Juanita, la niña de los hielos

Arequipa – Museo Santuarios Andinos

Em comemoração à Museum Week, que vai de 19 a 25 de junho de 2017, vários participantes da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem se uniram para fazer uma blogagem coletiva. No final desse post você pode conferir indicações de museus em vários lugares do mundo!


Os incas apareceram no século XII, na região da atual cidade de Cusco. Ao longo dos séculos, incorporaram outros povos através de dominações tanto pacíficas, quanto violentas. Em seu ápice, o Império Inca administrava uma área que corresponde, hoje, ao Peru, grande parte do Equador, o lado oeste e centro-sul da Bolívia, o nordeste da Argentina, o norte e centro do Chile e sudeste da Colômbia. Trata-se do maior império pré-Colombiano da América e, possivelmente, o maior do mundo no século XVI, com uma estimativa de 6 a 14 milhões de pessoas. Com a chegada e colonização por parte dos espanhóis, que conquistaram a última resistência inca em 1572, muitos detalhes sobre essa civilização foram perdidos. A língua oficial falada era o quéchua, que não possuía forma escrita e variava de uma região para outra. O conhecimento para leitura dos quipus, fios com nós utilizados pelos incas para registros, foi perdido. O que conhecemos sobre os incas foi passado por relatos orais aos exploradores e historiadores da época. Mas muito também se baseia nos achados arqueológicos, o que podemos testemunhar nesse museu.

Cerâmica inca
Cerâmica inca | Foto: Museo Santuarios Andinos

Além das imponentes construções arquitetônicas, como as de Machu Picchu, os incas deixaram sua história registrada em tecidos, cerâmicas e outros objetos. As cerâmicas eram pintadas usando cores diversas e representavam lhamas, alpacas, aves, felinos, ondas e motivos geométricos, também retratando o dia-a-dia das comunidades, como cenas de guerra e trabalhos com metais. Infelizmente, grande parte dos tesouros em prata e outro foram derretidos e pelos colonizadores espanhóis.

A coleção presente nesse museu é fruto do projeto Santuarios de Altura del Sur Andino comandado por Johan Reinhard e José Chávez a partir de 1980, nas montanhas do sul do Peru. Durante as explorações, foram resgatados 14 corpos no país e 4 na Argentina de pessoas sacrificadas, bem como os tecidos e roupas que usavam, a cerâmica que fez parte das cerimônias e os metais ofertados aos deuses.

Museo Santuarios Andinos
Museo Santuarios Andinos

O Museo Santuarios Andinos foi criado em 1996 e é bem simples, mas cheio de história. Ele fica na Casa de la Cultura da Universidad Católica de Santa María, no centro histórico de Arequipa. A entrada para o museu é paga – você pode conferir os preços atuais na página oficial (https://www.ucsm.edu.pe/museo-santuarios-andinos). A visitação pode ser feita por conta própria, mas eu recomendo o uso dos serviços de um guia local para conhecer mais profundamente a história por trás dos objetos expostos. Ao entrar no museu, um/a voluntário/a irá se oferecer para acompanhar a visita – você deve dar uma propina (gorjeta) ao final, cujo valor fica a seu critério. Também é possível levar um guia externo.

A visita começa com a apresentação de um vídeo que conta um pouco das descobertas e depois se tem acesso às exposições. Eu fui com a explicação de uma voluntária bastante simpática, que falou sobre os itens mais importantes, seu significado para os incas e os materiais usados.

Mas o grande destaque do museu é mesmo a Juanita, la niña de los hielos. Aqui eu devo destacar que seu corpo fica exposto entre 1° de maio e 31 de dezembro. Do começo de janeiro ao final abril ela entra de férias em um período de conservação e outra múmia congelada, chamada de Sarita, é exposta em seu lugar. Eu dei sorte de ter feito esse passeio em maio e pude conhecer essa que é considerada uma das descobertas mais importantes do século passado.

Juanita congelada no museu
Juanita congelada no museu | Foto: Andina

Em setembro de 1995, um desgelo causado pelas cinzas da erupção de um vulcão próximo, o Sabancaya, levou ao desmoronamento de um cemitério inca no Monte Ampato, que chega a 6309 metros de altitude do nível do mar. Com isso, a múmia de Juanita foi exposta e encontrada pelo antropologista Johan Reinhard e o alpinista Miguel Zárate. Sua importância está diretamente ligada ao clima do local. Ao contrário da maioria das múmias, como as egípcias, Juanita não passou por uma mumificação artificial, com a retirada das vísceras e outros procedimentos. Ela foi mumificada naturalmente pelo gelo, deixando sua pele, órgãos, sangue, cabelo, conteúdo do estômago e roupas extremamente bem preservados.

Com isso, foi possível determinar, por exemplo, que ela se alimentou de vegetais de seis a oito horas antes de sua morte. Não foram identificadas doenças na menina de 12 a 15 anos de idade. A morte foi provocada por um golpe forte na cabeça, relevada por uma fratura próxima ao olho direito, hemorragia interna e o deslocamento do cérebro. Sua vestimenta era feita com lã de alpaca e presa com um broche de prata, a cabeça estava adornada por um uma coroa de penas vermelhas de papagaio e o corpo enrolado em uma tapeçaria de cores vibrantes, semelhante aos mais finos trabalhos têxteis da capital Inca, em Cusco. Tudo indica que se tratava de uma integrante de uma família nobre.

Entrada do Museo Santuarios Andinos
Entrada do Museo Santuarios Andinos

Não é permitido tirar fotos dentro do museu e a passagem pela parte onde Juanita se encontra é rápida, já que ela continua congelada dentro de uma câmara especial. Também é possível ver os objetos que foram encontrados com ela e outras múmias, além de tesouros incas diversos.


ALEMANHA
Ilha dos Museus
(Berlim) – Viagem LadoB
Museu São Nikolai (Hamburgo) – Farrabadares

ARGENTINA
Museu de Arte Latino-Americano (Buenos Aires) – Comendo chucrute e salsicha

ÁUSTRIA
Museu de História da Arte
(Viena) – Turistando.in

BÓSNIA HEZERGOVINA
Galeria 11/07/95
(Sarajevo) – Guia do nômade digital

BRASIL
Beco do Batman
(São Paulo) – Ligado em viagem
Catetinho (Brasília) – Sonhando em viajar!
Museu Casa dos Contos (Ouro Preto, MG) – Trilhas e cantos
Museu do Futebol (São Paulo, SP) – Cantinho da Ná
Museu Iberê Camargo (Porto Alegre, RS) – Quase nômade
Museu Imperial (Petrópolis, RJ) – Viajar hei
Museu Lagar Segall (São Paulo, SP) – Destino compartilhado
Museu Light de Energia (Rio de Janeiro, RJ) – Viajar correndo
Museu Paranaense (Curitiba) – Dedo no mapa
Top 7 museus (Brasília) – ILoveTrip

COLÔMBIA
Museu Botero
(Bogotá) – Let’s fly away

CUBA
Museu da Revolução (Havana) – Me deixa ser turista

ESPANHA
8 museus imperdíveis
(Barcelona) – Estrangeira
Museus e experiências além do básico (Barcelona) – Tá indo pra onde?
Museo Nacional de Ciencias Naturales (Madrid) – Mel a mil pelo mundo
Museu Olímpico e do Esporte (Barcelona) – Sol de Barcelona
Museu Picasso (Barcelona) – TurMundial

ESTADOS UNIDOS
American Museum of Natural History (Nova York) – Viaje na web
Children’s Museum (Houston) – Família viagem
Exploratorium (São Francisco) – Mulher casada viaja
National Gallery of Art (Washington) – Mariana viaja
The Metropolitan Museum of Art (Nova York) – Itinerário de viagem

FINLÂNDIA
Museu Nacional
(Helsink) – Devaneios da Biela

França
Os museus de Troyes (Troyes) – Direto de Paris

INDONÉSIA
Museu Têxtil (Jakarta) – Vaijoteca

ITÁLIA
4 museus imperdíveis em Florença
(Florença) – Uma viagem diferente
Florença do alto: as torres abertas à visitação (Florença) – Passeios na Toscana
Guia de sobrevivência (Florença) – A fragata surprise
Museu do automóvel (Turim) – Mochileza
Museus do Vaticano (Roma) – Aquele lugar

HOLANDA
Nemo Science Museum (Amsterdã) – Viajo com filhos

NORUEGA
Galeria Nacional (Oslo) – A vida é como um livro

PERU
Museo de Arte Precolombino (Cuzco) – Gastando sola mundo afora

PORTUGAL
Centro Português de Fotografia (Porto) – Do RS para o mundo

RÚSSIA
Museu Nacional do Hermitage (São Petersburgo) – Entre polos

SUÍÇA
Chaplin’s World (Vevey) – Caixa de viagens
Museu Histórico (Berna) – 1001 dicas de viagem

OUTROS
Meus museus favoritos (Várias) – Vamos por aí.

Anúncios

39 comments

  1. Jesuis!! Fiquei com medo desse museu por causa dessas fotos!! kkk .. Mas agora, falando sério!! Muito legal a história dele, com certeza vai entrar na minha lista quando eu viajar por aquelas bandas. A propósito, adorei a sua organização dos links, vou copiar!!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s