Antes do amanhecer

Antes do amanhecer ★★★★★

Ano: 1995
Direção: Richard Linklater
Elenco: Ethan Hawke e Julie Delpy.

Recentemente revi esse filme e, além de achar a história maravilhosa, me deu ainda mais vontade de viajar. A história é inspirada em uma noite que o diretor passou na companhia de uma jovem mulher que conheceu em Filadélfia, quando viajava pelos Estados Unidos. Segundo ele, quando as pessoas estão viajando, elas ficam bem mais abertas a experiências fora de sua realidade. Para as telonas, a trama foi transportada para outro país, mantendo o mesmo espírito.

Filme centrado no casal
Filme centrado no casal

Antes do amanhecer é centrado em apenas dois personagens, o americano Jesse e a francesa Céline, que se conhecem em um trem e desembarcam em Viena, na Áustria. O roteiro pode ser considerado minimalista, já que não há grandes acontecimentos além deles caminharem e conversarem durante a única noite que têm disponível para passarem juntos. Isso não quer dizer que a obra não tenha um ótimo conteúdo. Pelo contrário, o casal discute diversas ideias e perspectivas sobre a vida, o amor e as expectativas para o futuro, entre outros.

Antes do amanhecer trabalha com a descoberta de si mesmo através da relação com um parceiro, ainda que pelo curto período de doze horas. O ambiente tem grande importância nesse processo pelos elementos desconhecidos que trazem espontaneidade às interações. Como prefiro não entrar em detalhes do enredo, vou mostrar os lugares por onde eles passaram. Para quem tiver interesse de conhecer, o mapa interativo acima vai ajudar a se localizar e planejar melhor os deslocamentos, que vou mostrar aqui na ordem que aparece no filme.

Plataforma da Westbahnhof
Plataforma da Westbahnhof

Após se conhecerem no trem, os personagens principais desembarcam na Wien Westbahnhof, a estação oeste de trem – um ponto em que muitos visitantes chegam na cidade ou pelo menos passam durante o tempo de estadia. Obviamente, as plataformas foram modernizadas ao longo das últimas décadas, apresentando agora divisórias de vidro e não tendo mais as placas que indicavam a localização dos telefones públicos nas colunas. Já o prédio principal ganhou novas lojas e cafés.

Metrô passando entre o rio e a Zollamtsbrücke
Metrô passando entre o rio e a Zollamtsbrücke

A Zollamtsbrücke é uma ponte com apenas 30 metros de comprimento e 3,5 de altura erguida em 1900 sobre o rio Wien. Antigamente usada para a travessia do bonde, hoje em dia é uma via para pedestres. Na década de 1970, foi construída a linha subterrânea cujos trilhos passam por baixo, entre a estrutura verde e as águas. No plano de fundo, é possível ver o prédio da Österreichische Akademie der Wissenschaften, associação fundada em 1847 e maior patrocinadora de pesquisas científicas do país.

Tram passando em frente da Votivkirche
Tram passando em frente da Votivkirche

Falando em transporte, também aparece o famoso bonde vermelho de Viena percorrendo as ruas sob o agradável e quente clima de maio, com destaque para a Votivkirche, igreja em estilo neogótico construída como um agradecimento pela salvação do imperador Franz Joseph após uma tentativa de assassinato em 1853. Os trabalhos tiveram início três anos depois e a fachada é de arenito branco, o que significa que precisa ser constantemente restaurada e protegida da poluição do ar e da chuva ácida, que tentem a manchar e corroer a pedra.

Loja de discos Teuchtler
Loja de discos Teuchtler

A Teuchtler é uma loja com extensa coleção de discos novos e usados, tanto em LPs quanto CDs, próxima ao centro comercial facilmente identificável pela placa Alt & Neu que aparece em destaque na fachada. Com clima intimista, continua em atividade e comercializa diversos álbuns com foco na música clássica, jazz e pop internacional.

Maria-Theresien-Platz
Maria-Theresien-Platz

A menos de dez minutos de caminhada dali se chega à Maria-Theresien-Platz, uma grande praça pública onde se destacam, em posições opostas, o Naturhistorisches Museum, de história natural, e o Kunsthistorisches Museum, de história da arte. Os prédios são praticamente idênticos, sendo diferenciados pelas estátuas em suas fachadas. Enquanto o primeiro tem personificações da África, Ásia, Europa e Américas, o segundo destaca artistas europeus.

Friedhof der Namenlosen
Friedhof der Namenlosen

Bem menos conhecido pelos turistas, talvez por se encontrar distante dos demais atrativos, o Friedhof der Namenlosen é um lugar calmo que causa uma forte impressão por ter sido usado como descanso final para indigentes cujos corpos apareciam nas margens do rio Danúbio. O “cemitério dos sem nome” tem apenas 15 x 15 metros, dois bancos e uma pequena construção. Eu confesso que gosto desse tipo de passeio, mas algumas pessoas podem considerar um pouco sombrio.

Wiener Riesenrad
Wiener Riesenrad

Bem mais fácil de agradar, pelo menos para quem não tem medo de altura, é a volta na Wiener Riesenrad, roda-gigante bastante procurada principalmente pela vista panorâmica. A volta completa na atração, que tem mais de cem anos e se tornou um símbolo da cidade, dura entre dez e quinze minutos. Ali também há uma exposição que percorre mais de 2000 anos de história local através de instalações audiovisuais distribuídas em cabines. A área de diversões do Prater, parque tornado público em 1766, tem ainda vários outros brinquedos.

Kleines Café
Kleines Café

Em uma pequena e pouco movimentada praça próxima ao coração da cidade, contrastando com as movimentadas avenidas próximas, fica o Kleines Café, que continua com a mesma fachada e cadeiras na área externa mostradas no filme do começo da década de 1990. É interessante ver como alguns espaços resistem às mudanças ao longo de tanto tempo.

Marie am Gestad
Marie am Gestad

Entre as diversas igrejas do centro histórico, é mostrada a Maria am Gestade, uma das mais antigas e rara sobrevivente da arquitetura gótica na cidade. Tradicionalmente, ela era muito usada pelos navegadores do rio Danúbio. A estrutura atual foi erguida entre 1394 e 1414, mas há menções em documentos de outro templo no local séculos antes. No final do século XVIII, o espaço passou a ser dilapidado, chegando a ser usado como arsenal e estábulo durante a ocupação de Viena por Napoleão, em 1809. Restaurações aconteceram cerca de cem anos depois.

Calçadão do Rio Danúbio
Calçadão do Rio Danúbio

O Danúbio é o segundo rio mais extenso de toda a Europa, percorrendo dez países por 2.850 km até desaguar no Mar Negro. Abrigo de uma grande diversidade de peixes, fonte de água potável e, em sua maior parte navegável e usado como rota de comércio, não é de se espantar que muitas cidades tenham se desenvolvido às suas margens. Também são nelas que muitas pessoas fazem caminhadas, passeios de bicicleta e exercícios físicos, aproveitando os vários quilômetros do calçadão de pedra.

Arena Café
Arena Café

Os personagens do filme também visitaram um clube noturno onde músicos amadores podem apresentar seus trabalhos para uma pequena audiência. O ponto alternativo é marcado pelos graffitis, que podem ser vistos em grande quantidade nos tempos atuais nas paredes e até mesmo no interior do complexo de prédios do quarteirão. Quem quiser visitar o Arena Café terá que encarar um bom deslocamento, já que a atração fica a uns 4 km do centro da cidade.

Mölker Steig
Mölker Steig

De fato, o filme usa a magia do cinema para criar a ilusão de uma rota linear, mas tem um monte de vai e vem que não são muito práticos para o turista na vida real. Quem quiser visitar todos os pontos, deve ignorar a sequência mostrada pelo roteiro e planejar seu itinerário de acordo com a lógica. A Mölker Steig, mostrada logo após a saída do café, por exemplo, é uma viela com calçamento de paralelepípedos na parte central da cidade, a alguns quilômetros do café. Ela passa atrás do Wien Museum Beethoven Pasqualatihaus, museu que funciona onde morou o famoso compositor de música clássica.

Dança do ventre na Spittelberggasse
Dança do ventre na Spittelberggasse

Já a sequência da dança do ventre foi gravada na Spittelberggasse, viela usada para a prostituição nos primeiros anos do século XX, mas há muito tempo revitalizada. Em um final de semana de cada mês é realizada ali uma grande feira ao ar livre com exposição de trabalhos artesanais que inclui materiais como madeira, vidro, tecido e barro, decorações e utilidades do lar, pinturas e até mesmo joias. Além disso, é um local com boa concentração de restaurantes e cafés.

Café Sperl
Café Sperl

Não muito distante fica o tradicional Café Sperl, aberto em 1880 e frequentado por arquitetos, pintores, músicos, atores, cantores, políticos e oficiais de alto escalão, apesar das divergências de ideias entre os artistas e os militares. Na atualidade, muitas mesas são ocupadas por escritores, além das estrelas que trabalham ou frequentam o Theater an der Wien. Também são realizadas no próprio estabelecimento leituras de peças literárias e apresentações musicais.

Vista do terraço do Museu Albertina
Vista do terraço do Museu Albertina

Uma breve cena foi gravada no exterior do Albertina, museu de arte que abriga um dos mais importantes acervos de pinturas do mundo, além de trabalhos modernos e exposições temporárias. Não é mostrado o prédio em si, mas apenas a sacada exterior, já que o terraço acima do nível da rua proporciona uma ótima vista da cidade. O destaque é a Wiener Staatsoper, construção em estilo renascentista do final do século XIX que sedia espetáculos de ópera e balé e tem capacidade para mais de 1.700 espectadores.

Monumento em homenagem ao Archduke Albrecht
Monumento em homenagem ao Archduke Albrecht

Em outro momento, o casal volta ao local para descansar aos pés do monumento erguido em homenagem ao Archduke Albrecht, um general austríaco que viveu ao longo do século XIX e morou justamente no local onde hoje funciona o museu. Conservador, tanto em questões militares quanto civis, ele lamentava o declínio da moral do exército e lutava contra qualquer tipo de inovação. Sua atuação, entretanto, era maior como burocrata do que como soldado, já que esteve no comando por trinta anos durante um período de paz.

Barco com café e restaurante
Barco com café e restaurante

Os protagonistas também visitaram uma embarcação atracada no píer do rio onde funcionava um café-restaurante. Infelizmente, a atração foi abandonada e coberta de grafitti e lixo, mas, quem tiver curiosidade de visitar o local onde foram feitas as filmagens, basta ir até a Marionbrücke. A ponte, construída no começo do século XX, foi destruída quatro décadas depois durante uma batalha da Segunda Guerra Mundial. Tanto a estrutura quanto uma versão simplificada da Virgem Maria foram refeitas posteriormente.

Roxy Club
Roxy Club

Outra opção de diversão na cidade é o Roxy Club, uma casa noturna simples e intimista no subsolo, marcada pelas luzes e decorações em vermelho. Eu confesso que geralmente não saio para curtir a noite nas minhas viagens, já que fico cansado depois de passear o dia inteiro, sempre com muitas caminhadas. Mas pode ser uma boa opção para quem quer tomar um drink, curtir a pista de dança com os amigos e aproveitar o som de DJs e outros eventos.

Schwarzenberg Palais
Schwarzenberg Palais

Entre os locais mostrados no longa metragem, alguns acabam marcando mais. Um ponto importante para o filme são os jardins do Schwarzenberg Palais, onde o casal passa uma parte da madrugada. A construção em estilo barroco foi erguida a partir de 1697 e somente finalizada em 1728, ganhando um laranjal décadas depois. Infelizmente, tanto a área verde quanto o palácio em si estão fechados para a visitação do público por se tratar de uma propriedade privada.

Janela na Preßgasse
Janela na Preßgasse

Certamente mais acessível é uma pequena curiosidade para os fãs. Ao caminhar pelas ruas, eles param perto de uma janela baixa com grade verde e escutam a melodia de uma música tocada no cravo por um homem em um bonito interior. As imagens foram feitas na Preßgasse. Como a maioria das atrações citadas, ela fica na região central, onde a maioria dos visitantes escolhe para se hospedar na cidade.

Reservar hotel na cidade

Eu nunca fiz um passeio especificamente para visitar as locações de determinada produção, mas confesso que sempre presto atenção e reconheço alguns lugares. Também vejo como uma oportunidade de ver atrativos e características dos espaços que talvez teriam passado despercebido, sendo uma construção, apenas a estátua de uma personalidade ou, simplesmente, a grade de uma janela que ganha novo significado.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s