Museos Municipales

La Paz – Calle Jaén e Museos Municipales

Da parte histórica de La Paz, essa sem dúvida é a região mais charmosa e interessante, já que possui construções do século XVIII bem conservadas. Cinco museus estão concentrados em uma pequena rua: Museo Costrumbrista, Museo del Litoral Boliviano, Museo de Metales Preciosos, Casa de Murillo e Museo de Instrumentos Musicales. Desses, só não fui no último, já que o ingresso não estava incluso no pacote do complexo de museus municipais que adquiri e chega um momento em que o passeio fica cansativo após ver tantos objetos e ler textos e informações históricas. Aliás, já aviso que não tenho registros das exposições já que era proibido tirar fotos.

Ingresso para os quatro museus
Ingresso para os quatro museus

O ingresso único para visitação pode ser comprado em qualquer um dos quatro museus – fica mais barato adquirir o pacote do que pagar cada museu individualmente. É preciso estar atento ao horário de visitação, que varia entre eles.

Todos esses museus estão concentrados na Calle Jaén, que é histórica por si só. Com calçamento de pedra e casas coloridas, só andar pela sua já é um passeio bem agradável. Além dos museus, estão ali algumas lojas, restaurantes, cafés. A estreita rua fechada para o trânsito de carro era conhecida como Qawra Cancha (Mercado das Lhamas) na época da colônia. Era referência ao comércio de animais praticado no local, principalmente das lhamas, alpacas e vicuñas trazidos de vilarejos próximos pelos indígenas.

Calle Jaén
Calle Jaén

O nome atual é uma homenagem a Apolinar Jaén, um patriota nascido em Oruro, em 1776, que trabalhava com o comércio de folhas de coca na região de Yungas. Ali, juntamente com outros moradores da região inconformados com o domínio espanhol, promovia a causa revolucionária e formou um grande exército de rebeldes composto por nativos, escravos e crioulos. Após ser derrotado na batalha de Irupana, foi executado, em 29 de janeiro de 1810.

Localizado na casa onde morou Apolinar Jaén quando estava em La Paz, o Museo de Metales Preciosos contém uma impressionante coleção de objetos pré-colombianos de períodos diversos, incluindo peças com cerca de 3000 anos. Os artigos de ouro, prata e bronze, bem como roupas e cerâmicas pertenceram às culturas Tiwanaku, Aymara, Mollo, Yampara, Wankarani, Urukilla, Inca e Beni. Por motivos de segurança, não é permitido tirar fotos no interior das salas.

Casa Murillo
Casa Murillo

Outro mártir da revolução pela independência da Bolívia foi Pedro Domingo Murillo, que residiu nessa rua entre os anos de 1803 e 1809. Construída em estilo colonial no século XVIII, a casa era de José Ramón de Loayza, de quem Murillo foi hóspede e protegido. Ali foi realizada, na noite de 15 de julho de 1809, a última reunião para definir os detalhes da revolta contra a coroa espanhola no dia seguinte.

A propriedade possui um portal de pedra que leva ao pátio interno, em volta do qual estão distribuídos os quartos. Também no pátio está a escada que leva para o segundo andar, onde se tem acesso ao restante dos cômodos.

O museu Casa de Murillo foi inaugurado em 1950 como parte das comemorações do centenário da fundação da cidade de La Paz. Nos anos seguintes, objetos foram acrescentados à coleção, com a preocupação de manter a disposição do período de sua residência no local. Ali estão expostos móveis, tecidos, quadros e objetos que pertenceram à elite da sociedade da época. Os ambientes são divididos por temas, como a sala de estar, quarto de dormir, arte barroca, galeria de arte colonial, oratório, ervas e outros voltados para a história da revolução e independência do país.

Museo del Litoral Boliviano
Museo del Litoral Boliviano

O Museo del Litoral Boliviano foi inaugurado no centenário da Guerra do Pacífico, que ocorreu com Peru e Bolívia lutando contra o Chile. Ao final do conflito, o Chile recebeu parte do território dos países derrotados, ricas em recursos naturais e que inclui parte do deserto do Atacama. A Bolívia ficou sem a província de Antogagasta e, consequentemente, perdeu o acesso ao oceano.

A questão do território ainda é muito debatida nos dias de hoje, com muitas pessoas apoiando que o país reconquiste sua faixa de terra no litoral. O tema consta até mesmo na sua atual Constituição, sendo definida como um objetivo nacional boliviano. No museu estão expostos diversos artefatos como mapas antigos, fotografias, armas, bandeiras, uniformes e pinturas.

Museu Costumbrista Juan de Vargas
Museu Costumbrista Juan de Vargas

Já o Museo Constumbrista Juan de Vargas, que fica na esquina das ruas Jaén e Sucre, tem foco nas tradições e antigos artefatos da cidade. Inaugurado em 1979, recebeu o nome do primeiro prefeito de La Paz. Os objetos são divididos em quatro salas contendo máscaras, chola paceña (as vestimentas tradicionais das mulheres que vemos pelas ruas), miniaturas e exposição temporária. Além dos elementos históricos, é interessante observar a arquitetura dos museus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s