em outros países. As imagens que se passam nas águas foram filmadas no S.S. Lane Victory, um navio cargueiro real que foi usado na Segunda Guerra Mundial, na Guerra do Vietnã e na Guerra da Coreia. Na época da filmagem, a embarcação estava ancorada em San Pedro, na Califórnia.

Doença toma conta de cidade americana
Doença toma conta de cidade americana

A maior parte da produção aconteceu nesse estado americano, onde também ficaria a cidade que é colocada em quarentena por ser o epicentro da epidemia. As gravações ocorreram, principalmente, em Ferndale, conhecida por sua bem preservada arquitetura vitoriana. Entre as locações estão o interior Kemp Building, que serviu como pet store; o Ferndale Repertory Theatre, sala de cinema que mostra pessoas sendo infectadas por vírus soltos no ar pela tosse de um doente; e a fachada de uma loja que foi transformada em laboratório de pesquisas. Eureka e Arcata, cidades próximas, também foram usadas em algumas cenas.

Hospital lotado de pacientes
Hospital lotado de pacientes

Já o hospital, onde se passam algumas das situações mais assustadoras da trama, é uma combinação do saguão principal do agora desativado Linda Vista Hospital, que ficava na cidade de Los Angeles, e do interior do Huntington Memorial Hospital, em Pasadena. Além disso, outras partes do filme foram realizadas no Warner Bros. Studios de Burbank. É bastante comum que produções utilizem diferentes espaços que, quando combinados pela edição, convencem o espectador de que se passam em um só lugar – uma das grandes magias do cinema.

Situação extrema gera caos
Situação extrema gera caos

As comparações entre o filme e a pandemia do Covid-19 devem ser comedidas, já que se trata de uma época distinta, outro tipo de vírus e uma realidade diferente, já que a doença não chega a se espalhar mundialmente. Além disso, a melhor estratégia para evitar o contágio pelo coronavírus é evitar o contato com outras pessoas e, se possível, ficar em casa – algo que não é muito atrativo para o cinema. Ainda assim, Epidemia acerta ao mostrar o potencial estrago causado pela crise na saúde, a necessidade do isolamento, o desespero da sociedade, a sobrecarga nos hospitais, o despreparo das equipes médicas, a influência das decisões políticas e outros aspectos, ainda que em proporções exageradas.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s