Estação de trem

Suíça – Perguntas frequentes sobre viagens de trem pelo país

Na verdade, não sei exatamente se essas são perguntas frequentes, mas são alguns pontos que me geraram dúvidas quando eu estava pesquisando sobre como viajar de uma cidade para outra dentro da Suíça e tive dificuldade em encontrar respostas objetivas nos blogs de viagem que visitei. Portanto, sem mais delongas, vamos ao que interessa.


É preciso comprar tickets com antecedência?

Não. A Suíça tem um ótimo sistema viário e a frequência de saída de trens é grande, então não há necessidade de comprar passagens com antecedência. Isso só precisa ser feito no caso das viagens em trens panorâmicos, como o Bernina Express.


É preciso reservar assentos?

Não é que não é necessário reservar assentos, é que não existe essa opção. Pense nas viagens de trem pelo interior da Suíça como um metrô urbano que você pega para ir de uma estação para a outra: você senta no local que estiver disponível. O único caso em que é preciso reservar assentos é nas viagens em trens panorâmicos, como o Bernina Express.


Onde comprar o bilhete?

Os bilhetes podem ser comprados direto com um vendedor em um dos guichês, mas é mais comum usar os terminais de autoatendimento. Nesse caso, você coloca o seu destino e ele já calcula o preço, que pode ser pago em dinheiro ou no cartão de crédito. Se você vai passar por diversas cidades, coloque a mais distante. Se for fazer várias paradas ou passar o dia inteiro viajando, pode valer mais à pena comprar um passe diário, que também te dá direito a usar o transporte público local. Eu viajei basicamente com o Swiss Travel Pass, que comprei na estação de Zurique, então não precisei me preocupar em comprar bilhetes individuais.


Como funciona o Swiss Travel Pass?

Esse passe é vendido para turistas e inclui viagens de trem e barco por todo o país, além de entradas para a maioria dos museus e transporte público urbano. Você compra o Swiss Travel Pass para um determinado número de dias, corridos ou não. Eu fiquei mais de 20 dias no país, então comprei o passe com duração de 15 dias não consecutivos e anotava no cartão quando eu ia usá-lo. No caso da opção com dias consecutivos, é preciso especificar apenas o dia de início de sua validade. Com o passe em mãos você não precisa retirar bilhete ou validar sua viagem: basta embarcar.

Swiss Travel Pass de 15 dias não consecutivos
Swiss Travel Pass de 15 dias não consecutivos

Existe conferência dos bilhetes?

Na Suíça não é preciso passar por qualquer catraca ou apresentar o bilhete para entrar no transporte público ou nos trens. Na maioria das viagens, depois de um tempo, passa um funcionário conferindo os bilhetes, mas isso é pouco comum dentro da cidade. Isso pode dar ao passageiro a sensação de que pode burlar o sistema e viajar de graça. A minha dica é: inclua no seu orçamento o valor das passagens e não tente dar uma de espertinho. Se você for flagrado sem bilhete, pode tomar uma multa alta e ter outros problemas.


Quais são os tipos de bilhete?

Os vagões dos trens são divididos em 1ª e 2ª classes. Eu fiz todas as minhas viagens na segunda opção. Não vi nenhuma necessidade em viajar de primeira classe, pois a segunda é confortável e a Suíça é um país pequeno, o que quer dizer que as viagens são curtas.

Quanto aos descontos, há opção de comprar passe diário e bilhetes mais baratos dependendo da idade. No meu caso, comprei o Swiss Travel Pass.


Viajar de primeira ou segunda classe?

Tanto o bilhete normal quanto o Swiss Travel Pass têm a opção de viagens de 1ª ou 2ª classe. Eu não vi muita diferença entre os dois setores, então achei desnecessário gastar mais por um conforto pouco significativo.

É muito fácil identificar a classe do vagão, pois o número vem escrito na porta. Não é nem preciso comentar que não adianta você comprar um bilhete para segunda classe e querer viajar de primeira, não é mesmo? Então é bom prestar atenção a essa informação.

Número na porta indica a classe
Número na porta indica a classe

Onde consultar os horários?

Para mim, o mais fácil era consultar os horários pelo aplicativo do Google Maps no celular. Você coloca o ponto de partida, onde quer chegar e voilá. Os suíços são bem organizados e dificilmente um trem atrasava, então pode confiar.


Quanto custam as passagens?

Vou fazer depois uma postagem apenas sobre esse tema, mas basicamente os preços estão disponíveis na página oficial do SBB. Atenção que eles colocam lá o preço do bilhete “a partir de”, que vem com um desconto de 50% para as pessoas que tem o cartão local ou de turista para pagar metade em tudo. Na verdade, o preço real é o dobro daquilo que aparece.


Como identificar a plataforma?

Para as viagens de trem, eu consultava o Google Maps, colocando o destino pretendido. O aplicativo te informa quais são as próximas opções para viajar, inclusive com a duração de viagem, as conexões e os nomes e números das linhas. Daí eu tirava um print da tela com a opção escolhida, principalmente se tivesse troca de trens. Ao chegar à estação, conferia no painel principal de qual plataforma sairia aquele trem e me dirigia ao local certo seguindo as placas. Nunca tive nenhum problema assim.

Painel de partidas na Zürich HB
Painel de partidas na Zürich HB

Se você deixar para conferir as linhas de trem no painel central da estação pode ser um pouco confuso, pois ali aparecem muitas opções e, em alguns casos, apenas o destino final e não as estações em que são feitas as paradas. Além disso, ele não te informa das baldeações, então é muito mais fácil entender o resultado da pesquisa no aplicativo de celular.


Dá para levar mala no trem?

As malas de tamanho médio ou pequeno podem ser acomodadas sob o assento ou nos compartimentos superiores – em alguns trens, esse espaço superior é muito pequeno, cabendo apenas bolsas. Eu gosto de levar os meus pertences perto de mim, assim não corro o risco de esquecer nada para trás. Existem alguns espaços destinados para malas maiores, mas são bem limitados, o que pode ser um transtorno. Além disso, você terá que deixar a sua mala nesse espaço e pode ter que se sentar longe, gerando uma certa insegurança bem típica dos brasileiros acostumados com roubos. A minha dica é sempre viajar com o mínimo de bagagem possível. De qualquer maneira, não existe cobrança para despachar mala e você se vira como puder. Eu tinha uma mala média e não tive problemas, mas ela definitivamente não cabia embaixo do banco.

Mala embaixo do banco
Mala embaixo do banco

O que esperar das estações de trem?

As cidades maiores têm estações de trem bem grandes, geralmente interligadas a outros meios de transporte como ônibus, metrô, bondinho urbano. Nesses casos, há várias plataformas, sendo que algumas são subterrâneas, então é bom chegar com uma certa antecedência para você poder se localizar e deslocar até o local de partida do trem. Geralmente essas estações têm também lojas de conveniência e, em alguns casos, até supermercados. Já nas cidades menores, são poucas plataformas e uma lojinha.


Há banheiros nas estações?

Algumas estações têm banheiros pagos, como é o caso da Zürich Hauptbahnhof, onde é necessário pagar para usar os sanitários – mas são banheiros bem completos, onde dá para tomar banho e tudo mais.


Os trens possuem banheiro?

Todos os trens que eu peguei na Suíça – e olha que eu rodei aquele país inteiro – tinham banheiros, que são parecidos com aqueles encontrados em aviões, porém com mais espaço. É de boa usar esse banheiro para fazer um xixi, trocar de roupa, escovar os dentes e coisas assim. Fazer cocô… bom, imagino que apenas em casos de emergência, já que o cheiro vai impregnar todo o vagão.

Banheiro do trem
Banheiro do trem

Há armários para deixar as malas na estação?

Essa também é uma facilidade presente apenas nas estações maiores. Existe um sistema de despachar a mala para o seu destino final, mas não utilizei porque não senti necessidade e achei o serviço caro, além de ter horários limitados. O ideal mesmo é carregar as suas malas consigo no trem e, se for parar para passear durante o dia na cidade, deixar no armário de uma das estações grandes.

Armários para deixar as malas
Armários para deixar as malas

Como funciona a máquina de troco?

Para usar os banheiros pagos e os armários de bagagem, é preciso ter dinheiro trocado. A única estação em que eu precisei fazer isso foi a de Zurique e lá tinha uma máquina de troco muito fácil de usar. Basicamente, você insere uma nota e ela te devolve o mesmo valor em moedas trocadas.

Máquina de troco da estação
Máquina de troco da estação

Como é o painel de informações da plataforma?

Além do painel principal da estação, que mostra todas as linhas, de todos os trens e de vários horários, existem os painéis individuais de cada plataforma. Neles você pode confirmar se o trem que você pretende pegar é o próximo a sair e outras informações básicas, como o horário. Dependendo da estação, o painel mostra dados mais completos, como as cidades mais importantes nas quais o trem vai passar e a divisão dos setores da plataforma. Observe na foto que o próximo trem vai ocupar os setores A, B e C – ou seja, não adianta ficar esperando no D, porque o trem não é grande o suficiente. O painel também indica que, nos setores A e C, vão parar vagões da primeira (amarelo) e segunda (verde) classes, enquanto no setor B estará apenas a segunda classe. Bem fácil de entender depois que você aprende!

Painel da plataforma
Painel da plataforma

Como abrir a porta do trem?

Algumas portas vão abrir e fechar automaticamente. Em outros casos, existe um botão rodeado de luzes verdes que não passará despercebido. Basta encostar ou apertar nesse botão para abrir as portas, seja no embarque ou no desembarque. Você também pode passar de um vagão para o outro. Em alguns casos, sua presença será detectada e as portas se abrirão automaticamente. Em outros, é preciso apertar algum botão ou girar levemente a maçaneta.


Como é o espaço interno do trem?

Os trens variam dependendo da linha. Alguns são de dois andares e outros não. Alguns possuem tomadas para carregar seus aparelhos eletrônicos, outros não. Alguns a cadeira inclina, outros não. Alguns possuem mesinha de lanche, outros apenas um apoio pequeno. Enfim, varia bastante. No geral, são espaçosos e suficientemente confortáveis.

Obviamente se você está viajando com malas, o mais fácil é ficar no primeiro andar e não subir as escadas. Eu, como sou bobo, gosto mais de viajar em cima, pois acho que dá uma visão melhor da paisagem.

Trem com dois andares
Trem com dois andares

 


Os trens ficam muito cheios?

A frequência dos trens é bem alta, então geralmente há espaço sobrando. Mas os moradores do país utilizam o transporte para deslocamentos diários, sendo que alguns viajam todos os dias para trabalhar/estudar, então os veículos ficam mais cheios nos horários de pico do início da manhã e fim da tarde, principalmente nas estações das grandes cidades. Foram poucos os casos em que eu tive que sentar separado dos meus companheiros de viagem ou que caminhei por vários vagões procurando lugar para sentar. No geral, a dica a chegar cedo à estação e pegar o trem mais vazio (a não ser que ele esteja vindo de outra cidade já com muitos passageiros). Mas como eu disse, é bem tranquilo.


Como verificar se estou no caminho certo?

Antes de embarcar, verifique o número do trem que você está entrando. Algumas paradas são de poucos segundos e não dá tempo de ficar pensando muito, então é bom você já ter a informação correta e estar atento à chegada do veículo. Dentro do trem há televisões que mostram as próximas paradas e seus horários, bem como o destino final daquela viagem.

Painel interno com próximas paradas
Painel interno com próximas paradas

Compras nas estações de trem

Como eu disse acima, algumas estações maiores possuem lojas de conveniência e até supermercados. O comércio na Suíça fecha bem cedo e muitos supermercados nem abrem no domingo. No Google Maps é possível pesquisar os dias e horários de cada estabelecimento – geralmente os das estações ficam abertos até mais tarde, sendo uma ótima alternativa para comprar aquela comidinha para levar para o hotel depois de um dia de passeio.

Lojas na estação de trens
Lojas na estação de trens

Resumo

O sistema de transporte da Suíça é muito completo e organizado. Os trens são, sem dúvida, a melhor opção para os turistas que viajam pelo país. As passagens não são baratas, mas há a opção de comprar o Swiss Travel Pass e economizar bastante no transporte e também em alguns passeios.

O maior segredo é prestar bastante atenção às placas indicativas e usar o Google Maps para auxiliar na definição do melhor trajeto para chegar ao seu destino, pois ele indica qual linha pegar, o nome de todas as paradas e os horários.

No mais, basta se familiarizar e em pouco tempo você se sentirá um cidadão, reconhecendo os ícones indicativos e se locomovendo sem nenhuma dificuldade, mesmo pelas estações mais complexas.


Essa postagem faz parte de uma blogagem coletiva com o tema de #ViajarDeTrem. Não deixe de ler as experiências de todos os Pequenos Grandes Viajantes:

Apure Guria – Trens panorâmicos na Suíça e trajetos incríveis
AzWanderlust –  Viajar de trem pela Europa: como comprar passagens baratas
Cantinho de Ná – Como é viajar de trem pela Espanha
Destinos Por Onde Andei… – Minhas viagens de trem na Europa
Espiando Pelo Mundo – Sobre trilhos mundo afora
Gastando Sola Mundo Afora – De São João Del Rey a Tiradentes de Maria Fumaça
Ligado em Viagem – Viagem de trem na Alemanha – Como comprar, andar e dicas
Vem que te Conto! – Viagem de trem do Vale Sagrado para Machu Picchu pela Inca Rail
Viajante Comum – De Ouro Preto a Mariana no trem da Vale
Viajonários – Dicas para viajar de trem pela Inglaterra

Anúncios

13 comments

  1. Um dos posts mais completos que já li sobre trens na Suíça! Parabéns pela dedicação! Certamente ajudará muitos viajantes, inclusive eu! Muito bom!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Arrasou nas dicas, tá tudo aqui pra quem precisar. Adoro esses trens com dois andares, acho o máximo da modernidade. Usei uma dessas máquinas de trocar dinheiro na Termini em Roma, adorei, que facilidade. Ótimo post, super bacana mesmo, parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Pois é… aqui no Brasil eu geralmente pago tudo no cartão, então nem preciso preocupar. Mas no exterior sempre precisa, essas máquinas de troco são a salvação!

      Curtir

  3. Nunca imaginei q viajar de trem na suíça fosse tão simples. Se não tivesse lido o seu post com certeza teria muitas preocupações a toa quando fosse para lá.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Dicas excelentes, principalmente do Swiss Travel Pass. Pode até sair mais caro que o bilhete individual algumas vezes, mas a praticidade de não precisar comprar cada vez, vale a pena!
    A dica do banheiro também é muito boa. Eu imaginava que tinha banheiro nos trens, mas nunca havia usado. Até que um dia precisei e vi o tanto que eles são cômodos. Passei, então, a não me preocupar em ter de fazer as necessidades correndo antes de embarcar. E também é uma ótimo opção para passear pelo trem. Dar aquela “voltinha”. hahaha
    Adorei o post!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Depois vou fazer uma postagem só sobre o Swiss Travel Pass. No meu caso, foi uma economia muito grande porque a viagem foi só pela Suíça e usei para viajar muito de trem!

      Curtir

  5. A Suíça é um dos melhores lugares do mundo para viajar de trem. As vistas são simplesmente incríveis, né? Adorei o post, muito esclarecedor! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

  6. oi… muito bom este texto! 🙂
    Eu fiquei 15 dias pela Suíça (sempre viajo apenas por 1 país/vez) e também só rodei de trem por lá. Os trens são ótimos né?! Paisagens lindas e muito práticos.
    Para mim, o Swiss Pass não foi uma boa ideia: saia mais caro que meus gastos por lá. Então os bilhetes entre as cidades-base eu comprei pela internet e os “bate-volta” comprava por lá nas maquinetas das estações. Como você mesmo disse: muito fácil. 🙂
    Um dia quero voltar para conhecer mais cidades! 🙂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Oi, Ana. Eu também prefiro viagens focadas em um só país ou região e foi o que eu fiz esse ano com a Suíça. No meu caso, o Swiss Pass representou uma economia imensa porque fiz muitas viagens e visitei vários museus. Mas é isso, tem que colocar na ponta do lápis porque, na maioria dos casos, não vale mesmo à pena!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s