Grand Central Terminal

Nova York – Grand Central Terminal

Tem uns lugares que passam despercebido por grande parte dos turistas, principalmente em cidades com tantas opções de coisas pra fazer como Nova York. Ainda mais quando se trata de um terminal de transporte, a pessoa pode pensar: mas o que eu vou fazer em uma estação? Você pode não ter reparado, mas a Grand Station aparece em vários filmes, séries, desenhos e até músicas – provavelmente você vai passar a reconhecê-la depois de visitá-la. Muita coisa pode ser feita lá: pegar os metrôs das linhas 4, 5, 6 e 7 e outros trens; passear por lojas como Apple Store, Banana Republic, L’Occitane, M.A.C. Cosmetics, Swatch e outras; comer, tanto em cafés e fast foods quanto em restaurantes, mais de 30 no total; compras de um modo geral, inclusive hortifruti e muitas opções de alimentos frescos; e, é claro, visitar o saguão, que é a parte mais turística do lugar e admirar a arquitetura da estação como um todo.

Main Concourse do Grand Central Terminal
Main Concourse do Grand Central Terminal

A Grand Central Terminal, mais comumente chamada de Grand Central Station, é a maior estação de trens do mundo em número de plataformas, todas no subsolo. Está localizada entre as ruas 42nd Street e Park Avenue, bem no centro de Manhattan. A inauguração se deu em 1871, mas as instalações originais foram totalmente demolidas e refeitas entre 1903 e 1913. Na década de 1970, o local era muito frequentado por traficantes e compradores de droga, o que gerava um clima de insegurança. Mas, depois das últimas reformas, de 1990 a 1998, a estação voltou a ficar protegida e em boa manutenção. O Main Concourse é o principal ponto de encontro e visitação. É bem amplo (84 x 37 metros), o teto lá no alto (38 metros) e uma movimentação constante de pessoas de um lado para o outro (cerca de 500 mil visitantes por dia). A loja da Apple fica já nesse saguão e é bem menos conturbada que a Apple Store da 5ª Avenida.

Detalhe do relógio no balcão de informações do Grand Central Terminal
Detalhe do relógio no balcão de informações do Grand Central Terminal

No Main Concourse se encontra um balcão de informações com um relógio de quatro lados no topo, provavelmente o ponto mais famoso da Grand Central. O relógio foi projetado por Hendy Edward Bedford e produzido em Waterbury, Connecticut. As quatro faces do relógio são de vidro opaco e, embora a estrutura não seja de ouro, mas sim de cobre, seu valor é estimado entre $10 e $20 milhões de dólares. Do lado de fora da estação, na fachada do prédio voltada para a 42nd Street, está outro relógio famoso, rodeado por esculturas de Minerva, Hércules e Mercúrio, projetadas pelo escultor francês Jules-Felix-Coutan e produzidas por John Donnely Company – mostrado na foto de capa dessa postagem.

Teto do Main Concourse do Grand Central Terminal
Teto do Main Concourse do Grand Central Terminal

O teto do Main Concourse é decorado com temas astronômicos concebidos por Warren e Paul César Helleu e executado por James Monroe Hewllet e Charles Basing. Algumas inconsistências quanto ao posicionamento das constelações foi percebido já em 1913, mas não foram corrigidas em nenhuma das renovações por que passou ao longo dos anos. Em 1957, uma tentativa de combater as inseguranças geradas pelo lançamento do Sputinik pela União Soviética levou os americanos a instalar o míssil Redstone dentro da estação. Sem ter outra maneira de levantar o trombolho, foi feito um corte no teto. Para fins de preservação da memória dos diversos usos do terminal ao longo dos ano, decidiu-se por não fazer a total reparação do corte – um buraquinho preto que precisa de alguma atenção para ser visto, acima da constelação de peixes. Nos anos 1980. o teto estava negro devido à fumaça de carvão e diesel e, principalmente, devido à quantidade de pessoas que fumavam cigarro dentro do local – tá repreendido. A restauração, que durou 12 anos, devolveu à Grand Central o seu teto original, com um pequeno espaço deixado escuro para lembrar os visitantes de que é muito feio fumar como estava a situação anteriormente.

Plataformas do Grand Central Terminal
Plataformas do Grand Central Terminal

Construída em sete níveis, a Grand Station é um verdadeiro labirinto para quem não está acostumado a circular no local – mesmo que tudo seja bem sinalizado. São, ao todo, 44 plataformas e 67 plataformas atualmente em funcionamento. Cerca de 300 trens transitam por lá diariamente. Portanto, se você tem algum compromisso partindo do lugar, aconselho chegar com uma certa antecedência. Já se a ideia é apenas um passeio turístico, o ponto mais importante é mesmo o Main Concourse, mas vale a pena dar uma volta geral pelos diferentes saguões e túneis para descobrir outros pontos interessantes, como o quadro negro onde eram anotados os horários de chegada e partida dos trens, posteriormente substituído por dispositivos eletrônicos. Para mais informações sobre o Grand Central Terminal, visite a página.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s