Astrid & Gastón

Lima – Astrid & Gastón

Eu sempre fui de economizar com comida nas minhas viagens, mas volta e meia eu adiciono nos planos algum restaurante para apreciar a culinária local, o que eu considero como um passeio à parte. No caso de Lima, foi realmente uma extravagância, já que resolvemos ir a um dos restaurantes mais famosos do mundo. O Astrid & Gastón foi inaugurado em 1994, uma pequena casa em San Isidro. Gastón Acurio e Atrid Gutsche voltavam a Lima depois de estudar gastronomia em Paris. No começo, seguiam as tendências mundiais e serviam pratos com influências francesas. Com o passar dos anos, se voltaram para a culinária local e passaram a revalorizar ingredientes e receitas peruanas, contribuindo para a promoção da gastronomia do país no mundo.


Ambiente ★★★★★

Originalmente, a região onde hoje se encontra o restaurante era um conjunto de fazendas, ranchos, quintas, estábulos e hortas na periferia de Lima. A história se inicia na época da colonização espanhola, quando a área foi destinada à agricultura. Na segunda metade do século XVII, foi construída uma casa fazenda com projeto do arquiteto Pedro de Noguera. No século seguinte, após o terremoto de 1746, a casa foi reconstruída em estilo barroco colonial. Posteriormente, passou-se a chamar Hacienda de San Isidro em homenagem ao santo patrono dos agricultores. Ao longo dos anos, a fazenda teve muitos proprietários. Com a expansão urbana do início do século XX, as fazendas da região foram subdivididas e acabaram por desaparecer. A casa, já sem uso agrícola, foi cercada por muros e, décadas depois, declarada como Monumento Histórico.

Casa Moreyra
Casa Moreyra

Em 2014, a Casa Moreyra passou a abrigar o restaurante Astrid & Gastón. O casarão é muito bonito, decorado com elegância e dividido em vários cômodos e ambientes usados para atender aos clientes e para a realização de eventos. As mesas eram bem espaçadas umas das outras, garantindo conforto para os clientes. Tudo bem limpinho também.


Serviço ★★★★★

A reserva pode ser feita por telefone ou pela página oficial de maneira bem simples. Eu geralmente faço reservas online, porque acho bem mais fácil e funciona perfeitamente. As reservas abrem com três meses de antecedência, então é possível se planejar com antecedência. Basta escolher uma data no calendário, o horário de chegada, o número de pessoas (até quatro) e preencher um formulário com os dados pessoais e de contato.

Ambiente interno
Ambiente interno

Quando chegamos ao local, nossa mesa já estava separada e fomos muito bem atendidos durante todo o tempo em que ficamos lá. O garçom falava mais de uma língua (não perguntei quais), mas preferimos ser atendidos em inglês, já que o portunhol pode ser bem confuso em algumas ocasiões. Na sala em que ficamos, haviam apenas três meses e éramos atendidos sempre com eficiência e sem pressa.


Preço ★★★☆☆

Não se tem muito o que falar de preço num restaurante desse tipo. Obviamente, é caro. E não é o tipo de lugar que eu frequento no meu dia a dia. Dito isso, os valores astronômicos se justificam pelo local, pelo atendimento e, é claro, pela qualidade da comida servida.

Uma coisa que eu sinto falta é a disponibilização do cardápio na página do restaurante na internet, tanto para que possamos saber o que é servido, quanto para nos planejar no que iremos pedir e quanto gastar. O que posso dizer é que a conta deu cerca de 500 reais por pessoa.


Comida ★★★★★

Todo ano, esse restaurante figura na lista dos melhores do mundo. Obviamente a comida de lá é muito boa, então nem é preciso falar muito sobre a qualidade dos pratos. O foco do chef é no uso de ingredientes e receitas locais adaptadas para a alta gastronomia.

Como eu fui apenas uma vez, resolvi pedir o menu degustação para experimentar pratos variados. Eu pedi a opção mais farta, que vinha com um total de 14 courses. De cara eu já adianto que é muuuuuita comida, então é bom ir de barriguinha vazia. Também há a possibilidade de pedir um menu degustação de vinhos, que são definidos para harmonizar com os pratos.

La cama mandinga
La cama mandinga

Foram quatro entradas. Para cada prato trazido, o garçom explica do que se trata, quais foram as inspirações do chef, etc. No menu do outono de 2016: la cama mandinga era um mix de aperitivos diversos, todos deliciosos; pães artesanais com quatro tipos de pasta; ceviche limeño; e ceviche vegetariano. As entradas eram bem servidas e nós nem comemos todos os pães porque já percebemos ali que seria comida demais.

Ouriço-do-mar
Ouriço-do-mar

Foram um total de seis pratos principais em pequenas porções. O interessante do menu degustação é que tive oportunidade de experimentar iguarias diversas que eu nunca tinha comido na vida. No menu do outono de 2016: ouriço-do-mar, que eu nunca tinha comido e achei sem graça; porquinho-da-índia, que estava uma delícia e eu só descobri depois em casa exatamente o que era e fiquei morrendo de dó porque o bichinho é muito fofo (eram três variações); ovo mollet empanado; peixe do pacífico com temperos amazonenses, pois o Peru também tem uma parte de floresta amazônica; coelho com ervilhas; e leitão, que deve ter sido a coisa mais normal que eu comi nessa noite.

Chocolate, limão e orégano
Chocolate, limão e orégano

Nessa hora eu já estava socado de comida e não conseguia colocar mais nada na boca. Mas como a tripa de sobremesa é outra, assim que começaram os doces a minha energia foi renovada e eu estava pronto para me acabar de vez. Assim como na entrada, tivemos quatro variações de sobremesa. No menu do outono de 2016: maçã, pisco e menta, que era uma mistura de sorbet com a bebida típica do país; lúcuma, que é uma fruta típica da região dos Andes e veio acompanhada de sorvete, um pãozinho e café; chocolate, limão e orégano, que também estava uma delícia; e trufas e bombons de chocolate, para fechar com chave de ouro. Todas as sobremesas estavam deliciosas.


Resumo ★★★★☆

Não é à toa que esse restaurante figura entre os melhores do mundo, já que traz uma comida autoral, com influências regionais e muito saborosa. Aliás, descobri que Lima possui outros dois restaurantes classificados nessa lista, o que evidencia sua importância como capital gastronômica (para se ter uma ideia, apenas um restaurante brasileiro está entre os 50 melhores). É claro que o preço é salgado (você paga em uma taça de vinho o valor da garrafa), mas fiquei extremamente satisfeito com a experiência.

Anúncios

2 comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s