Erros comuns na contratação de seguro de viagem

Erros comuns na contratação de um seguro de viagem

Quem contrata um seguro de viagem quer ter tranquilidade durante seu passeio, trabalho ou estudos, seja no exterior ou dentro do próprio Brasil, quando está fora de sua cidade. Infelizmente, não basta ter apenas boa vontade. Assim como todas as áreas do planejamento de uma viagem, suas decisões quanto ao seguro precisam ser cercadas de cuidados. Abaixo, falo sobre os erros mais comuns quando se trata desse assunto.


Achar que não precisa do seguro

Já fiz algumas viagens para o exterior e sempre contratei seguro de viagem, independente se o destino era na América do Sul ou na Europa. Na maioria das ocasiões, não precisei usar nenhum dos serviços, o que poderia deixar a sensação de que joguei dinheiro fora. Mas também já precisei e, sem sombra de dúvidas, valeu muito à pena. Estou falando da economia de milhares de euros. Portanto, não dê chances à Lady Smurf (Lei de Murphy).


Confiar no atendimento da saúde pública

Pelo bem ou pelo mal, vivemos em um país em que é possível buscar o atendimento público para emergências. Muitos viajantes não contratam seguros ou escolhem os mais básicos e baratos pensando que, em situações extremas, não lhe será negado atendimento, principalmente nos países desenvolvidos que tanto gostamos de elogiar. Não se engane: muitos lugares no “primeiro mundo” cobram caro por consultas simples, quem dirá para atendimento hospitalar, exames e intervenções cirúrgicas, tanto para residentes quanto para turistas. Não é à toa que vários países europeus determinam um valor mínimo para a apólice do seguro de viagem.


Não contratar seguro nas viagens nacionais

Esse é um item polêmico. A questão é que a maioria das pessoas só pensa no seguro para viagens internacionais, o que pode ser um tiro no pé. Os viajantes acham que qualquer problema no Brasil poderá ser contornado, pois é mais fácil voltar para casa. Quem já precisou comprar uma passagem de última hora sabe que as coisas não são tão simples, principalmente em época de férias. Também confiam demais nos seus planos de saúde, mas se esquecem a maioria deles não possuem cobertura nacional, ou seja, não valem de nada quando saímos do nosso estado. Ainda que tenham cobertura nacional, muitos possuem a maior parte de sua rede conveniada concentrada em uma região, têm uso burocrático para diversos procedimentos e não cobrem outros aspectos relativos a viagem, como proteção em casos de cancelamento de voo ou extravio de bagagem. 

Seguro de viagem no Brasil
Seguro de viagem no Brasil

Ignorar a obrigatoriedade do seguro

Alguns destinos, como diversos países da Europa, exigem que o viajante tenha contratado um seguro de viagem com um determinado valor mínimo de cobertura. Muitas vezes, a comprovação dessa contratação pode acontecer já no departamento de imigração e sua falta pode causar a recusa da entrada no país ou a exigência de adquirir o serviço imediatamente, mais caro e sem tempo para pesquisa.


Pensar que seguro de viagem é só assistência médica

De fato, a questão mais importante do seguro de viagem é a saúde, mas os planos oferecem bem mais para o viajante, como ressarcimento no caso de extravio de bagagem; ajuda nos custos de hospedagem e outros gastos quando há cancelamento de voo; assistência odontológica; orientações jurídicas; repatriação; ida e volta de familiar para auxiliar o segurado em caso de necessidade; acompanhamento de menor de idade; consultoria quando há perda de documentos; entre outras vantagens.

Seguro viagem
O seguro viagem engloba muitas assistências

Confiar no seguro do cartão de crédito ou das agências

Normalmente compramos as nossas passagens de avião com cartão de crédito, daí nos informam que há um seguro embutido nessa transação e não precisamos de mais nada. Isso também pode acontecer quando se adquire um pacote de viagem que vem com um seguro de brinde. O erro aqui é confiar 100% nesses serviços, sem conferir o que está incluso. Geralmente trata-se de uma cobertura muito básica. Não é que eles devam ser descartados, mas é importante que sejam complementados com os planos, bem mais completos, que são vendidos pelas seguradoras.


Aceitar orientações genéricas

Muitas pessoas querem tudo de mão beijada, em todos os aspectos da viagem. Vejo isso pelo tipo de textos que aparecem em diversas páginas na internet: cinco lugares que você precisa conhecer; vá para tal lugar; lista disso e daquilo; não se preocupe que resolvemos tudo para você; contrate esse seguro. O problema é que não existe uma fórmula mágica, então é preciso tomar muito cuidado com as orientações genéricas e soluções fáceis.

Contrato de seguro de viagem
Contrato de seguro de viagem

Ter preguiça de pesquisar

O conhecimento é a ferramenta mais importante para evitar imprevistos e situações complicadas. Quando você conhece bem o lugar para onde vai, você é capaz de determinar melhor quais são os riscos envolvidos na sua viagem. Através de pesquisas, você irá descobrir muito sobre o clima local, as doenças mais comuns, a necessidade de tomar vacinas, o risco de ser assaltado e muitas outras questões. Com base nesse conhecimento, você pode contratar um seguro de viagem mais adequado à realidade local.


Achar que é tudo muito difícil

Não venha falar que não sabe fazer, que é complicado ou dar qualquer desculpa para não pegar um seguro de viagem adequado. A contratação de seguros e assistência viagem pode ser feita rapidamente pela internet, não sendo preciso sequer enviar cópias de documento, realizar perícia ou vistoria. Basta informar seu destino, quantos dias de viagem e alguns dados básicos. Ao final do processo, você receberá a apólice por e-mail, que pode ser impressa ou consultada no próprio celular em caso de necessidade.


Não se informar sobre a cobertura do seguro

Existem tipos diferentes de seguros, voltados para necessidades diferentes. Ao contratar esse tipo de serviço, é preciso ler todas as informações disponíveis e se informar sobre a cobertura oferecida. Existem, por exemplo, planos voltados para a prática de esportes radicais, cujas consequências de acidentes não são contempladas pelos seguros mais comuns. Mulheres grávidas também precisam de um plano específico.

Seguros de viagem para esportes
Seguros de viagem para esportes

Mentir dados na hora da contratação

Em algum momento da sua vida você já deve ter aprendido, talvez de maneira traumática, que mentira tem perna curta. Ao contratar um seguro de viagem, informe corretamente todos os dados pedidos. Não adianta você falar que não vai praticar esportes, dar de cara no chão enquanto está esquiando montanha abaixo e depois achar ruim não ter o atendimento para esse tipo de acidente. Também não vale mentir a idade, doenças pré-existentes ou qualquer coisa do tipo.


Pagar mais caro sem necessidade

Talvez por preguiça de pesquisar ou por não saber, muitas pessoas acabam pagando mais caro por um serviço sem necessidade. Para contratar um seguro de viagem, eu faço a pesquisa pelo Seguros Promo, que lista várias empresas que oferecem o serviço, destacando as que tem melhor custo-benefício e permitindo a comparação das coberturas dos diversos planos. Com o uso do cupom VIAJENTO5, você ainda ganha 5% de desconto no preço final, além de mais 5% se pagar com boleto bancário.

Desconto em seguros de viagem com o cupom Viajento5
Desconto em seguros de viagem com o cupom Viajento5

Economizar demais

Uma mesma empresa possui vários níveis de seguro de viagem. Obviamente, quanto mais completo o plano, mais caro será o valor final. O ideal nesses casos é deixar a preguiça de lado e realmente comparar as propostas, escolhendo aquela que melhor se adeque às suas necessidades. O plano mais barato talvez seja muito limitado, então o correto é buscar o melhor custo x benefício.


Contratar de uma empresa qualquer

Hoje em dia é fácil descobrir a reputação de um serviço ou empresa, já que há páginas na internet especializadas em registrar a reclamação dos clientes e buscar a solução dos seus problemas. Antes de contratar um seguro, faça uma pesquisa para saber as avaliações de quem já usou o serviço. Ao contratar o seguro por um site, confirme de que se trata de uma plataforma segura, como deve ser feito em qualquer compra online.


Deixar para contratar o seguro durante a viagem

Isso é uma grande bobagem, pois o seguro de viagem deve começar a valer a partir do momento que você sai de casa – lembre-se que ele inclui coberturas para extravio de mala e outras coisas importantes. Além disso, é preciso ter cuidado com seguros contratados no exterior, já que eles não estão submetidos à legislação brasileira, como a defesa dos direitos do consumidor. No Brasil, o serviço é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep). Há também a Associação Brasileira de Cartões de Assistência (ABCA), da qual fazem parte diversas operadoras de seguro.


Não andar com a apólice do seguro

Você fez tudo certo, pesquisou e contratou o seguro de viagem adequado às suas necessidades. Agora não se esqueça que, para acionar o seguro, você precisa ter os dados disponíveis e telefones para contato. Deixe uma cópia da apólice no seu celular, de preferência com acesso off-line, mas também não custa nada imprimir uma cópia e andar com ela na carteira.


Contratar e não usar

É normal que a gente sinta durante a viagem uma dor de cabeça, aquele incômodo na barriga ou qualquer coisa simples que possa ser resolvida com remédios que não precisam de receita médica. Em resumo, as pessoas preferem se virar sozinhas sempre que possível. O problema é alguns sintomas podem ser indicativos de algo mais grave. Preste atenção aos sinais do seu corpo e não deixe de procurar ajuda.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s