Acidente aéreo abriu um buraco no 79° andar do Empire State Building em 1945

Nova York – O lado obscuro do Empire State Building

Nem só de maravilhas é composta a história desse cartão postal de Nova York. Uma das tragédias aconteceu em julho de 1945, quando o U.S. Army B-25 pilotado pelo Coronel William Smith colidiu com o 79° andar do Empire State Building. Com uma densa neblina sobre a cidade, o piloto recebeu instruções para pousar no aeroporto LaGuardia. Apesar disso, pediu permissão militar para continuar até o seu destino, em Newark. A última transmissão da torre do LaGuardia para o avião foi o aviso: “De onde estou, não consigo ver o topo do Empire State Building.”

Bombardeiro atinge o Empire State Building em julho de 1945
Bombardeiro atinge o Empire State Building em julho de 1945

Na tentativa de ganhar visibilidade, Smith diminuiu a altitude do bombardeiro e se encontrou em meio aos arranha-céus de Manhattan. Inicialmente, ele ia de encontro ao New York Central Building, mas conseguiu evitar a batida. Ele continuou a desviar dos prédios até que se chocou com o Empire State Building. O impacto, seguido de uma explosão e a queima do combustível, fez um grande buraco no edifício. O piloto, dois tripulantes e onze pessoas que estavam no prédio morreram. Um dos motores voou até um prédio no próximo bloco, causando um incêndio que destruiu o terraço.

Betty Lou Oliver sobreviveu a dois acidentes graves no mesmo dia
Betty Lou Oliver sobreviveu a dois acidentes graves no mesmo dia

Uma das sobreviventes foi Betty Lou Oliver, que trabalhava como ascensorista no Empire State Building. Seu elevador estava no 80° andar quando o bombardeiro se chocou com o edifício um andar abaixo. Ela foi arremessada do carro do elevador e sofreu queimaduras e fraturas diversas. Após tratar da moça, os socorristas decidiram descê-la por um elevador, sem saber que os cabos haviam sido danificados. O elevador caiu por 75 andares, mas ela sobreviveu também a esse segundo acidente. O fato continua no Guiness World como a maior queda de elevador com sobrevivente.

Em 1947, Evelyn McHale pulou do observatório do Empire State Building
Em 1947, Evelyn McHale pulou do observatório do Empire State Building | Foto: Robert Wiles

Dezenas de tentativas de suicídios já aconteceram no Empire State Building. O primeiro deles ocorreu ainda na época de sua construção, quando um trabalhador que havia sido dispensado se jogou no vão de um elevador. O mais famoso, entretanto, aconteceu em maio de 1947. Evelyn McHale pulou do terraço do observatório, no 86° andar, aos 23 anos de idade. Robert Wiles, um estudante de fotografia que passava pelo local, registrou a polêmica imagem do seu corpo, aparentemente intacto, sobre o retorcido teto de uma limousine, poucos minutos após sua morte. A jovem usava um colar de pérolas e luvas brancas. Na foto, ela aparenta tranquilidade, com as pernas cruzadas e o metal do teto do carro parecendo um lençol em volta de seu corpo. Pouco se sabe de sua história, mas a polícia encontrou em sua bolsa uma bilhete em que ela dizia: “Ele ficará muito melhor sem mim… eu não seria uma boa esposa para ninguém.” A foto foi publicada na revista Life duas semanas depois e é comumente referida como “The Most Beautiful Suicide”. A página da revista esclarece:

“Não se deve aqui mergulhar no fundo e problemático universo do suicídio, com toda a sua dor, culpa e persistentes questões sem respostas. Mas, por um breve momento, podemos olhar pela última vez para Evelyn McHale e nos lembrar dela. Ainda que nenhum de nós a tenha conhecido. Ainda que não saibamos o que realmente a empurrou do prédio. Ainda que ela tenha ido há muito, muito tempo, e nunca mais volte.”1

Uma grade de proteção em volta do terraço do observatório foi colocada no mesmo ano, depois que cinco pessoas tentaram pular do prédio em um período de três semanas. A foto de Evelyn McHale fui utilizada por Andy Warhol na obra intitulada “Suicide (Fallen Body)”. Outros dois casos notórios e curiosos foram de duas pessoas que sobreviveram à tentativa de suicídio no Empire State Building. Em dezembro de 1972, Elvita Adams pulou do 86° andar, mas sua queda foi interrompida devido a uma rajada de vento que empurrou seu corpo para dentro do andar abaixo, deixando-a apenas com o quadril quebrado. Algo parecido aconteceu em abril de 2013 com Nathanial Simone, que caiu no parapeito do 85° andar.

Ali Hassan Abu Kamal atirou contra turistas no observatório do Empire State Building, em 1997
Ali Hassan Abu Kamal atirou contra turistas no observatório do Empire State Building, em 1997

Outros incidentes foram dois tiroteios tão comuns nos Estados Unidos. Em fevereiro de 1997, Ali Hassan Abu Kamal, um professor palestino de 69 anos, abriu fogo contra turistas no observatório do prédio, matando um homem e ferindo seis. Logo depois, tirou a própria vida com um tiro na cabeça. O segundo caso aconteceu em agosto de 2012, quando Jeffrey Johnson, um estilista recém demitido, atirou em um ex-colega de trabalho em frente ao edifício. Os policiais, que trabalhavam em frente ao prédio, mataram Johnson. Nove pedestres também foram atingidos, mas não tiveram ferimentos graves.

1 Life Photography –  ‘The Most Beautiful Suicide’: A Violent Death, an Immortal Photo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s