Ellis Island, com vista para a Estátua da Liberdade

Nova York – Ellis Island

Depois de visitar a Estátua da Liberdade, o turista precisa pegar novamente o barco do passeio – tem fila, obviamente. Daí ele tem a opção de descer na Ellis Island ou continuar no barco e voltar direto para Manhattan. Eu acho que vale a pena fazer a segunda parada – já está pago mesmo e o museu na Ellis Island é gratuito, mas, se estiver com o tempo apertado, vai embora, nada contra, acho ótimo.

Exposição do Ellis Island National Museum o Immigration sobre o povoamento dos Estados Unidos
Exposição do Ellis Island National Museum o Immigration sobre o povoamento dos Estados Unidos

Antes da abertura da Ellis Island, a chegada e registro de novos imigrantes em Nova York eram feitos no Sul de Manhattan, no Castle Garden Immigration Depot. O governo federal assumiu o controle da imigração em 1890 e o Congresso liberou a verba para a construção da estação de imigração em Ellis Island. Poços artesianos foram cavados e a área da ilha dobrada com o depósito de materiais de navios e da construção dos túneis dos metrôs de Nova York. O primeiro prédio possuía três andares e foi inaugurado em 1892, recebendo cerca de 700 imigrantes no seu primeiro dia de funcionamento. Pouco mais de cinco anos depois, um incêndio – provavelmente causado por uma falha elétrica – destruiu todo o local. Apesar de não terem sido causadas mortes, todos os registros de imigrações desde 1855 foram perdidos.

Main Hall do Ellis Island National Museum of Immigration
Main Hall do Ellis Island National Museum of Immigration

A estrutura atual foi erguida nos anos seguintes, sendo inaugurada no final de 1900 com um espaço tão amplo que o refeitório comportada 1000 pessoas sentadas. Ainda assim, o atendimento era precário devido ao grande fluxo de pessoas fugindo da I Guerra Mundial. Entre 1905 e 1914, cerca de 1 milhão de imigrantes por ano chegava ao local, vindo principalmente da Europa.

Nova York - Salas por onde passavam os imigrantes que na Ellis Island
Nova York – Salas por onde passavam os imigrantes que na Ellis Island

Os imigrantes respondiam 29 questões que incluíam nome, ocupação e o montante de dinheiro que traziam. Para o governo americano, era importante que eles tivessem o suficiente para começar uma nova vida no país, entre 18 e 25 dólares. Aqueles com problemas crônicos de saúde eram enviados de volta para seu país de origem ou mantidos em quarentena no hospital da ilha, alguns chegando a morrer. Algumas pessoas também eram recusadas por não possuir nenhuma formação, sendo considerados potenciais criminosos no futuro, ou por já terem ficha criminal. Cerca de 2% das pessoas que chegavam a Ellis Island tinham a entrada no país recusada.

Exposição sobre o centro de imigração que funcionou em Ellis Island
Exposição sobre o centro de imigração que funcionou em Ellis Island

A partir de 1924, Ellis Island passou a ser usada principalmente para a detenção e extradição de potenciais espiões, sabotadores e outras atividades ligadas à guerra. Um total de 7 mil alemães, italianos e japoneses foram detidos na ilha. O local também funcionou como ponto de chegada de americanos feridos em guerra e base de treinamento da guarda costeira, além de limitados serviços de imigração. Após a II Guerra Mundial, o número de imigrantes voltou a subir, mas um ato de segurança de 1950 passou a barrar membros de organizações comunistas e facistas.

Ellis Island National Museum of Immigration
Ellis Island National Museum of Immigration

A central de imigração de Ellis Island fechou em novembro de 1954, ficando abandonada por mais de uma década. Somente depois de 1965 foi declarada parte do Statue of Liberty National Monument e, no ano seguinte, listada como parte do National Register Historic Places. A reabertura do prédio principal se deu apenas em 1990, renomeado Ellis Island National Museum of Immigration em 2015. Os turistas não tem acesso à parte sul da ilha, onde a maioria das estruturas ainda não foram reformadas.

Ellis Island National Museum of Immigration
Ellis Island National Museum of Immigration

Tem bastante coisa no museu, inclusive a exibição do documentário “Island of Hope, Island of Tears” com duração de 30 minutos – que eu não assisti – e visitas guiadas. Além disso, da ilha se tem uma bela vista de Manhattan, da Estátua da Liberdade e um ambiente agradável para se sentar e e descansar, fazer um piquenique, enfim. Depois dos passeios, ainda é preciso pegar uma fila básica para embarcar novamente no Statue Cruise com direção ao Battery Park.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s