Malas separadas por grupos de viagem

Salar de Uyuni – O que levar para o deserto boliviano

Não importa a época do ano que se faça esse passeio entre San Pedro de Atacama, no Chile, e Uyuni, na Bolívia, é preciso estar preparado para enfrentar um clima intenso. O verão é mais quente e úmido, enquanto o inverno é mais seco e frio. Mas não se engane: independente da estação do ano, você vai sentir calor e vai sentir frio, pois a variação da temperatura é bem evidente entre a noite e o dia. Além disso, essa é uma das regiões mais áridas do planeta Terra e está localizada a mais de 3.000 metros de altura do nível do mar, então é preciso se preocupar com a hidratação e em diminuir os efeitos do mal de altitude. Para isso, tem muitas coisas que não dá para esquecer de colocar na mala.

São três (se você ficar em Uyuni) ou quatro (se você voltar a San Pedro de Atacama) dias de passeio, durante os quais se passa em alguns poucos pontos de controle ou outros locais onde se pode comprar comida e água. Portanto, é preciso se planejar e comprar tudo com antecedência em San Pedro de Atacama. É recomendado levar pelo menos um litro de água por pessoa e lanches para comer no caminho, mesmo que a agência dê café da manhã, almoço e/ou janta. Você precisa ter algo para comer entre uma refeição e outra. E pense que você pode não gostar muito da comida que eles preparam – eu achei gostosa, apesar de ser bem simples.

Acessórios e roupas de frio
Acessórios e roupas de frio

A dica mais importante em termos de roupa é se vestir em camadas, ou seja, com itens que você pode tirar ou pôr durante o dia de acordo com a necessidade. Você sai para os passeios bem cedo, quando está bastante frio, mas o clima vai ficando mais ameno durante o dia e chega a fazer calor, principalmente durante as caminhadas. É imprescindível levar um gorro que tampe bem as orelhas, cachecol e luvas, mas também é bom ter um boné ou chapéu de praia para proteger do sol sem cozinhar o cérebro.

Roupa segunda pele
Roupa segunda pele

Se você vai visitar o Salar de Uyuni no inverno é muito importante levar uma segunda pele para usar debaixo dos agasalhos. Essas roupas têm um material próprio para um frio mais intenso e realmente fazem toda a diferença, principalmente nas pernas.

Na primeira noite que passamos no deserto boliviano, estava fazendo bastante frio e ainda não era inverno. Para os meses de junho, julho e agosto, eles até recomendam levar um saco de dormir para usar na cama. Como eu fui em maio, não achei necessário, mas dormi de casaco e tudo que tinha direito para ficar bem aconchegante.

Falando em casaco, é interessante ter um próprio para esse tipo de clima. O meu é corta-vento e tapa todos os buraquinhos onde aquele ar inconvenientemente congelante pode entrar.

Tênis próprio para caminhada
Tênis próprio para caminhada

Outra coisa importante é ter um confortável tênis de caminhada. Mesmo que todos os passeios sejam feitos de carro, sempre tem que dar uma caminhada pela região, inclusive com subidas em morros ou pequenas escaladas. Os guias recomendam o uso de um calçado fechado. No caso do meu, ele também é à prova d’água, o que significa que ele é todo fechadinho e isso impediu também que entrasse areia. Em alguns passeios, você anda na areia fofa e eu não quero nem pensar no incômodo que seria se ela entrasse no meu calçado e ficasse machucando os meus pés. Outra coisa que incomoda bastante é quando você chega ao Salar de Uyuni, pois o solo é todo de pedras de sal bem duras e pontiagudas.

Roupa de banho e toalha
Roupa de banho e toalha

Para terminar com essa parte de vestuário, é bom lembrar que, no primeiro dia de passeio, é possível entrar nas águas termais. Além da roupa de banho, recomendo levar uma toalha porque você irá querer se secar o mais rápido possível depois de sair das águas quentes e estiver batendo um vento frio do lado de fora. Eu até tinha lido na internet que haviam toalhas para alugar no local, mas quando eu fui não tinha não.

Falando em água, conheci durante esse passeio o grupo de meninas brasileiras mais azaradas de todo o turismo mundial. Uma delas perdeu o celular, aparentemente foi roubada no aeroporto de Calama. Outras duas molharam os seus celulares, teoricamente à prova d’água, e eles pararam de funcionar. Ou seja, ficaram todas dependendo do celular da quarta-integrante do grupo para registrar as fotos da viagem – espero que ele tenha sobrevivido até o fim da viagem, visto que elas ainda estavam na primeira semana de umas férias que ainda iam durar um bom tempo. Enfim. Se você usa celular ou câmera para tirar suas fotos, não importa. É bom pensar em um case à prova de água para proteger o equipamento, inclusive da areia, que pode arranhar a lente.

Protetor solar para pele e lábios
Protetor solar para pele e lábios

Agora falando do clima. Não se esqueça de levar um protetor e hidratante labial. Por mais que a gente beba bastante água (o recomendado é levar um litro por pessoa para cada passeio), a hidratação fica comprometida pelo clima seco. No caso dos lábios, a situação pode ficar ainda pior por causa do frio. Encontrei algumas pessoas lá com a boca rachada, chegando a sangrar, pois não estavam usando nenhum tipo de produto nos lábios.

Obviamente, o item mais importante para a pele é o protetor solar. Ainda que a temperatura esteja baixa, a incidência dos raios solares é muito intensa no deserto. Os raios ultraviolentos, como eu gosto de chama-los, rebatem na areia e no sal e voltam como se vindos do inferno direto para torrar a sua cara. Lembre-se que a única sombra que você vai encontrar durante os passeios é quando estiver dentro do carro e, mesmo assim, se der a sorte de estar do lado certo do veículo. Portanto, não apenas passe o protetor antes de sair, leve ele na mochila para reaplicar durante o dia.

Obviamente que esse bate-rebate dos raios solares também atrapalha a visão. A luz fica ainda mais intensa nas partes em que o solo está branquinho de sal, principalmente quando chegamos ao Salar de Uyuni. Não se esqueça de levar seus óculos de sol.

Solução nasal
Solução nasal

Este foi um dos itens que nem passou pela minha cabeça levar e, logo no primeiro dia em San Pedro de Atacama, o meu nariz já estava extremamente irritado devido ao clima seco. Eu sentia meu nariz ardendo e chegou a sair sangue, então é imprescindível ter uma solução nasal. Eu levava na bolsa durante o passeio pela Bolívia e ia reaplicando de vez em quando, mesmo sem sentir necessidade. Também é bom levar um hidratante de pele, pois o ressecamento é geral. Até o coração da gente fica seco e passamos a odiar o mundo (mentira).

Remédios e itens de primeiros socorros
Remédios e itens de primeiros socorros

Também é bom levar alguns remédios. Eu senti um pouco de dor de garganta, então chupei algumas pastilhas para aliviar. Também é comum sentir dor de cabeça, enjoos e outros sintomas relacionados com o mal de altitude. Eu sempre viajo com um pequeno estoque desses remédios para pequenas urgências. Nem sempre uso, mas quando preciso, é uma dor de cabeça (ou de barriga, ou de garganta) a menos já ter a solução às mãos. Curativos também são uma boa coisa de se ter na mala, principalmente nesses passeios que envolvem atividades físicas. Também teve gente que estranhou a comida e passou mal, então é bom ter alguma coisa para azia, gases, caganeira, etc. Durante a travessia pelo deserto boliviano e Salar de Uyuni eu não vi nenhuma farmácia. Mal se vê alguma casa, quem dirá um lugar para comprar remédios.

Bateria portátil
Bateria portátil

São três ou quatro dias de passeio sem nenhum ou pouco acesso a tomadas, então é bom ter baterias extras, no caso de câmeras fotográficas, e/ou um carregador portátil que serve muito bem para celular e outros eletrônicos.

Outro item que nunca falta na minha mala é um pacote de lencinhos, de preferência umedecidos para bundinha de neném. Mas podem ser lenços normais ou papel higiênico mesmo. O fato é que os poucos banheiros que se encontra nos passeios são, para dizer de maneira bem leve, escrotos. Os lencinhos umedecidos também servem como alternativa para tomar um banho de gato, já que a hospedagem da primeira noite no deserto não tinha chuveiros.

Bolsa para passeio
Bolsa para passeio

Durante o passeio de San Pedro de Atacama, no Chile, até Uyuni, na Bolívia, as malas vão em cima do carro e só ficam acessíveis quando se chega às hospedagens para passar a noite. É bom pensar em uma mochila ou sacola que seja prática e caiba sua câmera fotográfica, filtro solar, uma garrafa de água, acessórios de frio e outros itens pequenos. Casaco e outras coisas que não serão usadas de imediato podem ficar dentro do carro da agência de turismo – não tem por quê ficar levando muito peso desnecessário para as caminhadas pois é preciso evitar a fadiga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s