História da cidade texana de Dallas

Dallas – Senta que lá vem história

Conhecer a história de um local me ajuda a entender melhor vários aspectos do que vejo como turista. Quando aquela área começou a ser ocupada, quem foram os habitantes, quais os pilares econômicos, de onde vieram as influências para a arquitetura, que eventos marcaram determinados espaços… Com isso, é possível compreender os costumes, a arte, a culinária, os espaços, a população e tantas outras questões.

Old Red Museum
Old Red Museum

Um bom local para isso é o Old Red Museum, que possui exposições sobre Dallas desde a era pré-histórica até os tempos atuais. Assim como no Brasil, o território que se tornou os Estados Unidos era, originalmente, habitado por tribos indígenas. Na época da colonização, o leste do Texas, Louisiana e porções do Arkansas e Oklahoma eram ocupados pelo povo Caddo. O domínio europeu começou após no século XVI com a chegada dos espanhóis, que controlaram a área até 1821, quando o México declarou sua independência. Posteriormente, a República do Texas se destacou do país, permanecendo independente por quase 10 anos.

John Neely Bryan Cabin na Founder's Plaza
John Neely Bryan Cabin na Founder’s Plaza

Em 1839, John Neely Bryan visitou a área enquanto procurava por um bom local para estabelecer o comércio entre os colonos e os americanos nativos. Essa região se destacou por ser uma interseção entre os caminhos abertos pelo povo Caddo e um ponto onde era possível fazer a travessia do Trinity com carroças – a essa época, não haviam pontes sobre o rio. Anos depois, entretanto, um tratado foi assinado para retirar todos os indígenas da área e o potencial comercial foi prejudicado. A estratégia mudou, então, para um assentamento permanente. Na Founder’s Plaza é possível ver a John Neely Bryan Cabin, uma réplica das construções típicas da época. Imigrantes de diferentes estados como Arkansas, Illinois, Kentucky, Missouri e Tenessee trouxeram com eles a tradição de construir abrigos com toras de madeira. A posse do terreno era dada aos indivíduos que trabalhassem pelo menos 15 acres de terra e erguessem uma moradia.

County Criminal Courts Building
County Criminal Courts Building

Em 1860, a população chegou a 678 pessoas, incluindo 97 negros americanos, a maioria escravos. Nesse mesmo ano, um incêndio destruiu a maior parte das construções do bairro comercial. Muitos residentes acreditaram que os escravos estariam por trás da tragédia. Dois abolicionistas foram expulsos, três negros foram linchados e todos os demais chicoteados. Em 1865, os escravos texanos foram libertados e muitos migraram para Dallas em busca de trabalho, já que ali havia mais oportunidades do que no sul. Eles também queriam deixar as áreas rurais para criar suas próprias comunidades. A fim de manter a supremacia branca, a Ku Klux Klan ganhou força na região. Também foi nessa época que a cidade se tornou ponto de interseção de importantes vias ferroviárias, o que garantiu seu sucesso como centro comercial, o aumento da população e a construção de novos prédios residenciais e comerciais. O Dallas County Criminal Courts foi inaugurado em 1915 com uma cadeia, hospital, sala de operações, tribunal, barbearia e aposentos do carcereiro.

Union Station
Union Station

O desenvolvimento dos transportes e problemas nas produções das fazendas fizeram com que se investisse na indústria. Na virada do século XX, Dallas já era a líder do mercado de medicamentos, livros, joias e bebidas do sudoeste dos Estados Unidos. Também se tornou o centro do comércio de algodão, grãos e búfalos, se destacando nos setores bancário, de seguros, da moda e outros negócios. Mas nem tudo eram flores, já que os negros, mexicanos e brancos pobres eram excluídos do progresso. Além disso, havia o problema da segregação racial e a supremacia dos caucasianos, tudo dentro da lei. Em 1908, outra tragédia: uma grande enchente do rio Trinity deixou 4.000 pessoas desabrigadas. Dessa vez não deu para culpar ninguém além da natureza. Nos anos seguintes, um plano foi traçado para recuperar e desenvolver a cidade.

Jardim, fonte e estátua da Dealey Plaza
Dealey Plaza

Apesar da grande depressão por que passava o país, a região foi beneficiada com a descoberta de reservas de petróleo. Em 1936, Dallas foi escolhida para sediar o Texas Centennial Exposition. Mais de cinquenta prédios foram construídos para receber cerca de 10 milhões de visitantes. Em 1940, foi concluída a Dealey Plaza, que recebeu esse nome em homenagem a George Bannerman Dealey, um líder comunitário e editor dos primórdios do jornal The Dallas Morning News. Ele foi o responsável pela campanha de revitalização da região e está representado na estátua. Anos depois, a cidade serviu como o centro de produção para a Segunda Guerra Mundial.

The Sixth Floor Museum at Dealey Plaza
The Sixth Floor Museum at Dealey Plaza

Durante as décadas de 1950 e 1960, a área se tornou um centro de alta tecnologia. O que mais marcou a época, entretanto, foi o assassinato do então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, durante uma passeata em carro aberto. Os dois andares superiores do prédio onde funcionada o Texas School Book Depository, de onde o funcionário Lee Harvey Oswald fez os disparos, foram depois convertidos em um museu histórico que cobre o evento a vida do presidente. O passeio no Sixth Floor Museum foi mais interessantes que eu fiz na cidade, uma vez que eu sabia muito pouco sobre o incidente.

Transporte público de Dallas
Transporte público de Dallas

Nas duas décadas seguintes, um boom de construções mudou a cara do centro da cidade. Enquanto a indústria petrolífera se mudava para Houston, Dallas se beneficiava dos avanços tecnológicos, do setor bancário e do comércio. Em 1983, foi criado o DART – Dallas Area Rapid Transit, responsável pelo transporte público urbano. Os anos seguintes, entretanto, foram marcados pela crise gerada pelo colapso da poupança e dos empréstimos, o que paralisou os planos de construção de novos prédios.

Pioneer Plaza
Pioneer Plaza

O crescimento voltou a acontecer no final dos anos 1990, quando Dallas ficou conhecida como a Silicon Valley texana. Uma das construções dessa época é o parque Pioneer Plaza, onde se destaca uma grande instalação de esculturas que representam o velho oeste americano. A obra relembra as manadas de gado do século XIX ao longo da Shawnee Trail, uma antiga rota percorrida para levar os animais até as ferrovias do norte.

As luzes da cidade acesas
As luzes da cidade acesas

Atualmente, Dallas continua a ser uma das principais cidades do estado do Texas. Embora o turismo não seja o pilar da sua economia, eu achei que há várias opções interessantes para os visitantes, entre museus, parques, eventos, prédios com arquitetura interessante e outras atrações. Essa vista geral da cidade eu tive do alto da Reunion Tower, que possui um mirante de 360°. Eu fiz o passeio no final da tarde para acompanhar o pôr-do-sol e ver a iluminação noturna.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s