Lago Vitória Régia

Holambra – Pontos turísticos

Holambra é um pequeno município do Estado de São Paulo conhecido como a cidade das flores. O principal atrativo é a Expoflora, uma feira que atrai milhares de pessoas nos meses de agosto e setembro. Tudo começou quando alguns produtores decidiram criar o evento para mostrar a arte e a técnica dos arranjos florais, o paisagismo e a cultura holandesa. A primeira edição, em 1981, durou apenas um fim de semana e atraiu cerca de 12 mil pessoas. No final da mesma década, com música, comidas e bebidas típicas, danças folclóricas e muitas flores e plantas, a festa atingiu um público de 150 mil visitantes. Atualmente, a maior exposição de flores da América Latina dura cerca de um mês.

Portal na entrada da cidade
Portal na entrada da cidade

O Portal Turístico de Holambra que marca a entrada da parte central do município foi construído em 2004 com arquitetura inspirada nas construções típicas holandesas, com tijolinho à vista, telhado inclinado e janelas grandes. A data que aparece em destaque na fachada, 1948, faz referência ao ano de criação da colônia Holambra, quando vários imigrantes chegaram à região e iniciaram a criação de gado e agricultura.

Seguindo a Rua Rota dos Imigrantes, chega-se ao centro da cidade, onde há algumas floriculturas, lojas de artesanato, itens para casa e lembrancinhas, além de várias opções de restaurantes, cafés e confeitarias, muitos deles com comidas típicas da Holanda. O restaurante que eu fui, The Old Dutch, fica fora desse centro e farei uma postagem específica para ele.

Deck do Amor no Lago Vitória Régia
Deck do Amor no Lago Vitória Régia

A cidade tem três lagos. O Lago do Holandês é o maior deles e foi construído pelos holandeses para fins de recreação, sendo conhecido como mini-praia. Bem ao lado está o menor deles, chamado Nossa Prainha, que é o local indicado para uma caminhada ao entardecer. Já o Lago Vitória Régia, na foto acima, é voltado para a realização de piqueniques e possui o Deck do Amor, inspirado nas pontes ao redor do mundo e onde os casais apaixonados podem colocar cadeados com seus nomes e atirar a chave nas águas. Às margens desse lago também está a Confeitaria Zoet en Zout, sobre a qual farei outra postagem.

Pronta Flora
Pronta Flora

O município tem várias lojas voltadas para a jardinagem. Algumas delas são especializadas em algum tipo de produto, outras maiores e com várias opções. A que eu fui se chama Pronta Flora e é bem grande, com seções separadas por tipo de plantas (árvores frutíferas, flores, plantas ornamentais, horta, etc.), além de acessórios para floricultura e paisagismo. A loja funciona como um grande supermercado, com os clientes utilizando carrinhos para pegar os produtos que quer comprar. É bom que você fica livre para passear e escolher o que quiser, mas senti a falta de mais funcionários para orientar os clientes.

Praça florida da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo
Praça florida da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo

As flores e plantas também estão espalhadas por toda cidade. Aliás, Holambra tem algumas praças que merecem ser visitadas. Construída em 2008, a Praça da Cachoeira possui uma longa fonte com águas que descem pelo morro. A pracinha na frente da Igreja Matriz do Divino Espírito Santo também estava bem bonita com seus canteiros floridos e coloridos. Essa fica em frente ao Recinto da Expoflora, onde acontece a mais famosa festa da cidade.

Moinho Povos Unidos
Moinho Povos Unidos

O Moinho Povos Unidos, projetado por Jan Heijdra, foi inaugurado em 2008 e é uma cópia fiel dos famosos e tradicionais moinhos holandeses. Com pás de 12 metros de envergadura cada e 24 metros de ponta a ponta, o moinho tem tração motora de 60 cavalos com força o suficiente para movimentar duas pedras de basalto de lava com o peso de uma tonelada cada. Não sei se ele chega a ser colocado em funcionamento – quando eu fui estava paradinho.

A visitação na parte interna do moinho é gratuita de quarta a sexta-feira, mas, nesses dias, só é possível ir até o terceiro andar. Nesses andares há pequenas exposições de fotos com informações sobre o surgimento e tipo de moinhos ao redor do mundo, os moinhos de água da Holanda e a construção do exemplar em solo brasileiro. Confesso que não achei as exposições muito elaboradas. É preciso que melhorem a apresentação. Também é importante destacar que o acesso a todos os andares do moinho é feito por escadas íngremes, as quais se recomenda descer de costas por questão de segurança.

Parte interna do Moinho Povos Unidos
Parte interna do Moinho Povos Unidos

A visita até o sétimo andar acontece aos sábado e domingos e custa R$10,00 (inteira) ou R$5,00 (estudante e idosos). Nesse passeio, será possível ver a parte interna do moinho em si, como o 4° andar, onde a farinha é ensacada e onde está o deck com vista para a cidade, e o 5° andar, em que estão as pedras-mó e onde a farinha é produzida. Essa parte é mais interessante por ser possível observar o maquinário que, mesmo parado, é impressionante pelas suas dimensões. Já a vista da cidade em si não é particularmente bonita.

O próprio moinho funciona como um centro de informações ao turista e lá é possível pegar o mapa atualizado das atrações da região. Além disso, ali se concentram a maior parte das agências de turismo que oferecem passeios e transporte por Holambra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s